quarta-feira, 24 de setembro de 2008

[ Caldinho de Miojo ]


Um dos grandes problemas de se morar sozinho e não saber cozinhar direito é quando a fome bate na madrugada e você não está muito a fim de pedir um hambuguer ou pizza pelo telefone. O jeito é apelar para coisas simples. E neste quesito não existe nada mais simples que Nissin Miojo.




Já houve uma fase de minha vida que eu comia miojo por que era a única opção que meu bolso me dava. Em vez de lamentar e sentir pena de mim mesmo, eu levada na brincadeira. Eu era a única pessoa que tinha um banquete semanal: galinha caipira na segunda, legumes na terça, galinha light na quarta, carne com bacon na quinta e feijoada na sexta (embora de todos, a feijoada é a mais ruim).

Com tanto miojo e o peso aumentando, fiquei curioso uma vez se esse famoso macarrão instantâneo engordava? Para meu desespero descobrir que ele não só engorda (carboidratos puro) como ainda ajuda a criar doenças coronárias devido ao alto teor de gordura trans. Mas como nem tudo é perfeito mesmo, hoje só como miojo em noites que eu não estou muito a fim de comer nada pesado.

O banquete de hoje? Galinha Caipira... e o caldinho do miojo, opa, esse é o mais gostoso.

Opa... acabou de baixar o download do segundo episódio da terceira temporada de Heroes. Fui!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

[ Notícia para quem precisa ]

Eu estou velho. Descobri isso depois que passei a ligar o rádio para ouvir duas coisas: resenhas esportivas ou os noticiários da BANDNEWS FM.

Até então, a CBN Notícias era líder de audiência em meu MP4, mas a formalidade exarcebada e o bairrismo carioca avacalhou a rádio e ouvi-la passou a ser um suplício. Por causa disso vibrei quando há um ano, a BandNews passou a ser transmitida para Brasília. O centro do poder precisava de uma rádio do nível da BANDNEWS TV, o qual eu já sou telespectador assíduo.

Desta forma, enquanto todos os outros estão ouvindo música ou jabá de rádios nos seus celulares ou MP3, eu estou me atualizando com as noticias diárias.

Pela manha, entre as 07 e 09 horas é obrigatório para mim ouvir a rádio tendo Ricardo Boechat e o jovem jornalista Luiz Megale, que juntos, formam uma bem humorada dupla de âncoras do melhor jornalismo na rádio. A informalidade e as opiniões claras, sem rodeios, e com algumas pitadas de ironia de Boechat, dão o tom do programa que ainda tem os ótimos comentários de Mônica Bergamo (política e atualidades), Guilherme Barros (negócios e consumo), José “macaco” Simão (humor) e Milton Neves (esportes). Ta bom, o Milton Neves é um chato de galocha, mas não destoa da programação. Sou ouvinte assíduo e o dia me parece desatualizado se por algum motivo não ouço as noticias.





A partir das 9:00 horas entra um programa local que tem ótimos comentários de Cláudio Humberto, embora seja acompanhado de um outro jornalista chato. Daí eu desligo e só ligo novamente à partir das 17:00 horas, quando escuto as noticias ancoradas pelo maior jornalista desse país, Boris Casoy.

Por ser admirador e ouvinte, foi com muita alegria que recebi a noticia que Ricardo Boechat ganhou o prêmio de melhor âncora do jornalismo radiofônico (Comunique-se 2008). Alegria porque sou testemunha da sua capacidade profissional e confirmar que um prêmio foi dado para um grande jornalista.

A Bandnews está apenas nas sete maiores capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, mas você pode ouvir pela rádio. Confira!

www.bandnewsfm.com.br

domingo, 14 de setembro de 2008

[Comprovado, as mulheres são lentas...]


O teste foi feito ontem no Shopping Pátio Brasil. O desafio: tanto eu como minha namorada iriam comprar algumas roupas. A quantidade eram quase as mesmas; ambos queriam uma calça, algumas blusas, meias e roupas íntimas (hum, se eu dissesse cuecas e calcinhas iria ficar feio, não é?).

Cada um pegou o seu rumo dentro da Riachuelo, que ultimamente está melhor que as concorrentes. Em apenas 12 minutos, eu consegui escolher minha calça, algumas camisas, um tênis, um pacote de meias e cuecas.

Já tinham se passado 40 minutos e Daniela ainda estava tentando achar uma blusa. Foram quase 1,5 hora para escolher apenas uma calça e duas blusas, sem falar naquelas que ela devolveu depois porque no inicio gostou, mas agora achou feio.

Outro fato descoberto é que as mulheres se vestem para as outras mulheres. Incrível! Foram várias as vezes onde minha opinião – e com certeza a maioria dos homens – foi “não gostei”, mas ela acabou cabulando diante de outras mulheres que diziam “nossa, ficou lindo”. E essa moda atual de usar óculos escuros que toma metade do rosto? Até agora não conheço um homem que ache lindo isso. Mas enfim, elas que se entendam.

Após a saída, diante do comentário “a gente bem que podia passar na Otoch”, saí correndo, afinal, eu não agüentaria passar tudo isso de novo.

Resultado final do teste: se você for homem, NUNCA acompanhe suas mulheres ao fazer comprar no shopping. Seu dia poderá ser bastante estressante.

[Ainda sobre as Lojas Riachuelo]

Eu gosto de comprar uns pacotes de meias que vem 6 pares brancos. Mas finalmente havia um pacote que trazia 3 pares pretas e brancas, além de outras pretas e cinzas. Não havia nenhuma cinza e branca. Perguntei para o vendedor,se poderia trocá-las. Ele disse que não. Um senhor que estava do lado escutando, achou absurdo. “Vocês vão deixar de vender as meias só por preguiça de trocar os pares?”. O vendedor continuou dizendo que não. Assim, não comprei as meias. Será que o dono da Riachuelo sabe disso?

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

[ “Eu pertenço a Paulo, mas eu a Apolo...”]

Não tem jeito. Por mais que se orientem quanto a respeitar as decisões pessoais de nossos irmãos por questões que envolvem consciência, as pessoas sempre tomarão partido de algo, seja contra ou a favor. Em 2007 o Escravo, sob inspiração, escreveu: “Cristãos assim reconhecem que em muitos assuntos não condenados explicitamente nas Escrituras, há margem para variação de opiniões entre os que crêem. Em vez de criticar, eles reconhecem como “puras” as coisas que Deus não condena. Não esperam que todos os outros cristãos pensem exatamente como eles em aspectos da vida sobre os quais a Bíblia não dá orientação específica”.

Acabou o estudo da revista, uma semana depois a maioria esquece do que se falou ali, principalmente, os crente demais, estes o piores, pois tudo que ele não concorda é errado, mesmo que não esteja especificado na Bíblia.

Ele não gosta de rock? É errado. Ele não gosta de vestir bermuda? É errado. Ela não tem um corpo bonito? Então quem usa biquini na praia, é um cristão errado. A questão de consciência é muito delicada, porque envolve uma decisão entre você e Jeová. Alguns acham que quando se fala em consciência é a senha para “SIM”. Outros acham que é a senha para condenar, e ainda tem a cara de pau de falar em “princípios bíblicos” para justificar a usurpação do lugar de Jesus Cristo, aquele único a quem Jeová deu o privilégio de julgar.

Vamos tomar por base os comentários feitos sob o tópico anterior. Meu caro amigo Geovane viu um ancião comprar uma telesena, e só por causa disso achou que poderia também comprar? Parecia que no fundo você já tinha o desejo e esperou apenas que alguém desse o primeiro passo para faze-lo também. Não pode ser assim. A decisão é sua! E se este ancião estiver errado? Lembre-se que uma decisão de consciência significa que você tem consciência que pode pagar por seu erro, caso esteja errado.

Por outro lado o Márcio disse que Telesena é jogatina. Baseado em quê? Telesena é uma título de capitalização o qual 50% é revertido em capital e os outros 50% como taxa de serviço. É aprovado pela SUSEP e autorizado para comercialização pela Liderança Capitalização. Propaganda enganosa? Duvido! Silvio Santos não é bobo; besta é o povo que compra algo sem ler a linhas pequenininhas no canto da página.

Definitivamente é um título de capitalização, portanto, um investimento financeiro. Jogatina é quando você usa seu dinheiro em jogos de azar, é quando você compra uma aposta.

Entenderam? Eu disse que não concordo com a compra de Telesena, e pior ainda, com os títulos de capitalização. Mas em nenhum momento disse que quem compra é um pecador. Não sou de Paulo, nem de Apolo, nem de Cefas, mas, sou de Cristo. E lembre-se sempre do conselho bíblico: “Quem come não menospreze ao que não come, e quem não come não julgue aquele que come . . . Para o seu próprio amo está em pé ou cai. Deveras, far-se-á que ele fique em pé, pois Jeová pode fazê-lo ficar em pé.” (Romanos 14:3, 4)

Dica de leitura? A Sentinela 15 de outubro de 2007. Página 25-29. “Ouça a voz de sua consciência”.

sábado, 6 de setembro de 2008

[Títulos de Capitalização é para o cristão?]

Para começar, o que é um título de capitalização? Popularmente conhecida como “poupança forçada” trata-se de uma forma de investimento onde você deposita valores (capital) mensalmente ou de uma única vez e após um prazo pré-estabelecido, tem o dinheiro investido de volta devidamente corrigido pela TR. Como motivação, cada título possui um número que é sorteado mensalmente e você pode ganhar prêmios materiais ou em dinheiro.

Como se trata de um investimento, inicialmente não há nada demais em fazer uma capitalização. Afinal, não há nada de errado em aplicar seu dinheirinho ganhado com muito sacrifício. Muitos irmãos empresários aplicam na bolsa de valores, em fundos de investimento ou em imóveis. Até as Filiais fazem isso com as doações que damos, senão, não seria possível manter as gráficas funcionando com o pouco dinheiro que nós contribuímos.

No entanto, se alguém perguntasse: É correto para um cristão comprar uma Telesena? Claro que não, você diria, baseando apenas suas afirmações pelo fato de ser um produto do Silvio Santos ou por ser vendido em lotéricas. Mas dando uma olhadela melhor, a resposta talvez não seja tão óbvia assim.

A Telesena, do Grupo Silvio Santos, nada mais é do que um título de capitalização, ou seja, um investimento, embora ele invista apenas 50% do valor pago. A CAIXA possui ainda o CapMais e o SuperXCap que são os seus produtos mais populares comercializados nos Lotéricos. O Bradesco tem o seu Pé Quente que geralmente é empurrado goela abaixo quando você tenta fazer um empréstimo por lá. A IBI (C&A) lançou o cartão de crédito que nada mais é do que um cartão de débito tendo por base o valor que você aplica num título de capitalização.

E agora? Pensaria melhor antes de condenar um irmão que comprou uma telesena?

Apesar de nunca ter sido tratada em publicações, há uma carta da Associação aos anciãos que fala sobre isso. Pelo que lembro a resposta era que se tratava de uma questão de consciência. Os irmãos deveriam ser alertados quanto a ganância e jogatina, e depois deveriam analisar, levando em consideração princípios bíblicos, se valeria à pena ou não comprar um título de capitalização. Muito relativo isso. Um irmão talvez achasse errado entrar numa lotérica para comprar uma telesena, mas não achar errado fazer um cartão de crédito do IBI.

Eu, particularmente acho errado. Uma pessoa que faz um título de capitalização não está procurando investimento, mas sim, os prêmios que ela oferece. Além disso, com as taxas praticadas no mercado, se ele quiser investir, a capitalização é o pior investimento que alguém pode querer. Até a Cardeneta de Poupança traz um retorno bem melhor. Mas quem sou eu para acusar alguém de ganancioso? E mesmo que eu soubesse disso, que base eu poderia afirmar uma vez que fazer investimentos financeiros não é pecado?

No final, só caberá mesmo a Jesus Cristo, o rei designado por nosso Deus, julgar isso. Até lá, paremos de julgar nossos irmãos...

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

[ Existiram Nefilins?]

Segundo a Bíblia, foram homens híbridos gigantes nascidos de mulheres que tiveram relações sexuais com anjos e se tornaram violentos, poderosos e aterrorizantes. (Gen. 6:4). Segundo historiadores, possivelmente se trata de uma lenda criada pela Bíblia. Baseiam se no fato de não haver prova arqueológica de que eles existiram. Bobagem!

Seguindo a idéia de “onde há fumaça, há fogo”, podemos olhar para o passado e observar as lendas e histórias da mitologia grega, suméria e babilônica para entender que estes homens realmente existiram.

GILGAMÉS

No Museu Nacional do Iraque ainda se encontra um texto cuneiforme originário da Biblioteca de Assurbanipal, que reinou sobre Babilônia em 668-627 AEC. Neste texto há relatos da história de Gilgamés, um homem poderoso que era “dois terços deus e um terço homem”. Segundo a lenda, Gilgamés não só era poderoso, como usava esse dom para massacrar oprimidos e estuprar as mulheres da região. Revoltados, os nativos apelaram para sua deusa Aruru que lhes deu outro semi-deus chamado Enquidu. Mas em vez de lutar contra Gilgamés, eles se tornam amigos, tornando a vida daqueles camponeses mais miseráveis ainda. Mais tarde Enquidu é morto pelos deuses, e desolado, Gilgamés parte atrás de outro semi-deus chamado Utnapichtim, que segundo a lenda, sobreviveu ao dilúvio e por isso havia ganhado poder e imortalidade. Localizado, Utnapichtim conta para Gilgamés como foi orientado pelos deuses a construir um navio para “buscar salvar tua vida”. Apesar do poder, Utnapichtim não consegue dar imortalidade a Gilgamés, que parte de volta à sua terra e morre decepcionado.

HERCULES, O HERÓI

Um herói para a antiguidade e para os nossos tempos. Segundo a mitologia grega Hercules era filho de Zeus e uma mortal chamada Alcmena. Desta relação nasceu o homem mais poderoso da terra, que devido ao ciúme de Hera, a deusa da natureza, fora combatido até o limite do seu poder. Num acesso de loucura provocado por Hera, Hercules se tornou um assassino violento, capaz de aniquilar qualquer pessoa em seu caminho. Recuperado de sua consciência, para pagar seus pecados, um Oráculo ordenou-o que servisse por 12 anos o seu primo Euristeu, rei de Micenas. Este por sua vez, amante de Hera, obrigou Hércules a cumprir doze perigosíssimos trabalhos, com o fim de mata-lo, mas no fim, Hércules saiu vitorioso de todos, embora cada um deles envolvesse lutar com anjos poderosos e monstros horripilantes.

AQUILES

Filho de uma feiticeira chamada Tétis com um "anjo dos céus", se tornou o maior e mais poderoso guerreiro da terra, após ser mergulhado no rio Estige, tornando-se invulnerável, exceto a parte do seu corpo em que ela usou para segura-lo, o famoso e proverbial “calcanhar”. Segundo uma profecia, Aquiles seria crucial na conquista de Tróia pelos Gregos, mas por ter matado um dos filhos do deus Apolo com Ártemis, a deusa da caça e da vida selvagem, ele acabaria morrendo na batalha. A morte acabou ocorrendo após o fim da guerra, quando o troiano Paris, atirou uma flecha fatal que atingiu Aquiles no calcanhar e o matou.

RESUMO DA ÓPERA?

Todas estas, e mais umas mil lendas em torno de semi-deuses, anjos ou demônios sobre-humanos que vieram para a terra e subjugaram as pessoas podem parecer uma simples história de ninar, mas para nós que cremos na Bíblia como palavra de Deus, e por isso, sabemos que o dilúvio ocorreu e que nefilins existiram, de fato cremos que onde há fumaça, há um incêndio.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

[Filmes vistos recentes...]

INCRÍVEL HULK

Ótimo, mas apenas para quem gosta do herói. Se não, vai achar muito infantil. A história é interessante e tem boas cenas de ação e efeitos especiais. A cena inicial da perseguição na favela da Rocinha é ótima e Débora Nascimento está linda, apesar de aparecer poucos minutos e falar umas poucas palavras em português. No inicio nem Edward Norton e Liv Tyler não convende muito como Bruce Banner e Beth Ross, mas depois acostumamos. O hulk está mais convincente, mas ainda muito artificial, o filme tem poucas cenas empolgantes (vai ver é porque não sou muito fã do Hulk) mas a cena final é paga todo o filme. Se você assistiu “Homem de Ferro”, vai amar, mas se não, não vai entender nada. Vale à pena ir com os amigos num sábado de sol.

O FIM DOS TEMPOS

Você sabe quem é M.Night Shyamalan? É fã de seus filmes? Se a resposta for não, fuja desse filme, pois não vai gostar. Assim como ele fez em “A Dama na Água”, é mais um filme para fãs. Eu, por outro lado, amei. Para quem não sabe, Shy é o mesmo diretor de “Sexto Sentido”, “Sinais” e “A Vila”. Sua característica é assustar pela imaginação, então ele despreza os efeitos especiais para fazer cenas que chocam pelo sub-entendimento que você tem da situação. Em “Sinais” ele canalizou uma invasão alienígena no planeta para apenas um porão de uma casa, onde valeu-se de sua capacidade como diretor e das atuações dos atores envolvidos. Neste filme, não é diferente, pois uma epidemia faz com que as pessoas se matem coletivamente. Descobre-se que se trata de um fenômeno natural e as pessoas passam a fugir para o interior com o fim de escapar. O final é simples, bem ao estilo de Shy, e se você vai achando que será um final surpreendente, acaba se decepcionando. Espere sair nas locadoras para assistir com seus pais ou alguém que gosta de filmes para refletir.

A MÚMIA III

Um filme totalmente escapista. Sem uma história convincente, péssimas atuações, mas com muitos efeitos especiais e situações cômicas. Garante a diversão! No inicio você estranha a atriz Maria Bello no lugar de Rachel Welz como a esposa de Brandon Fraser, mas depois acostuma. A história? Bem, um imperador maligno do passado recebe um feitiço e é “congelado”, junto com seu exército. Se alguém ressuscitá-lo ele dominará o mundo. Quem vai fazer isso? Depois é so monstros, armadilhas, múmias, esqueletos e um final previsível. Vale a pena quem quer apenas se divertir no cinema.