sábado, 31 de maio de 2008

[ One Republic: Muito além de Timbaland ]

It's too late to apologize, it's too late
I said it's too late to apologize, it's too late


Timbaland é um rapper e produtor que faz um tremendo sucesso nos Estados Unidos, e por conseqüência, em todo mundo. Não há quem não tenha dançado ao som suas canções cantadas pelos insossos Justin Timberlake e Nelly Furtado, e, agora, também pela Madonna. Eu nunca fui muito com a cara dele - e da maioria dos rappers, com exceção do Akon - até saber que uma das canções produzidas por ele, era de uma banda de rock chamada One Republic.

Assim pelo nome, você pode até não saber quem é, mas com certeza ouviu várias vezes a canção "Apologize", erroneamente e injustamente creditada a Timbaland, que apenas mixou e lançou no álbum Timbaland presents: Shock Value. O objetivo deu certo, a canção fez muito sucesso em todo mundo e despertou a atenção para o quinteto americano, que acabou lançando o seu primeiro álbum chamado "Dreaming Out Loud", e já emplacou seu segundo single, chamado "Stop and Stared".

Como muitas bandas, antes do empurrãozinho de Timbaland, o One Republic já fazia sucesso na internet através do site MySpace. Trata-se especialmente de um rock melódico com letras que grudam no ouvido à primeira audição. O estilo da banda não é barulhento, ou seja, até sua mãe vai gostar e não vai pegar no seu pé.O diferencial da banda é a utilização de instrumentos de cordas como violinos e violoncelos, além de pianos e teclados básicos. É difícil dizer qual a canção mais ruim do disco por que todas são ótimas.

Mas para começar, posso destacar além da versão original de "Apologize" - mais discreta - temos a belíssima "Stop and Stared", "Someone to save you", "All we are" e "Say (all I need)". Vale à pena comprar, até porque o mercado americano continua carente de boas novidades entre bandas de rock. Quando uma aparece, deve-se aproveitar ao máximo.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

[ Superestimados ]

Dagomir Marquezi, colunista de Época, escreveu esta semana um artigo muito interessante sobre celebridades supervalorizadas, mas que na opinião dele, não valia quase nada. São os chamados “Superestimados”! Eu também tenho minha lista de superestimados que não sei o por que fazem tanto sucesso nesse mundo. Curiosamente alguns se assemelham a lista apresentada pelo Dagomir, e pelos mesmos motivos:

Madonna – Ela é a prova viva que marketing e uma boa dose de amigos na imprensa garante o sucesso. Madonna é péssima cantora – já viram ela cantando ao vivo? – feia e quadrada. E ainda tem gente que diz que ela é Sex Simbol?

Oscar Niemeyer - O comunista, anti-capitalista, que mais enriqueceu às custas do Estado, como afirma Dagomir, “construindo caixas de concreto desconfortáveis”. Pelo amor de Deus, suas obras são ridículas de feias, é muito concreto para pouco espaço útil.

Chico Buarque - Quando garoto assisti “Os Saltibancos Trapalhões” que possuía a trilha sonora de Chico Buarque. Linda! Isso foi há mais de 20 anos. Há mais de 20 anos não vejo uma música de Chico Buarque que me agradasse. Um cara que faz sucesso apenas por causa dos olhos azuis?

Caetano Veloso - Outro imbecil que faz de conta que é cult e intelectual, mas que só faz sucesso regravando músicas bregas ou de axé music.

Pitty - Ela já foi mais humilde. Eu conheci-a na escola – entende “conhecer” apenas saber que ela existia. Nunca tive qualquer contato com ela – quando ela era uma menina feia, gorda e tocava na Inkoma. Ela é a prova viva de que o sucesso sobe à cabeça. Fazer duetos com musas da axé e dizer que não tem nada contra as pop-bregas não condiz com o discurso que ela tinha antes de ser “Pitty”. E engravidar de um guitarrista de uma banda emo?

Amy Winehouse - Uma mulher feia, com um penteado horrível e com um monte de músicas sem ritmo que não serve nem para embalar uma festa de drogados. Aliás, nem citei os entorpecentes que a garota costuma tomar como se fosse suco.

Gisele Bundchen - Fez sucesso, levou o nome do Brasil lá fora, mas aqui pra nós: você acha uma loira vara-pau que nem bunda tem, linda? Sou mais Adriana Lima!

Cansei de Ser Sexy - A falta de criatividade lá fora está tão medonha que uma bandinha que canta com efeitos na voz – que na segunda audição você enjoa – faz tanto sucesso? O mundo está perdido.

Albergue do André - Um blog escrito há mais de 6 anos por um cara que acha que suas opiniões interessa a alguém? Me poupe!

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Numero do Besta



Quando você entra no Correios e pega o número da fera...



...significa que algo grande está vindo...




uma greve de ônibus!

Não poderiam ter avisado, antes d´eu sair de casa?

sexta-feira, 23 de maio de 2008

[ Séries feitas por Negros ]

Talvez alguns não saibam, mas a presença constante de negros no casting principal de grande produções do cinema, deve-se sobretudo a uma conquista do negro americano nos anos 80. Legisladores do Estado da Califórnia, onde se situam a cidade de Hollywood e os principais estúdios de cinema, aprovaram uma Lei onde em cada produção deveriam se inserir um personagem negro. O que no ínicio parecia ser um estorvo para uma nação com histórico de racismos, acabou por ajudar os produtores a descobrir um filão que faz muito sucesso hoje em dia: filmes feitos para os negros americanos.

O mais interessante, é que apesar de ter um público-alvo, estes filmes acabaram fazendo um sucesso enorme com pessoas de outras etnias e de outros países. Entre várias séries, gostaria de destacar duas que são exibidas no Brasil:

EU, A PATROA E AS CRIANÇAS

Extremamente divertida e de enorme sucesso tanto nos Estados Unidos como no Brasil, esta série criada pelos Irmãos Wayans é sobretudo, uma aula bem humorada de como ensinar valores morais. Talvez pelo fato de seus pais serem Testemunhas de Jeová – informação dada pelo caçula Marlon Wayans em entrevista a Graham Norton no VH1 – os episódios se preocupam em passar valores familiares e não possui temas apelativos.

Ao contrário do que vemos em nossas novelas e seriados que priorizam a exposição da pobreza dos negros brasileiros, em “Eu, a patroa e as crianças” é possível ver como vive bem a classe média negra dos EUA. Os temas raciais são a menor parte dos assuntos discutidos e o dia-a-dia dos problemas comuns a toda as famílias, como criação dos filhos, orçamento doméstico, conflito de gerações são os assuntos tratados com muito humor e uma boa dose de conselho.

Exibido diariamente no SBT (dublado) e na Sony (legendado)

BOONDOCKS

Esta série em animação ainda não chegou na TV aberta, é exibida pela Sony todas noites de terça-feira, mas não deve demorar muito para ser comprada pelo SBT. O mais interessante nessa série, é a capacidade do negro americano rir de si mesmo e fazer críticas construtivas para o “seu povo”, sem, entretanto, perder o bom humor.

A série é cômica, mas ao mesmo tempo tem um tom ácido já que mostra duas crianças afro-americanas que ilustram de forma bem curiosa como anda a juventude negra dos EUA. Um é um jovem rapper, metido a gangstar e que idolatra rapper delinqüentes como 50 Cent, Snoop Dogg e até o cantor R-Kelly (num episódio especial sobre o caso de pedofilia). Já o outro, é um idealista, bem informado e crítico da mediocridade intelectual dos afro-americanos.

Lembre-se que apesar de ser um desenho animado, sua temática é adulta. Há a presença do linguajar chulo, e lembre-se que aqui, nada é por acaso. Ao contrário de “My Wife...”, a série aborda o tema racial e cada episódio é uma lição de moral e tenta mostrar que apesar do avanço dos direitos civis nos EUA o preconceito e o racismo ainda são uma realidade em pleno século XXI, e pior, os negros também tem sua parcela de responsabilidade nesse cenário.

terça-feira, 20 de maio de 2008

[ Jerusalém ]

“Tanto sangue derramado, tanto ódio entre irmãos, há algo de santo numa cidade disputada eternamente pelos abraâmicos?”. Esta observação feita no filme Cruzadas, reflete bem o fascínio que a cidade de Jerusalém exerce para bilhões de pessoas em todo o mundo. As chamadas religiões abraâmicas – Cristianismo, Judaísmo e Islamismo – são eternas rivais (sic), mas possui na cidade de Sião, pedra fundamental de sua fé.

Totalmente destruída por duas vezes, uma pelos Babilônios em 607 AEC e depois pelos romanos no ano 70 da nossa era comum, ela conseguiu se erguer sendo reconstruída e se tornando símbolo da existência divina.

Na primeira reconstrução feita pelos próprios judeus, vemos a existência de Jeová, pelas dificuldades geográficas, financeiras e bélicas encontradas na reconstrução da muralha, do templo e da cidade. Muitos duvidam do relato do livro bíblico de Neemias e Esdras, dizendo que os Persas – conhecido por ser um povo frio e violento – jamais daria tantos materiais, riquezas e poder para um copeiro reconstruir uma grande cidade. Claro, a reconstrução do tempo não é algo explicável do ponto de vista humano; foi um milagre de Deus.

Na segunda reconstrução, embora não tenha sido feita pelos judeus, vemos de certa forma outro milagre. Jerusalém nunca foi vista pelos romanos com bons olhos. Eles os consideravam um estorvo, principalmente por causa das diversas rebeliões causadas por facções judias como os Macabeus por exemplo. (Para entender melhor, leia os livros apócrifos de Macabeus I e II, disponível em versões católicas). Seria muito mais fácil para os romanos deixar os judeus à míngua e abandonados, mas por algum motivo, os romanos aceitaram o conselho de Herodes, o Grande, de agradá-los e tentar torna-los aliados, fazendo várias obras de construção de casas, saneamento básico e reformas no Templo, que segundo historiadores, gastou uma soma enorme de dinheiro para "um povo que Roma considerava desprezível". No entanto, como nós já sabemos, pouco tempo depois a cidade e o templo foram destruídos mais uma vez pelos romanos.

Hoje do templo só resta um pedaço de muro que alguns judeus usaram para se lamentar no passado, e se lamentam até hoje! A cidade está totalmente mudada, pois em vez de torna-la um museu à céu aberto, seus governantes permitiram que a modernidade fosse construída dentro dela. Nos anos 100, ela mudou até de nome – Aelia Capitolina – e depois foi reconstruída e reformada várias vezes. Apesar disso, ainda hoje é uma cidade importante para Cristãos, Judeus e Muçulmanos.

Hoje no Rio de Janeiro será inaugurada aquela que promete ser a maior replica da cidade de Jerusalém, dos dias de Jesus, no mundo. A obra está instalada no Centro Cultural Jerusalém (CCJ), em Del Castilho, Zona Norte do Rio, e mede 737, 7 metros quadrados. Para os irmãos que vão vê-la, minha inveja. Vi só pela TV e impressiona.

sábado, 17 de maio de 2008

[ Speed Racer ]

Como eu falei esta semana, fui assistir ao filme Speed Racer. Trata-se de um desenho japonês sobre corrida de carros, criado em 1960 e que fez muito sucesso nas duas décadas seguintes. Um jovem de 18 anos corre com o seu carro Mach 5, criado por seu pai Pops Racer, em corridas que lembra muito o desenho “Corrida Maluca”, onde os carros possuem armadilhas que visam tirar o outro da pista. Racer tem a ajuda periódica do misterioso Corredor X, além de sua namorada Trixie (no desenho eles nunca se beijam, sempre acontece alguma coisa) e do seu irmão caçula Gorducho (o preferido de todos) que dá o tom da comédia para o desenho, sempre se metendo em confusão com seu chimpanzé de estimação Zequinha, onde no final, acaba salvando sua família de enrascadas. O filme é fiel ao desenho, por si só, já vale à pena.

Na verdade, eu tinha visto o trailer no cinema e não me empolguei tanto, mas como Speed foi um dos meus desenhos preferidos da infância, fui conferir para ver se tinha um revival em minha mente. É bom? Bem, depende de qual público você se encaixa:

:: Tem mais de 30 anos e foi fã do desenho nos anos 70/80.

Ao contrário da meninada de hoje que exige que os personagens dos quadrinhos sejam iguais no cinema, você já é maduro e está mais para admirar a nova tecnologia do que qualquer outra coisa. Vai gostar do filme apesar do Speed Racer ser americano, e não japonês. Do ponto de vista da história e dos personagens, ele é fidelíssimo. O ruim é que os diretores Wachowski criaram o filme com muitas cores e esqueceu do principal, a trilha sonora, que dava o tom do desenho. A mistura de atores de carne e osso com animação, em algumas cenas não dão certo, fazendo o filme parecer inverossímil, mas a ação rápida consegue mantê-lo até o fim. Pesquenos detalhes não foram esquecidos: as confusões de Gorducho e Zequinha que nunca das cenas acaba “salvando” sua família, as cenas onde aparece eles lutando como se fosse um vídeo game, além do famoso grito Vai Speed Racer, Vai que o tornou lendário.

:: Tem menos de 25 anos e nunca assistiu Speed Racer em desenho animado

Não, vá. Você odiar o filme. Sem conhecer o desenho e suas características, vai achar o filme todo muito irreal e fantasioso. O filme tem muitas cenas que imitam o desenho, que para acontecer na vida real do cinema, precisou algumas cenas com animação. As cenas dos carros durante a corrida, parecem carrinho de brinquedo (e na verdade são mesmo), mas dificilmente carros de verdade conseguiriam aquele efeito que lembrasse exatamente como era nos desenhos. Por isso, não vá, a não ser que você tenha que levar alguém que se aplica a terceira categoria...

:: Crianças que nunca assistiram Speed Racer

Apesar de nunca saber quem foi o grande corredor do Mach 5, muitas crianças vão adorar assistir o filme. A produção fez um filme cheio de luzes e de cores, que lembram muito um desenho animado. As cenas de corrida prendem a atenção e, além disso, Gorducho e Zequinha sempre conseguem arrancar risadas deles. Tinha um que não parava de rir ao meu lado.


sexta-feira, 16 de maio de 2008

[ Eu aprendi a detestar o MSN ]

Há algum tempo, alguns amigos vivem reclamando que sumi da internet. Por que? Nunca mais me viram no MSN, como se entrar nele fosse parte integrante obrigatória quando se acessa a internet. Alguns, sensíveis, vão mais longe: dizem que os bloqueei e até se magoam com isso. Não, pessoas. Eu simplesmente nunca mais entrei no MSN mesmo!

Hoje, recebi por e-mail, um texto supostamente atribuído a Arnaldo Jabor, que fala do seu ódio ao MSN. Engraçado, porque até então eu tinha chagado a conclusão que o MSN já não tinha mais graça. Mas depois de ler o texto do Jabor, dei um significado novo a minha recente antipatia ao MSN. Não tenho mais saco mesmo.

Caso tenha paciência de ler, transcrevo a seguir o texto integral. Tudo que ele diz é a mais pura verdade ou será que apenas implicância de gente velha, não-antenada? Digam por si mesmo:

---===---



'Sempre odiei o que a maioria das pessoas fazem com os seus MSN's. Não estou falando desta vez dos emoticons insuportáveis que transformaram a leitura em um jogo de decodificação, mas as declarações de amor, saudades, empolgação traduzidas através do nick.

O espaço 'nome' foi criado pela Microsoft para que você digite O NOME que lhe foi dado no batismo. Assim seus amigos aparecem de forma ordenada e você não tem que ficar clicando em cima dos mesmos pra descobrir que 'Vendo Abadá do Chiclete e Ivete' é na verdade Tiago Carvalho, ou 'Ainda te amo Pedro Henrique' é o MSN de Marcela Cordeiro. Mas a melhor parte da brincadeira é que normalmente o nick diz muito sobre o estado de espírito e perfil da pessoa. Portanto, toda vez que você encontrar um nick desses por aí, pare para analisar que você já saberá tudo sobre a pessoa...

'A-M-I-G-A-S o fim de semana foi perfeito!!!' acabou de entrar. Essa com certeza, assim como as amigas piriguetes (perigosas), terminou o namoro e está encalhadona. Uma semana antes estava com o nick 'O fim de semana promete'. Quer mostrar pro ex e pros peguetes (perigosos) que tem vida própria, mas a única coisa que fez no fim de semana foi encher o rabo de Balalaika, Baikal e Velho Barreiro e beijar umas bocas repetidas. O pior é que você conhece o casal e está no meio desse 'tiroteio', já que o ex dela é também conhecido seu, entra com o nick 'Hoje tem mais balada!', tentando impressionar seus amigos e amigas e as novas presas de sua mira, de que sua vida está mais do que movimentada, além de tentar fazer raiva na ex.

'Polly em NY' acabou de entrar. Essa com certeza quer que todos saibam que ela está em uma viagem bacana. Tanto que em breve colocará uma foto da 5ª Avenida no Orkut com a legenda 'Eu em Nova York'. Por que ninguém bota no Orkut foto de uma viagem feita a Praia-Grande - SP ?

'Quando Deus te desenhou ele tava namorando' acabou de entrar. Essa pessoa provavelmente não tem nenhuma criatividade, gosto musical e interesse por cultura. Só ouve o que está na moda e mais tocada nas paradas de sucesso. Normalmente coloca trechos como 'Diga que valeuuu' ou 'O Asa Arreia' na época do carnaval.

'Por que a vida faz isso comigo?' acabou de entrar. Quando essa pessoa entrar bloqueie imediatamente. Está depressiva porque tomou um pé na bunda e irá te chamar pra ficar falando sobre o ex.

'Maria Paula ocupada prá c**' acabou de entrar. Se está ocupada prá c**, por que entrou cara-pálida? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar, puxe papo só pra resenhar; ela não vai resistir à janelinha azul piscando na telinha e vai mandar o trabalho pro espaço. Com certeza.

'Paulão, quero você acima de tudo' acabou de entrar. Se ama compre um apartamento e vá morar com ele. Uma dica: Mulher adora disputar com as amigas. Quanto mais você mostrar que o tal do Paulão é tudo de bom, maiores são as chances de você ter o olho furado pelas sua amigas piriguetes (perigosas).

'Marizinha no banho' acabou de entrar. Essa não consegue mais desgrudar do MSN. Até quando vai beber água troca seu nick para 'Marizinha bebendo água'. Ganhou do pai um laptop pra usar enquanto estiver no banheiro, mas nunca tem coragem de colocar o nick 'Marizinha matriculando o moleque na natação'.

' < . ººº< . ººº< / @ || e $ $ ! || |-| @ >ªªª . >ªªª >' acabou de entrar.
Essa aí acha que seu nome é o Código da Vinci pronto a ser decodificado.
Cuidado ao conversar: ela pode dizer 'q vc eh mtu déixxx, q gosta di vc mtuXXX, ti mandá um bjuXX'.

'Galinha que persegue pato morre afogada' acabou de entrar. Essa ai tomou um zig e está doida pra dar uma coça na piriguete que tá dando em cima do seu ex. Quando está de bem com a vida, costuma usar outros nicks-provérbios de Dalai Lama, Lair de Souza e cia.

'VENDO ingressos para a Chopada, Camarote Vivo Festival de Verão, ABADÁ DO EVA, Bonfim Light, bate-volta da vaquejada de Serrinha e LP' acabou de entrar. Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e acha que a janelinha de 200 x 115 pixels que sobe no meu computador é espaço publicitário.

'Me pegue pelos cabelos, sinta meu cheiro, me jogue pelo ar, me leve pro seu banheiro...' acabou de entrar. Sempre usa um provérbio, trecho de música ou nick sedutores. Adora usar trechos de funk ou pagode com duplo sentido. Está há 6 meses sem dar um tapa na macaca e está doida prá arrumar alguém pra fazer o servicinho.

'Danny Bananinha' acabou de entrar. Quer de qualquer jeito emplacar um apelido para si própria, mas todos insistem em lhe chamar de Melecão, sua alcunha de escola. Adora se comparar a celebridades gostosas, botar fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa. Quer ser famosa. Mas não chegará nem a figurante do Linha Direta.

Bom é isso, se quiserem escrever alguma mensagem, declaração ou qualquer coisa do tipo, tem o campo certo em opções 'digitem uma mensagem pessoal para que seus contatos a vejam' ou melhor, fica bem embaixo do campo do nome!! Vamos facilitar!!!!'


terça-feira, 13 de maio de 2008

[ 109 anos de Amor & Paixão ]




Em 13 de maio de 1899, um grupo de aristocratas se reuniam num clube no Corredor da Vitória, em Salvador, para criar um time de futebol que pudesse disputar com alguns times de futebol recém criado no sul do país. Nascia ali, o Sport Club Victória de Football.

Durante muito tempo o clube se tornou referencia da elite baiana, até se popularizar em 1910 e dar maior projeção ao esporte mais popular do inicio do século passado, o Remo.

O futebol do Vitória foi deixado de lado como amador até 1956 quando decidiu novamente disputar o campeonato nacional e virou ESPORTE CLUBE VITÓRIA.

Amo esse time desde os meus 9 anos, quando herdei a paixão de meu pai. Ele me levava aos estádios e tive o privilégio de acompanhar etapa por etapa a construção do Estádio Barradão.

Não temos grandes títulos de expressão, não temos tantas estrelas, pode ser que nunca ganhemos um título importante, mas a paixão e o amor serão sempre intensos. Não sou torcedor de "time que ganha" ou "torcedor da moda". Para mim, futebol é parte de sua personalidade e cultura. Por isso, assim como meu pai, eu serei Vitória até morrer... ou além da morte.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

[ Os fãs mandam... ]

No inicio deste milênio, desta década, ou simplesmente, nos anos 2000, o cinema americano começou a utilizar os heróis dos quadrinhos para fazer produções. Mas eles cometiam um erro gravíssimo: não levava em consideração os fãs que acompanhavam religiosamente a "vida" desses heróis nos quadrinhos e criavam para o cinema versões absurdas e ridículas.

Exemplos? A Liga Extraordinária, todos os filmes do Batman antes de "Batman Begins" em 2006, He-Man e os Mestres do Universo, entre outros. Joel Schumacer chegou a declarar uma vez: "Que eles fiquem nos quadrinhos, aqui fazemos o que achamos melhor". Os sucessivos fracassos e o sucesso extraordinário de Homem Aranha (bastante fiel a história original) mostrou que eles não eram donos do pedaço. Resultado? Agora a maioria dos filmes adaptados são filmados detalhadamente conforme as histórias originais.

Filmes que foram fieis, se tornaram sucesso de bilheteria:

- Homem Aranha 1 e 2 (O Homem Aranha 3 inventou uma história sem sentido para explicar o uniforme negro e curiosamente foi o que menos fez sucesso).
- Quarteto Fantástico
- Hulk
- Blade 1 e 2 (esqueça Blade Trinity que não tem nada haver com a história original).
- HellBoy
- Batman Begins (Apesar de algumas explicações estapafúrdia, agradou aos fãs por torná-lo real, menos fantasioso e infantil).

=====



Semana passada, fui aproveitar minhas férias para curtir dois novos filmes de super heróis:

Homem de Ferro

Eu nunca fui muito fã de Tony Stark e sua armadura, mas na década de 80, quando ele resolveu entrar para equipe Marvel dos Vingadores, eu acabei acompanhando algumas de suas histórias. No cinema, o filme ficou muito legal: a armadura é espetacular e Robert Downey Jr. surpreende como o milionário. A história foi bastante fiel ao original, apenas como já era de se esperar, mudaram-se os inimigos: em vez de ser preso por vietcongues ele é preso por guerrilheiros árabes, e o professor chinês Yin Sen agora é um professor afegão. O resto é o mesmo. Cenas de muita ação (ainda não me acostumei com cenas de guerra sem sangue na tela, mas é para o bem das crianças, né?) e ótimos efeitos visuais.

Dica: Não saia do cinema quando começar a surgir as letras. Fique até o final...


=====


Speed Racer

Vou assistir hoje. Mas pelo que já vi no trailler, está igualzinho ao original. Inclusive o Zezinho e o chimpanzé.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

[ Estudo de Livro! ]

Eu sou um visionário! Há mais ou menos um mês disse para Moisés, um ancião de minha congregação:

- Jeová me perdoe, mas Estudo de Livro é um teste de paciência. Os irmãos, quando vão, é com cara de obrigação, parece um fardo. As irmãs nem se arrumam direito, vão de chinelo ou sandálias e quando comentam, parece um festival do soletrando. O bom seria se fossem todos no Salão do Reino.

O Escravo fez melhor! Simplesmente aboliu o Estudo de Livro de Congregação. E para não dizer que estou errado, basta a expressão "...não queremos adicionar fardo adicional..." e "...tomar medidas para aliviar sua carga por fazer ajustes na programação semanal das reuniões congregacionais..." utilizada na carta do Corpo Governante lida na congregação.

Particularmente, achei a melhor notícia desde o ajuste para transformar A Sentinela numa revista para o público não-Testemunha de Jeová. Engraçado é que assim como atualmente, naquela época eu também fazia afirmações de que não gostava de oferecê-la no Serviço de Campo, porque achava-a de difícil interpretação para quem não era Cristão. Só faltaram me bater na época! Comedido, fiz meu comentário sobre o Estudo de Livro apenas a um ancião de confiança.

Bravo! A resposta de Jeová veio rapidíssima!