sexta-feira, 29 de agosto de 2008

[ Jesus Cristo segundo Galileu ]


Renovei pela quarta vez minha assinatura da Revista Época e como mimo ganhei de brinde a assinatura da revista Galileu. Para variar, a primeira revista que recebo é sobre Jesus Cristo. Geralmente os assuntos destas revistas sempre é polêmico, mas Galileu surpreendeu. Informações vagas sempre resumidas a “...segundo os historiadores” ou “...segundo os especialistas”, sem ao menos dizer quando, quem e aonde.

Para começar, alegam que Jesus na verdade seria analfabeto. Qual o argumento utilizado? O fato dele não ter escrevido um livro sequer. Meu Deus! Sou analfabeto também ou será que blog vale? Depois afirmam que Jesus nasceu em Nazaré, não em Belém, desconsiderando totalmente a narrativa dos evangelhos, que mostra inclusive a rejeição dos seus contemporâneos, entre outras, por ele não ser natural daquela cidade.

Outra barbaridade: Jesus morreu na “cruz” mas não teve sepultamento; ficou lá para que os abutres ou corvos comessem os seus restos mortais! A justificativa tosca é que simplesmente naquela época apenas os ricos tinham esse benefício. Então argumentam que José de Arimatéia foi “criado” pelos autores dos evangelhos (ah, e segundo a revista Mateus, Lucas, Marcos e João não foram os reais autores) para justificar o enterro de Jesus, que segundo eles, não ocorreu. Quem disse isso? Os tais historiadores. Quem, quando e aonde?

Mas nem tudo está perdido. Algumas “descobertas” batem com o que as escrituras ensinam sobre Jesus, que a cristandade ignora. Estes historiadores acertam quando dizem que Jesus não fazia milagres apenas por fazer ou como mera bondade e compaixão. O contexto mostra que os milagres de Jesus tinham como objetivo demonstrar o que o Reino de Deus faria pela humanidade num futuro. (Bingo!)

Afirmam também que Jesus não tinha vindo inicialmente para salvar a todos em geral, mas sua pregação direcionava apenas aos judeus, e por causa da rejeição destes, a oportunidade foram abertas para povos de outras nações, os gentios. Desdenham da afirmação de que Maria teria ficado virgem para sempre e afirmam que possivelmente Jesus teve irmãos carnais. Descarta a possibilidade de Jesus ter tido relacionamento com alguma mulher, inclusive Maria Madalena, e que, conforme dizem alguns críticos, Jesus nunca teria existido, se tratando apenas de um mito criado pela igreja para seduzir fies ao longo do século.

De resto, apenas declarações típicas de quem não possuem a fé cristã, o que não podemos cobrar de historiadores e cientistas, na sua maioria incrédulos ou ateus. Para explicar porque Jesus escolheu Judas Iscariotes como apóstolo, porque ele foi batizado por João já que não tinha pecados ou porque ele achou que havia sido abandonado por seu Pai quando preso na estaca, basta apenas eles lerem o livro Conhecimento.

No entanto, apesar de tudo, isso bastou para que eu pedisse o cancelamento da assinatura da revista Galileu. Claro que a vida de Cristo se traduz um mistério para estudiosos e pessoas sem fé, mas estabelecer que estas afirmações baseadas em conjecturas e teorias são verdades absolutas, é no mínimo uma agressão à inteligência do leitor.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

[Síndrome de Asperger]

A Despertai! de setembro traz uma matéria interessante sobre a Síndrome de Asperger, que geralmente é relacionada ao autismo. Eu já tinha lido sobre ela, mas com outro enfoque, claro, na revista Seleções Digest, e graças as minhas manias hipocondríacas, cheguei a achar que eu também era portador deste distúrbio.

Eu sempre me achei uma pessoa difícil de me relacionar, embora Sebastião, um ancião maravilhoso de Salvador, me chame de “diplomático” por saber lidar com pessoas falsas sem ser agressivo. Eu conseguia angariar antipatias na mesma proporção que conseguia amizades sinceras. Eu sempre fui bom em manipular as pessoas, me dava uma impressão de ter muitos amigos, mas na verdade eu estava apenas exercendo liderança, uma característica que possuo muito bem e uso bastante quando quero, principalmente no âmbito profissional.

Eu sempre era do contra, sempre emitia opiniões não muito populares, sempre odiei os paradigmas e as demagogias, de modo que eu nunca era necessariamente aquela pessoa popular. Meus grandes e íntimos amigos eram contados nos dedos. A maioria eram colegas manipuláveis e quando eu não conseguia moldar sua forma de pensar, perdia o interesse.

Mais tarde, como Testemunha isso me causou alguns aborrecimentos, porque eu tinha a verdade, e para mim, se inculcar uma verdade é tão fácil nas pessoas, ainda mais se eu usasse meu poder de manipulação. Logo depois dois estudantes meus chegaram ao batismo, mas um deles logo depois caiu na inatividade. Fui lá, como todo instrutor deve fazer, e ele me disse: “- Eu tenho de ser Testemunha por amor a Jeová, não por você. Não tente me manipular novamente, me dê um tempo”. Isso foi um banho de água fria!

As boas novas não é algo que se inculca nas pessoas por manipulação, ou por métodos especiais ou por oratória emocional. A verdade é inculcada apenas pelo espírito santo de Deus àqueles que são atraídos por Ele. Não se pode forçar as pessoas, ou manipula-las de forma que ela se sinta culpada ou motivada apenas por desejos pessoais ou ambições materialistas. Convence-se pela verdade, não por presentes.

O que isso tem haver com a Síndrome de Asperger? Nada... necessariamente. Este estudante, que por sinal não tinha notícias dele há mais de 10 anos, simplesmente voltou à Organização desde 2002, casou com uma irmã e vive muito bem com ela.

Hoje eles tem um filho de 2 anos.

Autista.

sábado, 23 de agosto de 2008

[Pai]


Uma das melhores coisas ao retornar à casa de mainha foi rever algumas fotos antigas. As que mais me emocionaram foram aquelas em que eu aparecia com meu pai. Para os que eu ainda não contei, meu pai faleceu enquanto eu ainda tinha 10 anos. Foi um mal para o bem, pois foi justamente a morte de meu pai que atraiu a mim e a minha família para as promessas de Jeová sobre a ressurreição, e conseqüentemente, à sua Organização.

Hoje ele é um dos principais motivos que ainda me apego a Organização, apesar das pressões deste mundo e de alguns "superfinos apóstolos".

Poder vê-lo me carregar novamente no colo. Um sonho realizável!






“Digo-vos em toda a verdade:
Vem a hora, e agora é,
em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus,
e os que tiverem dado ouvidos viverão.

João 5:25

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

[ Salvador em 8 dias ]

:: Sábado, dia 09.


Chegamos em Salvador às 13:10 horas. Dia parcialmente nublado, sol quente, chegamos na casa de minha mãe às 13:40 horas. Levei as meninas para conhecer a praia da Barra, Porto da Barra e logo depois rumamos para o Centro Histórico para conhecer o Pelourinho, Praça da Sé, Praça Castro Alves, Elevador Lacerda, Mercado Modelo e afins.

:: Domingo, dia 10.


Campo de manhã e Barradão à tarde. Vitória 5 x 0 Vasco. Depois de tantos anos fora, não seria justamente no dia que eu iria para o Barradão que o meu time iria perder.

:: Segunda-feira, dia 11.


Praia de Piatã, com acarajé e abará cortado no prazo regado a uma Brahma bem gelada. Chegamos às 09:00 horas com o dia um pouco nublado, o sol aparecendo e depois sumindo, mas que para as meninas que nunca tinham visto praia antes, pouco importava. Às 15 horas subimos para a lagoa do Abaeté com suas águas negras e dunas de areias bem brancas fazendo um contraste lindo. Só saímos porque as 17:00 a chuva caiu de vez!

:: Terça-feira, dia 12.


Hora de conhecer a Baía de Todos os Santos e sua maior ilha, a Ilha de Itaparica. As meninas que nunca tinham visto praia, foram ao delírio ao atravessar o “marzão” de Ferry Boat. O sol ainda teimava em não aparecer completamente e por causa disso, a ilha estava quase vazia, salvo alguns turistas alemães e africanos que nos fizeram companhia no almoço em frente ao mar no único restante que abriu. À noite foi o discurso de minha sobrinha de 8 anos na Escola do Ministério Teocrático.

:: Quarta-feira, dia 13.


Dia comum. Para não ficar em casa, fomos conhecer o recém inaugurado e belíssimo Shopping Salvador. Apesar da beleza, da grandeza e da “chiqueza”, o velho Shopping Iguatemi ainda é o melhor. Fomos para lá comer Big Mac e brincar no Playland.

:: Quinta-feira, dia 14.


Fomos conhecer o clube hotel do SESC. Enquanto os clubes do SESC de Brasília cobram R$ 7,00 a entrada, em Salvador são de graça. Enquanto o almoço em Brasília custa R$ 4,00, em Salvador é apenas R$ 2,60. Incrível. Ficamos o dia todo no clube apesar de que o tempo ainda persistia em ficar nublado a parcialmente nublado.

:: Sexta-feira, dia 15.


Dia de rever o centro da cidade. Mais uma vez fomos no Pelourinho tirar mais fotos e fazer trancinhas. Passamos na “25 de março” baiana, a Avenida Baixa dos Sapateiros, onde as meninas se surpreenderam ao encontrar vestidos e roupas básicas por até R$ 2,00! Isso mesmo, dois reaus. Revelamos as fotos, passeamos pelo Shopping Lapa e Shopping Piedade e depois retornamos para casa.

:: Sábado, dia 16.


Dia de despedida. Mas curiosamente as meninas preferiram ir para o Clube do SESC do que ia à praia. Meu bolso agradeceu, afinal almoço a R$ 2,60 e cerveja a R$ 1,50 é a melhor coisa que um turista poderia querer.

:: Domingo, dia 17.


Retorno à Brasília. Chegamos às 15 horas com gostinho de quero mais e desespero por saber que na segunda-feira a vida voltava à velha e chata rotina de sempre.


Amém, vem [logo] Senhor Jesus! - Revelação 22:20

domingo, 17 de agosto de 2008

[Foi por medo de avião...]


Depois de oito dias de descansos merecidos em Salvador, retornei hoje para Brasília. Estou exausto, mas ao mesmo tempo aliviado, pois estava precisando dessas folgas. Uma coisa é ir sozinho, onde a viagem nada mais parece do que um reencontro de amigos e familiares.

Mas dessa vez fui com minha noiva e sua filha (que conseqüentemente, se torna minha filha também). Como acompanhante e guia turístico forçado, curtir minha cidade também como turista. Centro Histórico, Pelourinho, Lagoa do Abaeté, Praia de Piatã, Jaguaribe, Placafor, Itapuâ, Barra, Porto da Barra, piscina do SESC, ilha de Itaparica, ilha de Maré, enfim, tudo tem outro sentido quando se vai com olhos de turista.

A única coisa que não me acostumei ainda é viajar de avião. No início achava que era frouxidão de principiante, mas após 6 vôos (não sei se isso é uma boa média), descubro que meu medo é crônico e nunca vai se acostumar. Na verdade, meu grande problema com aviões é com a aterrissagem. Não tenho medo da decolagem e nem na tranqüilidade quando se chega lá em cima, mas basta o comandante dizer que vamos aterrissar, eu entro em desespero. Meu coração vai à mil em cada solavanco causado pelas correntes de ar ou “curvas” que o avião faz para acertar o caminho da pista de pouso.

Enfim, fora isso (que causou várias e repetidas orações à Jeová ao ponto de minha noiva achar que eu já estava ficando doido), a viagem correu tranqüilamente.

Amanhã é segunda-feira e voltam-se os dias normais.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

[Eu sou uma música do Radiohead]

Uma não. Eu sou várias desde "creed", passando por "Nice Dream" e "Iron Lung" e chegando com "Paranoid Android".

Não é à toa que "All I Need" é a música que toca como despertador do meu celular. Eu olho o dia e penso: será que tudo isso existe? Será que é real ou somos parte de uma matrix? Danem-se os agnósticos e os ateus. Eu amo o meu Deus!

Horrível sapiência. Péssimos paradigmas. Não tomei meu remédio hoje. Não quero culpá-la, mas a culpa é toda sua.


"You are all I need
You are all I need
I'm in the middle of your picture
Lying in the reeds

It's all wrong
It's all right
It's all wrong"

terça-feira, 5 de agosto de 2008

[ Nas garras da patrulha ]

Se você tem uma antena parabólica, ou mora num prédio que possui uma coletiva, já deve conhecer a emissora cearense chamada TV Diário. Com toda sua programação 100% do Ceará, e sendo este Estado o berço dos humoristas do Brasil, não precisa dizer que esta emissoras tem programas que nos faz rir, seja pelo conteúdo estritamente cômico ou pelos programas mambembes.

Mas um dos programas mais interessantes é o Nas garras da Patrulha, que nada mais é do que um programa humorístico feito apenas por bonecos. O programa tem vários personagens que parodia programas esportivos, policiais, telecursinhos, rappers, entre outros.

O programa diverte muito, principalmente pelos personagens e seus sotaques ciarenses típicos. Se você não tem antena parabólica, pode assistir alguns quadros direto da internet.

www.garrasdapatrulha.com.br



sábado, 2 de agosto de 2008

[Sozinho]


Começa assim...

A morbidez acalentando a noite

pisando leve os passos da esperança.

E é quando sonâmbulos seres

se procuram e não se encontram,

que o silêncio se transforma

em grito surdo e cortante

no íntimo destes seres...

E o sofrimento a nascer...

O nada é mais visível...

Penetrante inquietação arvora,

da pele...

Busca inconstante que se parte

Num momento qualquer da vida

quando o eco da procura

encontra resistência no futuro.

E o tempo engole impiedoso

noites e noites sempre iguais

de incontestável solidão!

Já não se pode voltar

não há marcas no caminho.

E a morbidez aumenta...

Perde-se então no esquecimento

... e na caracterização...


Termina assim.



---- = = ----
Terezinha Pehabe