quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

[ Telemakerting ]

Gente, que absurdo! O SENAC-DF cobra R$ 680,00 para um curso de telemarketing. Pagar quase dois salários mínimos para um curso totalmente sem utilidade nenhuma. Pelo amor de Deus, se você está pretendendo fazer um curso destes, desista, invista em outra coisa melhor. Deixa-me explicar-lhe o por quê!

As empresas de telemarketing geralmente são prestadoras de serviço, ou seja, são contratadas por outra empresa para vender o peixe de seus produtos: fazer cobrança, vender algo, prestar suporte técnico a um sistema e assim por diante. Cada contrato tem uma particularidade, e por isso, a primeira coisa que você faz quando entra numa empresa de Call Center é ser treinado para aquele serviço.

Ter experiência anterior é a última coisa em que elas estão preocupadas. Às vezes, há uma preferência principal para os sem experiência. O serviço de call center está naquela categoria, que quanto mais experiente o profissional, mais "picareta" e folgado ele é, e portanto, menos suscetível a cumprir ordens e regras de comportamento.

Um terceiro fato para o profissional de telemarketing é que ele possui dois extremos interessantes: o cargo costuma ser preenchido por "marinheiros de primeira viagem", o jovem em busca do seu primeiro emprego e inclusão profissional, como também, há uma preferência por senhoras, que normalmente são rejeitadas pelo comércio. Mais uma vez, a experiência é o que menos conta.

No entanto, se preparem numa coisa: informática. Quanto mais você conhecer do básico de um computador e de digitação, mais fácil de você conseguir um emprego. Observe também como vai o seu português; vícios de linguagem, nem pensar!

Assim, caso você deseje, entrar nesse mercado, não procure fazer esses cursos caros e inúteis. No Call Center, infelizmente, o que predomina mesmo é o famoso QI (quem indica), e como hoje em dia, o telemarketing* se tornou uma área em crescimento, não é difícil achar um.


PS: Telemarketing é o nome dado ao atendente que faz ligação ao cliente, para cobrar algo ou vender um produto. Aos atendentes que prestam suporte técnico, tecnológico ou operacional a sistemas ou produtos, são chamados de Operador de Help Desk. Chamá-los de telemarketing é quase uma ofensa!


.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

[ Problemas? ]





Se você consegue rir,
mesmo quando as coisas dão erradas.
Fala a verdade.
É que você achou alguém pra pôr a culpa, né?




.

domingo, 27 de janeiro de 2008

[ Relatório Mundial 2007 ]

Acaba de chegar em minhas mãos o Ministério do Reino de fevereiro que traz o relatório de nossas atividades no ano passado. Você já leu? Bem, alguns destaques desse relatório:

:: ONDE TEM MAIS TESTEMUNHA DE JEOVÁ EM NUMERO TOTAL?

1º - EUA : 1.084.005 brothers.
2º - BRASIL 679.211 irmãos.
3º - MÉXICO: 639.320 hermanos.

:: ONDE TEM MENOS EM NÚMEROS TOTAIS?

236º - 4 intrépidos nas ILHAS MALVINAS
235º - 9 perseverantes em MONTESERRAT
234º - 11 guerreiros nas ILHAS NORFOLK

:: ONDE TEM MAIS IRMÃOS PROPORCIONAIS A SUA POPULAÇÃO?

1º - GUADALUPE com 1 irmão para cada 53 pessoas. (1,88% da população local)

2º - NIUE. São 1 Testemunha para cada 56 pessoas.(1,78%)

3º - CURAÇAU com 1 pregador para cada 83 pessoas (1,20%)

OBS: BRASIL: 1 para cada 279 brasileiros. Somos apenas 0,35% da população brasileira.

:: ONDE SE TEM MAIS CONGREGAÇÕES?

1º - EUA com 12.494.

2º - MÉXICO com 11.707.

3º - BRASIL com 10.251.

:: ONDE SE TEM MAIS PIONEIROS REGULARES?

1º - EUA com 102.150

2º - MÉXICO com 66.321

3º - JAPÃO com 58.840

OBS: Os irmãos japoneses são exemplos. Significa que 1/3 dos irmãos servem como pioneiros regulares!!. No Brasil, os 49.119 representam apenas 7,23%.


:: ONDE SE MAIS DIRIGEM ESTUDOS BÍBLICOS

1º - MÉXICO - 742.364

2º - BRASIL - 736.714

3º - EUA - 546.631

:: ONDE SE MAIS TRABALHA NO CAMPO

1º - EUA - 211.314.864 horas.

2º - MÉXICO - 129.959.990 horas.

3º - BRASIL - 127.169.286 horas.

:: ONDE HOUVE UM AUMENTO DE PUBLICADORES (EM %)

1º - ANGUILA com 29% em relação ao numero de publicadores de 2006.

2º - CAMBOJA com 22%.

3º - MONGÓLIA com 18%.

OBS: Tivemos um aumento de 4% em relação ao ano de 2006.

NUMEROS TOTAIS

- Somos quase 7 milhões de Testemunhas de Jeová no mundo, ou seja, somos quase 1% da população mundial.

- 17.672.443 pessoas assistiram a comemoração em todo o mundo, ou seja, 60% dessas pessoas não eram Testemunhas de Jeová.

- No mundo existem 101.376 congregações, cada uma delas com 69 publicadores, em média.

- R$ 217 milhões foram gastos com pioneiros especiais, missionários e superintendentes.

- A única nota triste é o numero de participantes da comemoração: 9.105. Em vez de diminuir, está aumentando, ou seja, tem gente sendo ungida por si mesmo.


.

sábado, 26 de janeiro de 2008

[ Sobre lagos e montanhas... ]


"Esquadrinha-me, ó Deus, e conhece meu coração.
Examina-me e conhece meus pensamentos inquietantes"
- Salmo 139:23



Faz tempo que não escrevo sobre mim. Não é desproposital; tenho evitado falar de mim, porque minha vida não é interessante nem pra mim, quanto mais para vocês.

O fato é que estou numa fase transitória de ilusões e desilusões. De procurar um rumo a seguir. De não saber necessariamente o que fazer da vida. Nos meus quase 35 anos de idade, eu olho para trás e vejo as coisas de perdi, que ganhei, que deixei de ganhar e que deveria ter perdido e não perdi.

Uma coisa boa é que finalmente consegui me livrar dos meus remédios: Rivotril nunca mais! Não que eu tenha conseguido finalmente curar minhas ansiedades e insônia, mas apenas substituí-lo por outra diversão: ler, assistir TV e ficar navegando pela internet. Não é necessariamente uma troca saudável, mas é melhor do que ficar viciado quimicamente.

Os "Superfinos Apóstolos" diriam: Tire uma carta de pioneiro ou Vá servir no território isolado. Seria a solução? Eles que estão sendo demagogos demais ou seria eu que estou sendo um espiritual inexorável? Eu invejo quem consegue tomar decisões tão fáceis assim.

Que Jesus interceda por mim! Que Jeová perdoe os meus pecados!


Uma decisão já é certa. No final deste ano retorno para Salvador. Eu gosto muito daqui de Brasília - gosto mesmo! - criei um laço afetivo com esta cidade indescritível, mas acredito que preciso urgentemente de mudança de ares. O melhor seria seguir para São Paulo, uma nova vida, uma nova ambientação, mas ainda tenho medo de aventuras assim.

Se eu não passar no concurso da CAIXA, com certeza, melhor passar o resto dos meus dias com minha mãe e irmãs.

Bom final de semana a todos. Desejem isso pra mim também, por favor. E não me julguem só porque não "tirei uma carta de pioneiro e fui pro território isolado".



.
[Detesto Oscar Niemayer]

Nada contra a pessoa, mas quanto à sua obra. Ele pode fazer 100 anos e ser considerado um dos mais renomados arquitetos do mundo, mas sou da mesma opinião do jornalista de Época, Dagomir Marquezi: não sou obrigado a gostar delas! Na verdade, eu detesto.

Mas tenho medo de ser apedrejado, afinal, aqui em Brasília existem alguns ícones que não se pode falar mal, ícones que incluir Juscelino Kubistcheck, Dom Bosco, “Céu de Brasília” e entre eles, os “prédios maravilhosos e arquitetura futurista de Brasília”.

As obras de Oscar Niemayer é um verdadeiro atentado para quem mora ou usufrui dela. Trabalhei dois anos no Ministério da Saúde e é absurdo o festival de labirintos e espaços perdidos para se chegar ao resultado. São obras que valorizam mais o exterior, mas não possui nenhuma praticidade interior.

Para se ter uma idéia, os prédios onde funcionam os Ministérios não foram feitos para os portadores de necessidades especiais; os elevadores param entre um andar e outro, e para chegar até eles, tem que subir uma estava de 10 degraus. Cadeira de rodas? Nem pensar! Além disso as famosas curvas que e formas diagonais é um terror para o mobiliário, pois sempre se sobram espaços inúteis.


Congresso Nacional: bonito por fora, cheio de espaço inútil por dentro.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

[ Bad Day ]




Well you need a blue sky holliday
The point is they laugh at what you say
And I don't need no carryin' on


+ Daniel Powter +





.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

[ Sobre o Oscar... ]

Se a greve dos roteiristas deixar, a festa do Oscar este ano deve ser uma das mais sem graça de todos os tempos. (ou será que é eu que estou ficando sem graça). Pela primeira vez, conheço pouquissimos dos filmes que serão indicados. Bem feito para o filme de Cao Hambuguer; se em vez desse drama choroso que era seu filme, fosse Tropa de Elite, com certeza estaria entre os cinco indicados. Mas a minha aposta sobre as indicações são...

:: Melhor Filme

Assisti apenas "Conduta de Risco", que achei muito bom. Mas não sei nada sobre os outros. Dizem que "Onde os fracos não tem vez" é o favorito. Vou esperar chegar por aqui.

:: Ator

Gosto de surpresas e de torcer por zebras, mas não será desta vez que torcerei por Viggo Mortensen, que já ganhou o prêmio "O-que-você-está-fazendo-aqui?". Mas meu coração está dividido pois sou admirador de Johnny Deep e Tommy Lee Jones. Mas como Johnny já ganhou muitos prêmios, vou torcer pelo Lee.

:: Atrizes

Cate Blanchett indicada duas vezes? Ah, fála sério. Num gosto dela. Feia, chata, ela só saber fazer cara de assustada.Vou torcer pela "zebra" Marion Cotillard - Piaf, um hino ao amor - e por Tilda Swinton, que está ótima em "Conduta de Risco".

:: Trilha Sonora e Canção Original

Eu não sei qual o requisito para se escolher uma trilha sonora. Sei lá, todas, pra mim, são regulares. Mas nas canções, vai dar uma das 3 cantadas no filme "Encantada". Aquela que ela canta no parque! Quer apostar?

:: Maquiagem

"Piratas do Caribe" e "Norbit" são os melhores, mas como a Academia gosta de premiar filmes clássicos, pode ficar com "Piaf".

:: Efeitos Especiais.

Transformers! Claro!!!

Clique AQUI para ver a lista completa dos indicados.


.

sábado, 19 de janeiro de 2008

[ Musica Japonesa?! ]


Sim, por que não? Tudo bem que soa estranho para os nossos ouvidos acostumados a ouvir ai lóvi iú em musica americana, mas a música japonesa, bem como a coreana, tem muita qualidade e merece ter sua chance de mostrar que é boa. Não é à toa que ultimamente eles invadiram o mundo ocidental, sem precisar cantar em inglês.

Meu interesse - e de uma grande gama de jovens - veio dos desenhos japoneses exibidos no Brasil. No meu caso, veio do desenho "AKIRA", clássico japonês exibido no cinema em 1988 e que tinha canções da banda punk The Pillows, o qual me tornei admirador e possuo três álbuns.

Eu amo a cultura japonesa desde as musicas, aos mangas, filmes (inclusive os de terror, sorry!), ao alfabeto, literatura, dentre outros. Quando tiver tempo, ainda pretendo aprender as três linguas japonesas, o Katakana, o Hieragana e o Kanji, este último, criado para facilitar a tradução do japonês para as línguas de origem latina e anglo-saxônicas.

Graças ao mangá, muitos cantores e bandas japonesas passaram a ser reconhecidos no lado ocidental. Assim, caso você queira conhecer um pouco desse povo de olhinhos fechados, mas que não tem nada de bobo, eu recomendo que voce baixe as seguintes musicas.

:: My little Girl, de Yutaka Ozaki.

:: Eternally, de Utada Hikaru.

:: Love Letter, de BoA

:: Shima Uta, Alfredo Casero (tema das Olimpíadas das Seul)

:: Prism, de Psycho le Cemu.


Só pra começar. Depois você me fala se gostou ou não.



.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

[ 3 Coisas ]


Existe 3 coisas que me divertem, hoje...

:. Ir pro Cinemark, assistir filme com Coca e Doritos.

:. Escrever pro Jornal do meu trabalho.

:. Ouvir musica.


==== Estou ficando velho [:(]



.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

[ Você pode ir na janela ]




Você só me fez mudar
Mas depois mudou de mim
Voce quer me biografar
Mas não quer saber do fim

Vai sem duvidar,
Mas se ainda faz sentido, vem
Até se for bem no final
Será mais lindo
Como a canção que um dia fiz
Pra te brindar



+ + Gram + +




.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

[ Febre Amarela ]







A mídia sensacionalista conseguiu: criou um verdadeiro pânico nas pessoas sobre a febre amarela, apesar dos das agencias de saúde divulgar que não havia motivos para isso. As pessoas correm feito loucas aos postos de saude, que não estavam preparados para atender toda essa gama de pessoas, contribuindo ainda mais para o caos.


A despeito dos dois macacos mortos no Parque Nacional de Brasília, já se descobriu que não foi por febre amarela, e embora um brasiliense tenha sido morto pela doença, já se descobriu que ele não era vacinado, portanto, se cada um dos brasileiros tivesse frequencia de procurar um posto de saúde para tomar suas vacinas, não precisava ficar desesperado quando surgem boatos de surtos.


Eu, por exemplo, sou vacinado. Como vice-presidente da CIPA, junto com outros membros, organizamos a semana da vacinação em nossa empresa, antes mesmo de sair estas noticias sobre a doença. Foram quatro injeções (duas no braço e duas nas pernas) contra gripe, hepatite B, tétano, reforço e febre amarela.


Então mãe... fica despreocupada, que por febre amarela é que eu e a morte não teremos encontro.


.....

PS: A única febre amarela que merece extinção em Brasilia é a torcida do Brasiliense.



.

sábado, 12 de janeiro de 2008

[ 147 anos da Caixa ]

A Caixa Econômica Federal, ou simplesmente a CAIXA, comemora amanhã seus 147 anos de existência. Destes, eu participei de seis! As comemorações foram realizadas hoje em todo território nacional. Aqui em Brasília, sede do banco, as comemorações teve ares de festa civil, com direito a hasteamento da bandeira, presença de políticos e etecétera.

A CAIXA foi fundada em 1861 pelo imperador Dom Pedro II para combater os altos juros cobrados por agiotas da época, e para rivalizar com o controle acionário do Banco do Brasil, que embora público, servia aos interesses dos grande mercadores. A CAIXA nasceu então para ser o "banco do povo", mantendo sua missão por todo esse tempo e hoje é utilizada pelo Governo para executar políticas públicas e de benefícios sociais para a população, sobretudo, de baixa renda.

Embora eu ainda não seja funcionário concursado - coisa que pretendo resolver este ano, se Jeová permitir - eu me sinto parte integrante dessa máquina desde quando comecei a trabalhar na agência 0655 (Gama) em 2001 como digitador. Depois da agência, fui transferido para a GIFUG (área do FGTS) e pouco tempo depois para SUARE na Matriz. Lá conheci amigos importantes, aprendi muito e tive a oportunidade de ampliar minha experiência profissional.

Hoje trabalho como Analista de Sistema da CEATI, uma das áreas mais importantes da Caixa Econômica, responsável por guiar e gerenciar as informações para todas as redes do banco. É um trabalho importante para mim. Cada conta aberta, cada benefício que o trabalhador recebe, cada saque, cada empréstimo, cada financiamento realizado pela CAIXA, tem um pouco do meu trabalho ali. E isso me enche de orgulho de trabalhar aqui e de gostar do que faço.

CAIXA. Parabéns pelos centoequarentaesete ano de existência!


.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

[ Viva a democracia da música ]

Os dias do CD estão contados, e acredite, isso é bom, na verdade é muito bom para quem gosta de música de qualidade. Durante anos, fomos reprimidos pela indústria fonográfica que ditava a moda e o gosto das pessoas, impondo canções por meio das FM (pagando os famosos jabás) e pela MTV.

A música passou a ser sinônimo de lucro, principalmente em meados da década de 60 com a popularização do disco de vinil. Como era muito caro produzir um disco e manter um cantor, as gravadoras só contratavam artistas que estavam dispostos a “vender sua alma”. O valor disso tudo era repassado para os discos e o público, ansioso de poder ouvir a sua música favorita em casa na sua radiola, sem depender das rádios, estava disposto a pagar o preço. Logo as grandes gravadoras se tornaram um império.

Na década de 80 a indústria fonográfica tomou seu primeiro baque com a popularização das fitas K7. Pela primeira vez as pessoas podiam gravar suas músicas, criar coletâneas conforme o seu gosto. Então, em meados da década de 90, nasceu o CD, e como ele veio também a pirataria, e a exposição de que gravar música era até cem vezes mais barato que os preços praticados pelas gravadoras.

Que a pirataria é crime, todo mundo sabe, mas como as pessoas não podiam viver sem música, era tentador comprar o álbum do seu artista preferido por R$ 5,00 em vez dos R$ 30,00 das lojas. Era um caminho sem volta apesar do apelo dos próprios artistas em busca do lucro perdido.

A internet foi o ponto final. Por meio dela podia se baixar qualquer música e de graça! As pessoas não dependiam de comprar o CD na loja, e o melhor, podia ouvir a sua musica preferida, não aquela que as rádios enfiava goela abaixo. Algumas bandas não entenderam o recado. O Metallica processou os fãs e ajudou a fechar o Napster. Vários outros programas também foram ameaçados como Imesh, Kaasar, dentre outros. Mas já era tarde , a revolução tinha começado.

Atualmente, várias bandas surgiram ou se adaptaram a nova realidade. Avril Lavigne gravou boyfriend em várias línguas, inclusive o mandarim para conquistar a Ásia. O Radiohead lançou um álbum na internet, onde os fãs poderiam pagar o preço que quisesse. Lilly Allen se tornou um sucesso mundial postando suas músicas na internet e até uma banda brasileira, o Cansei de ser Sexy, conheceu o estrelato por meio do YouTube.

Haverá uma época, onde os artistas lançarão seus discos gratuitamente – o lucro virá apenas dos shows – e não precisarão das gravadoras para ditar a moda. Quando isso acontecer, estaremos vivendo a grande democracia da música mundial.


.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

[ Encantada – A Disney ri de si mesma ]


Animação era coisa de criança, até que a Disney em 1940 produziu “Fantasia”, que acabou se tornando um dos maiores clássicos do cinema mundial, e fazia da Walt Disney sinônimo de desenhos animados. De lá para cá, Disney adaptou praticamente todos os contos dos Irmãos Grinn em sucessos como “A Bela e a Fera”, “Cinderela”, “Branca de Neve e os 7 anões”, “A Dama e o vagabundo”, produções encantadoras, cheias de alegria, canções, animais falantes, uma coisa fofa, até que em 2003 um ogro chamado Shrek apareceu e com sarcasmo debochou de tudo que a Walt Disney tinha produzido até então.

A Disney contra-atacou, mas não com vingança, mas com um mea culpa bem humorado chamado Encantada, em exibição nos cinemas.

O filme começa mais Disney que nunca: um desenho animado que nos apresenta a doce princesa Giselle, que vive numa floresta, sempre feliz e bela em busca do príncipe encantado. A cena não perdoa: tem animais falantes, inteligentes e aquelas famosas canções chatas. Quando ela finalmente encontra o seu príncipe, uma rainha má, expulsa do seu mundo mágico e musical e ela aporta em plena Manhattan dos dias atuais. Como um peixe fora d´água ela acaba sendo encontrada por um advogado divorciado, que acha que amor é um contrato de trabalho, por quem se apaixona. Só que Giselle já está prometida em casamento para o príncipe Edward, que decide também deixar o mundo mágico para reencontrar sua amada.

Com forte apelo infantil (por causa da animação e dos excelentes efeitos especiais), o filme deve agradar mesmo os adultos, pois somente estes conseguem rir das piadas e alfinetadas que o filme dá em si mesmo. Por exemplo, a princesa com sua ingenuidade, tenta repetir no mundo real o mesmo faz de conta que vive no desenho. O resultado agrada e dá boas risadas, como na cena em que o príncipe enfrenta os trabalhadores na rua, ou quando a princesa chama os lindos animais para arrumar a casa, mas em vez disso atrai os ratos, pombos e baratas de Nova York. Mas quem rouba a cena mesmo é o esquilo Dig, que graças aos efeitos especiais, parece de verdade.

“Encantada”, é uma boa pedida para aproveitar as promoções de quarta-feira.



.

domingo, 6 de janeiro de 2008

[ Big Brother Brasil - Com vocês mais um campeão de mediocridade ]


Com excessão da primeira exibição, que nem lembro mais quando foi, eu não assisto e nem acompanho este festival de bizarrice e mediocridade chamada de "Big Brother Brasil". Se no formato original - anônimos e desconhecidos que ficam presos numa casa - já é um prato indigesto, imagina o festival de picaretagens criada pela Rede Globo.

Pra começar, os participantes não são tão anônimos assim: é sabido que muitos participantes das edições anteriores tinham ligações com o "estrelato", como dançarinas do faustão, ex miss Brasil, modelos sarados, escolhidos à dedo para garantir a audiência. É ridículo, porque a intenção do formato original do Big Brother, exibido em mais de 50 países, é de explorar as diferenças de personalidade de pessoas incomuns, mas como no Brasil tudo acaba em pizza e turistas são recebidos por mulatas sambando seminuas, a Rede Globo deu uma nova "roupagem" ao formato do Big Brther, incentivando a as orgias, insinuação erótica, palavrões, traições, entre outras.

Um colega que mora em Portugal diz que a chamada do Big Brother de lá é mais ou menos algo como "vamos nos divertir com essa turma". No Brasil, Pedro Bial na maior cara de pau incentiva: "vamos as armações, as traições, o namoro no edredon", enquanto os participantes declamam algo como "sou pegador, vou agarrar todo mundo."

Desrespeito mesmo, é um programa exibido pelo canal pago Multishow, chamando "Nem Big, Nem Brother" onde são exibidos vídeos enviados pelos anônimos para participar do programa. É um desrespeito, primeiro, porque ludibria o telespectador de que ele pode ser chamado para participar do BBB, bastando enviar o vídeo, o que é uma mentira. Segundo, porque, justamente por exibir estes vídeos, fazem troça das pessoas que ingenuamente acreditou na Rede Globo.

Enfim, é só uma prova de como nossa televisão é medíocre, principalmente a Rede Globo, detentora dos maiores índices de audiência. Eu sou apenas uma voz na multidão, porque BBB 8 será o maior sucesso.

Só me resta lamentar sad but true.



.

sábado, 5 de janeiro de 2008

[ Da série Triste mas real ]

sf (lat bajulatione) 1 Ação de bajular. 2 Adulação interesseira; chaleirismo

Lamentavelmente alguns irmãos – no auge da sua imperfeição – acredita que privilégios na organização advém de fazer politicagem ou bajulação das pessoas que detém o poder de dar estes privilégios, como anciãos, superintendentes e assim por diante.

Nada demais em tratar estes irmãos com carinho e atenção, desde que esta mesma atitude seja espalhada a todos. Quando alguém que nunca levantou a mão para alguém, começa a aparecer demais na casa do superintendente, lava seu carro, leva lanchinho, leva presentinhos, leva para passear, almoçar em restaurante, liga o carro para que o motor nunca fique com defeito, pra mim é bajulação.

E quando estas mesmas pessoas aparecem freqüentemente dando entrevistas e fazendo discursos em assembléias e congressos, recebendo privilégios, então eu caracterizo o superintendente de bajulável.



.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

[ Top 5 - Melhores e Piores do cinema em 2007]

Todo mundo faz sua lista de melhores e piores, por que não posso fazer a minha? Aí vai minha lista bastante pessoal do que achei da sétima arte que tanto amo no ano passado.

:: MELHORES FILMES

Tranformers – O filme
Melhor adaptação já feita até hoje de um desenho animado para as telas do cinema. As transformação dos carros é perfeita e as cenas de ação, fantásticas.

Tropa de Elite.
O filme brasileiro mais comentado de todas as décadas. Enquadrou os tráficantes no seu devido lugar e acabou com aquela mania esquerdista de suavizar a bandidagem.

Os Simpsons
Na era da tecnologia em 3D e animação computadorizada, é incrível como essa produção simples em 2D e cheia de criticas ácidas arrebanhou uma galera para o cinema.

O Cheiro do Ralo
Engraçadíssimo, fora de ordem, politicamente incorreto e reforçou o porquê considero Selton Melo o melhor ator brasileiro da atualidade.

Letra e Musica
Uma ótima comédia romântica que vai deliciar principalmente que viveu sua adolescência nos anos 80. Fantástico e nostálgico no melhor sentido.
.

:: PIORES FILMES

Norbit
A idéia inicial é boa, consegue arrancar algumas risadas iniciais, mas Eddie Murphy se perde e o filme fica chato. Decididamente ele não é mais o mesmo.

Zodíaco
O que adianta um filme de serial killer com um mistério que no final não é resolvido e nem se descobre quem é o assassino?

Motoqueiro Fantasma
Não sei se criei muita expectativa, mas me decepcionou principalmente Nicolas Cage que parecia pouco à vontade no papel. A adaptação para as telas ficou aquém e em alguns momentos até “infantilizou” o Ghost Rider. Nem a lindissima Eva Mendes salvou o filme.

Ó, pai ó
Meu Deus, o que fizeram com o espetáculo teatral mais bem sucedido da Bahia? Uma sucessão de cenas confusas, diálogos sem sentido e uma caracterização forçada de personagens que só agradou o baiano que conhece aquele clima. Palmas para a interpretação de alguns atores que se saíram muito bem, mas não salvou o filme.

Dreamgirls
Um filme para fã de Beyoncé ou de Eddie Murphy. Muitos gritos a la “Programa Raul Gil” que não é muito do meu gosto. Enfim, como tem gente que acha que aquilo é cantar bem.

:: BONS FILMES, QUE FICARAM FORA DA LISTA...

Babel
Rocky Balboa
A Rainha
Borat
Sunshine – Alerta Solar
A estranha perfeita
Ratatouille
Motoqueiros Selvagens

:: BONS FILMES QUE SAIU DIRETO EM DVD

Caçadores de Mentes
Os Desconhecidos
O Pacto (Suicide Club, filme japonês)
12 horas até o amanhecer