sábado, 28 de junho de 2008

[Venha para CAIXA você também...]

Amanhã é o grande dia.
Estarei apenas preocupado com o meu passaporte para a Caixa.







VEM

quinta-feira, 26 de junho de 2008

[Jah! Rastafari?]

Estava eu com um grupo de irmãos numa festa e logo chega um carro tocando "Jerusalem" de Alpha Blondy. Em determinado momento alguém solta uma pérola:

- O bom do reggae é que ele fala em Jeová. Jah Jeová!

Em tempos de Google e Wikipédia, as pessoas se dão o luxo de serem desinformadas? O "Jah" deles nada tem a ver com nosso Deus Jeová. Pelo menos, não do mesmo jeito.

Na visão do Rastafari - religião jamaicana criada nos anos 30 por trabalhadores - Deus (Jah) reencarnou na terra na pessoa de Hailê Selassiê I, imperador da Etiópia, seguindo uma interpretação absurda das Escrituras Hebraicas, no que se refere aos descendentes de Cuz, filho "negro" de Noé. Cuz deu origem aos cananaeus, que habitaram o sul da Europa e ajudaram a formar as nações africanas.

Desta forma, quando Bob Marley - e todas as outras bandas de reggae - falam de Jah, está se referindo a este "deus" que um dia tornaria os negros uma nação forte.

Definitivamente nada tem haver com nosso Deus amoroso e poderoso que um dia "se elevará acima dos morros, e a ele terão de fluir todas as nações". (Isa 2:2-4).

terça-feira, 24 de junho de 2008

[Salada de Frutas Indigesta]

Eu sou homem totalmente heterosexual com direito a tudo aquilo que a testosterona possa me dar. Não tenho a menor chance de gostar de outra coisa que não seja a bela criatura, presente de Jeová aos homens, extraído de sua própria costela, chamada mulher. E como Visual que sou, claro, que gosto de ver uma mulher bonita fisicamente. Mas tudo tem limites!

Eu ligo a TV – num dos raros momentos que faço isso – e num programa da Luciana “Anta” Gimenez ouço um cantor (?) de funk vomitando um som e rimas abomináveis e uma morena rebolativa que logo descubro ser a Mulher-Melão.

Ela poderia ser linda, eu até poderia quebrar o pescoço se a visse passando na rua, mas naquele momento ela parecia uma mulherzinha vulgar dançando um canção tosca exibindo um par de silicone digno de um escárnio.

Logo depois descubro que ela não está só: tem a Mulher Melancia, Mulher Moranguinho e a Mulher Jaca. É a salada de frutas completa. Putz! Além disso ainda tem a sobrinha da Gretchen, que apesar dos seus micro-shorts, micro-blusas em cima do seu macro-corpo, se diz virgem e românticamente pura.

Todas rebolativas, sorrindo para cama, com aquele olhar de “vem me pegar”. (O “pegar” foi um eufemismo, tá?)

O que será que vem depois? Quais as frutas ainda virão? Quantas meninas virgens ainda surgirão para venderem seus corpos em programas onde pessoas de mente tacanha para assistir e dar atenção? O mundo ficou tão patético assim?

Me lembra uma prostituta, que uma vez presa por seu trabalho, deu a seguinte declaração a um repórter do DF-TV: “...a diferença entre mim e elas é que eu não sou celebridade”.

Sad but true!

sábado, 21 de junho de 2008

[Cesgranrio é uma porcaria]

Com relação a empresas promotora de concursos, eu tenho de admitir que a CESPE é a melhor no quesito organização. A Cesgranrio, responsável pelo concurso da CAIXA, é horrível.

Desde o inicio do mês estou tentando entrar em contato com eles, e não recebo sequer uma mensagem automática me dando um retorno. Os milhões que eles estão ganhando não lhe dão o trabalho de se preocupar comigo.

Fiz o pagamento da taxa de inscrição por meio do Internet Banking. Copiei a página do comprovante e como não podemos imprimir coisas particulares nas impressoras da Caixa Econômica, salvei no micro para para fazê-lo depois. Mas também, como acontece muito, o meu micro travou e teve que ser formatado. Resultado: perdi o comprovante de inscrição.

Com relação ao pagamento, no problem, pois tenho o extrato pago. Mas como confirmar a inscrição e lugar da realização da prova? No CESPE, de posso do CPF e de uma senha, isso é fácil. Mas na desorganizada Cesgranrio, você só faz isso de posso do número de inscrição.

Dizem que a partir do dia 25 será possível pesquisar pelo "Nome e Sobrenome". Espero, pois tenho um advogado sedento por causas assim, não só que possa trazer-lhe dividendos, mas principalmente, destaque.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

[ Vizinhança ]

Aqui em Brasília, tudo é subdividido em setores.




Eu diria que acima é o Setor Bancário!

terça-feira, 17 de junho de 2008

[ Dormência ]

Há algumas semanas que tenho a mesma sensação. Não vou falar de coisas tristes, não vou desfiar medos, angústias, traumas, frustrações ou premonições, muito menos alegrias, vitórias ou conquistas. Só vou falar de uma reação física, corpo mesmo, que costuma acompanhar tudo isso.

Simplesmente um formigamento nas costas na altura do omoplata esquerda. Um formigamento estranho que começa devagar e depois dá uma sensação de anestesia total. As vezes eu passo a mão ou dou umas porradas com a mão porque é agoniante. Mas só sinto quando estou sentado, especialmente, nesta cadeira que estou agora em frente ao meu computador. Parece uma coceira na parte interna da pele, como se alguém fizesse cócegas por sob a epiderme. E não adianta coçar, esfregar, não passa enquanto eu não deitar ou andar.

Já procurei na internet e as referências a dormência sempre são por problemas coronários, mas em outras partes do corpo. Não nas costas, na omoplata.

Será que é coração? Será que ele já não está mais aguentando meu excesso de tristeza, demência, tédio e frustrações? Vai saber!

sábado, 14 de junho de 2008

[ Cespe Picareta ]

Passei no concurso do Banco do Brasil. Oba!

Oba, uma ova... fiz 52 pontos e em 5662º lugar. Tudo isso por causa de uma política ridícula desta empresa - a mesma que há alguns anos foi envolvida na máfia dos concursos, a mesma do reitor da lixeira de mil reais - que pune as pessoas que estão ali em busca de um espaço ao sol.

Foram 150 questões. Se 52 pontos foram válidos, significa que 98 questões voram invalidadas. Numa soma simples, valendo a política de 1 questão errada anula uma questão certa, chegamos ao número de 49 questões certas anuladas. 49+52 = 101 questões que eu acertei, sejam por conhecimento, sejam por chute. É um absurdo!

Com 101 questões entre as 150, significa que acertei 68% da prova. Tudo bem, eu não queria fazer parte mesmo do Banco do Brasil. O que me alegra é que se eu manter o ritmo e acertar a mesma porcentagem na prova da CAIXA, já posso preparar para ser funcionário público este ano, com fé em Jeová.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

[Futebol vai bem...]

Na sexta... Ponte Preta 1 x 2 GAMA.
No sábado... PORTUGAL 2 x 0 Turquia.
No domingo... VITÓRIA 1 x 0 Santos.




[ Promoção é na Star? ]

Há uma casa de eletrodomésticos popular aqui em Brasília e região do Goiás, chamada STAR MÓVEIS. Esta semana um anuncio na televisão me surpreendeu:


Computador de 512 mega e HD de 80 por apenas 499 reais!!!


Eu fiquei animado e até pensei em trocar minha carroça por um micro novo. Quando chego na loja a surpresa não poderia ser maior ainda.

- Esse preço é sem o monitor.
- Ué... mas sem monitor não é um computador.
- Não senhor, se observar aqui no encarte, há a informação sobre isso.
- Ahh... cadê o órgão que fiscaliza a propaganda enganosa?


==========================================


Depois dessa resolvi vender algumas coisas também:


:: Carro zero, saído da fabrica por apenas R$ 10.000,00

(* Sem motor e sem as rodas)

:: Celular com MP3, Câmera VGA integrada e bluetooth.

(* Ela só não liga e nem recebe ligações).

:: Refrigerador Brastemp, cromada, última geração por apenas R$ 200,00

(*Ela só não refrigera)

sábado, 7 de junho de 2008

[ Depressão ]




“Isso é frescura!”

“Coisa de gente fraca”

“Tira uma carta de pioneiro, que isso passa!”





Quem, que sofre de depressão, seja ela profunda ou superficial, nunca ouviu uma frase dessa? Eu já ouvi tantas vezes – incluindo em algumas crises descritas neste blog – que já perdi as contas. A depressão sempre era associado à uma problema trivial, “frescura” ou fraqueza espiritual. Vale frisar, que não foi por falta de aviso, mas simplesmente por causa de um paradigma que de vez em quando surge entre nós.


A primeira vez que o Escravo citou a depressão como doença foi na década de 70, mais precisamente num artigo de A Sentinela intitulado “Alivio da Depressão” de 1º de novembro de 1971. Quatro depois, num artigo “Depressão – Por que aflige milhões?”, já se demonstrava preocupação com o assunto. Na década de 90 veio a Globalização, e com ela a concorrência gerada pelo capitalismo. Enquanto muitos conseguiam o sucesso profissional, outras caiam no limbo, numa espécie de “Seleção Natural Darwiniana” para o mundo dos negócios e das ações na bolsa. Os que ficavam para trás, caíam no desespero e na frustração, mesmo que o fracasso fosse apenas uma diferença de milhares no lucro de milhões. Como num efeito dominó, a Depressão acabou contaminando as pessoas comuns, até se tornar na doença alarmante que conhecemos hoje.


Hoje em dia a depressão pode vir de vários motivos. Há a depressão física, que é mais grave e tem que ser tratada por especialistas, e a chamada “depressão mental”, causadas por fatores como baixa auto estima, frustração, decepção e humilhação de terceiros. Coisas que em pequena quantidade são passageiros, mas que com o passar do tempo, sua freqüência acaba se tornando depressão. Infelizmente, nestes casos, a maioria das pessoas tratam como se fossem “frescura”.


Esta semana todos nós tivemos uma abordagem sobre depressão graças à uma carta enviada às congregações para serem consideradas em “Necessidades Locais”. Gostei da abordagem, digamos, específica. Alertou para os demais que a depressão é um caso sério e precisa ser tratado com carinho e amor. Não se trata de fraqueza espiritual, como se “tirar uma carta de pioneiro” resolvesse todos os problemas. Pense nisso, quando lembrar que milhares de pessoas já se suicidaram física ou espiritualmente, porque ser considerada fraca ou fresca por aqueles que deveriam ajudar.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

[É brincadeira...]

Depois dessa "carta-sequestro", só faltam inventar a "conta para depósito do sequestro".




http://strix.org.uk/ramson

quarta-feira, 4 de junho de 2008

[Vênus Platinada Mecânica]



Em solidariedade ao Náutico e a torcida pernambucana.








Somos um país de tolos...