quinta-feira, 30 de outubro de 2008

[Vergonha do Nordeste]




Eu sou um daqueles que acreditam que futebol é cultura. Que se deve torcer pelo time de sua cidade, seu estado, sua região. Mas infelizmente ao contrário do que existe na Europa, temos uma mídia tendenciosa. A Rede Globo, principalmente, com seu alcance em todo território nacional, faz uma verdadeira lavagem cerebral nas pessoas para que torçam para os times do eixo RJ-SP, sobretudo Flamengo e Corinthians. O resultado é que no interior dos Estados as pessoas deixam de torcer para os times de sua região. Uma vergonha, uma vez que estes mesmos times são de cidades que tem o maior preconceito contra os nordestinos.

Na Bahia não é diferente. Segundo uma pesquisa a torcida do flamengo no interior é quase semelhante ao de Vitória ou Bahia. É como se o Flamengo jogasse lá. Cansados disso e sabendo que várias caravanas viriam do interior para assistir o jogo no Barradão, a torcida do Vitória criou a frase “Vergonha do Nordeste” com uma seta apontando os torcedores do flamengo. A faixa foi pequena mas fez sucesso no Brasil ao ponto de incomodar a toda e poderosa Rede Globo.

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL842423-9865,00.html

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

[ A Crise Americana e você! ]




Não acredite no presidente Lula e na sua equipe econômica. A crise é séria e vai afetar você! Mas o que é essa crise que todos falam e não entendemos nada? Tentarei explicar de uma forma bem simplista.

Eu tenho uma casa que vale R$ 10.000,00. Decidi fazer um empréstimo e usar minha casa como garantia; desta forma procurei uma financiadora de hipoteca que me emprestaria um valor de até 40% acima do valor avaliado do meu imóvel. Fechado o negócio, fiz um empréstimo de R$ 14.000,00 divido em 36 meses com juros, que ao pagar a última parcela, o banco estará recebendo algo em torno de R$ 30.000,00. Desta forma, teoricamente o Banco Hipotecário tem um crédito a receber de 30 mil.

Como imóvel é um investimento seguro e em valorização constante, as cédulas hipotecárias são moedas valiosas nos Estados Unidos, onde algumas hipotecas chegam a ser fechadas com ágio de até 200% acima do valor real do imóvel. Mas tudo bem, os americanos são bons pagadores, e em caso de inadimplência, basta tomar o imóvel de volta. Opa! Mas se a dívida do banco é de 30 mil e minha casa vale apenas 10 mil, como é que mesmo vendendo meu imóvel, a dívida será coberta? Deu para entender como começou a chamada “bolha” que deu origem à crise? Calma, que o rombo ainda é mais feio.

Não conformado em esperar o pobre devedor quitar suas dívidas, o Banco Hipotecário “vende” o crédito de R$ 30.000,00 para um outro banco de investimento, que para pagar toma emprestado de outro banco. Isso se chama compra de carteiras de crédito, um negócio arriscado baseado apenas na confiança de que o devedor irá quitar suas dívidas.

Mas e se de repente, eu, João, Maria, Fernando, Kátia e mais centenas de pessoas começam a não pagar a hipoteca? No inicio o sistema de cobrança ainda funciona, somos despejados e o meu imóvel vai à leilão. Mas lembra que ele só vale R$ 10.000,00? E quem vai cobrir o restante? Não adianta me cobrar que eu não tenho dinheiro. Outros bancos, começam a perceber o rombo e fecha o cofre para empréstimos para estes bancos de investimentos. O Banco Hipotecário começa a ficar com dificuldades financeiras e falta dinheiro para pagar ao outro banco, que por sua vez não tem dinheiro para pagar ao outro banco, que sem dinheiro, retira os valores aplicados em fundos de investimento, fazendo as ações desvalorizar, criando um verdadeiro efeito dominó. Sem ninguém para salva-los, estes bancos de investimento acabam falindo, levando com eles o dinheiro de dezenas de aplicadores.

Como os Estados Unidos representa cerca de 30% da economia mundial, a queda deste país acaba levando todos os demais junto com ele graças à globalização. Sem dinheiro no mercado, o Dólar valoriza e sobe de preço, o custo da matéria prima sobe encarecendo produtos que seriam vendidos a outros países. Quem antes comprou à crédito ou tomou emprestado á base do Dólar acaba pagando o dobro do que valia no inicio. Fábricas repassam estes preços para o fornecedor, que por sua vez passa para o comerciante, que por sua passa para o consumidor. Como o salário não sobe, o custo de vida do trabalhador fica difícil. Como o lucro diminui, algumas empresas acabam sendo obrigadas a demitir. Aumenta o desemprego, aumenta o caos financeiro e com isso vem a inflação.

Entendeu como isso afeta você? Então não adianta fazer discurso anti-americano desejando que o rombo derrube os Estados Unidos. O inferno são os outros; ruim com eles, pior sem eles.

domingo, 26 de outubro de 2008

[ Triste Bahia ]




Eu sou baiano, soteropolitano e amo minha cidade. Mas infelizmente seus cidadãos estão destruindo-a. Alguns amigos se surpreendem quando digo, depois de 8 anos em Brasília, que não sinto falta de nada, a não ser, claro, da minha família e dos jogos do Vitória no Barradão. O que me entristece por lá é o pensamento medíocre da maioria da população, seja pobre, seja rica, seja classe média.

Há alguns meses o professor Antônio Natalino Dantas, coordenador do curso de medicina da UFBA, chamou todos os baianos de burro. Disse que o baiano tem QI baixo e que só toca berimbau por que tem uma corda. Natalino estava num péssimo dia, foi uma declaração infeliz, não levando em consideração a herança cultural literária, poética e musical de nosso Estado. Mas sem exageros, ele tinha um pouco de razão.

Vamos tomar por base o Carnaval de Salvador. Na década de 1980 o carnaval de rua era do povo pobre. Chique mesmo era participar das festas de Salão realizados pelos Clubes, como o do Clube Bahiano de Tênis, o mais concorrido da cidade. Com o tempo, essas festas foram se tornando mais caras, e a classe média passou a ser impedida de participar, migrando junto com o povo, para às ruas.

No final da década de 80, vendo no turismo uma forte fonte de receitas, o então governador ACM criou um projeto cultural baseada na valorização das raízes que teve seus altos (a inclusão da cultura negra como grade do currículo escolar e a restauração e revitalização do Pelourinho) e seus baixos (reformados, os espaços que antes eram do povo, passou a ser da elite e dos turistas). Entre esses baixos veio a transformação do Carnaval de rua numa festa nacionalmente conhecida, graças ao contrato de exclusividade com a BAND e do patrocínio da Artartica e Brahma, as duas maiores cervejarias do país.

Mas onde entra a burrice do povo? Sabem quanto custa brincar no carnaval de Salvador? Se você quiser participar de todos os blocos, ouvir todos os artistas nacionalmente conhecidos, vai desembolsar cerca de R$ 3.000,00! No bloco do Asa de Águia, o abada (que lhe dá direito a dançar dentro do bloco por no máximo 4 horas) custa R$ 900,00. O bloco Camaleão tem a segunda fantasia mais cara, são R$ 840,00 para ouvir o Chiclete com Banana. No da Ivete Sangalo são apenas R$ 650,00 enquanto sua genérica, Claudia Leite, cobra R$ 300,00.

Levando em consideração que muitos desse artistas não fazem mais tanto sucesso em Salvador (o Chiclete com Banana faz “shows” onde costumam cobrar R$ 10,00 a entrada), o objetivo óbvio é atrair os turistas, sobretudo os brasilienses e paulistas, que adoram a Axé Music. No entanto, no afã de fazer parte da festa nacional, muitos soteropolitanos entram na onda e pagam o preço para brincar no Carnaval.

Muitos desses gastam todo o salário para participar de uma festa que dura apenas sete dias e passam fome o resto do ano. Ninguém paga nem 10% disso para comprar um livro, estudar melhor ou procurar se especializar. A Bahia tem um dos maiores pólos petroquímico da América Latina – Camaçari – mas todos possuem supervisores, técnicos e especialistas de outros Estados, porque não existem em Salvador pessoas para estas demandas. O pobre e negro de Salvador não pense em cursas uma faculdade, mas já nasce querendo montar uma banda de pagode, porque supostamente dá mais dinheiro e você não precisa estudar.

Talvez por isso, não me sinta lisonjeado quando descubro que “Ò pai ó” vai virar série de televisão da Globo. Vem aí mais uma visão estereotipada da minha cidade que não representa a maioria. Triste Bahia!

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

. [ Campeonato Brasileiro ]





Vamos falar de futebol. Há tempos não falo disso não é? Bem, falando dos times que eu torço o que posso dizer; o Vitória está indo bem. Levando em consideração que em 2006 ele estava disputando a terceira divisão e que ano passado subiu à Série A como quarto da série B, acho que a campanha do Vitória está boa, embora não aceite a síndrome do vira-vira que ele insiste em demonstrar. Bem, pelo menos teremos o Campeonato Sulamericano ano que vem.

Já o Gama, parece que não tem mais jeito. Amargará mais uma vez o retorno à Série C. E ano que vem não será fácil, pois teremos times mais competitivos. Um triste fim para um time que ganhará um dos estádios mais modernos do país, o estádio Bezerrão que será inaugurado no mês que vem no amistoso entre Brasil e o selecionado de Portugal.

Já que não estou nas primeiras, minha torcida pelo título da série A fica entre Cruzeiro e Grêmio. Qualquer um, menos os times do eixo do mal (RJ e SP). Estou farto de a mídia enaltecer estes times em detrimento dos demais. Já lá embaixo torço de fé que Fluminense e Vasco da Gama caiam para a segunda divisão.

Já na série B, ficou claro desde o inicio que subiria o Corinthians e mais três. Tenho que admitir que ao contrário dos demais times que disputaram a série B, o Corinthians pensou grande. Montou um time de Série A e sobrou no campeonato. Quem eu quero que suba junto com ele? Mesma regra: qualquer um menos os times de São Paulo. Estou torcendo por Vila Nova-GO, Avaí-SC e o Juventude-RS.

sábado, 18 de outubro de 2008

[ Papai Noel ]

Sim, ele existiu, mas nada tem haver com o nascimento de Cristo. É apenas mais uma das invenções da Igreja Católica! Seu nome, na verdade, é Nicolau de Mira, hoje ainda adorado mesmo após o primeiro cisma, tanto por Católicos como Ortodoxos. É considerado o padroeiro da Rússia. Como todos os demais santos católicos, a lenda lhe atribui alguns milagres tais como cura de doenças e ressurreição de crianças. Mas de fato mesmo, há apenas a história que deu inicio a lenda atual do Papai Noel.

No quarto século, em Mira, atual Turquia, existia um bispo de bom coração chamado Nicolau. Conta a lenda que certo dia ouviu na sacristia uma confissão de um pai preocupado pois não tinham dinheiro para pagar os dotes de casamento das filhas e por isso, elas entrariam na vida de prostituição. No dia seguinte, as moças encontraram perto da chaminé de sua casa dois sacos de moedas, que ajudou as garotas e tirou a familia da miséria. Logo depois a noticia se espalhou pela região.

Mesmo não admitindo que era o presenteador misterioso, o povo do vilarejo passaram a desconfiar do Bispo Nicolau, afinal, a Igreja era a única instituição rica do lugar. Desta forma, as pessoas usaram a artimanha de levar seus pedidos à Deus por meio do Bispo Nicolau. Misteriosamente no dia seguinte o presente aparecia na casa da pessoa. Assim surgiu a lenda de São Nicolau, beatificado mais tarde pela Igreja Católica, e consequentemente, Ortodoxa russa.

São Nicolau foi a saída da Igreja para atrair fiéis. O Natal, baseado numa festividade romana de adoração ao deus-sol já era comemorado desde o 3º século pelos cristãos apóstatas, mas faltava um símbolo que chamasse a atenção, uma vez que o nascimento de Cristo, por si só, não era atraente.

Neste contexto, São Nicolau, protedor das crianças, dos mercadores, dos marinheiros e que distribuía presentes, veio a calhar e logo surgiu a idéia de incluí-lo como um dos símbolos do Natal.

Na Holanda passaram a chamá-lo de Sinterklaas. O povo dos países baixos levaram para sua antiga colônia (Nova York) este nome que passou a se chamar Santa Claus. Na Bretanha o chamavam de Father Christmas (Papai Natal), os franceses de Pere Noel que acabou migrando para Portugal como o nosso conhecido Papai Noel.

Assim o Natal, com uma nova roupagem, ganhava o mundo e dava inicio aos festejos que conhecemos hoje em dia.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Nintendo Wii:
O dia que Davi derrubou dois golias


No passado, videogame era coisa de criança. Hoje se tornou coisa de adolescente e adultocente. E quanto mais o tempo passa, mais os gameviciados querem mais. Mais imagens em alta definição, mas situações complexas e, principalmente, mais recursos. O sucesso dos games nos trouxe os videogames de alta resolução e os superjogos que parecem tão reais que saltam à rela como o Final Fantasy Series, Halo 3 ou Quake IV. Nessa leva, duas empresas, praticamente deixaram as demais no pó, ao disputar este mercado com os consoles Playstation (Sony) e XBox 360 (Microsoft). Durante muito tempo, as duas eram imbatíveis, disputando o mercado milionário dos superjogos.

Até o dia, que a Nintendo surpreendeu as duas, por incrível que pareça, fazendo justamente o contrário: apostando em jogos simples. A empresa japonesa decidiu não disputar com as duas, não iria fazer games avançadíssimos, com gráficos de ultima geração para agradar os jogadores veteranos, mas faria jogos simples para agradar o irmão mais novo, a irmã, o pai, o tio e o avô.

Enquanto no Playstation 3 e XBOX 360, você tem às mãos um joystick com um monte de botões e códigos complexos para jogar um game, no Nintendo Wii você precisa apenas de um controle remoto com alguns poucos botões. No Playstation você às vezes usa até 3 botões ao mesmo tempo para fazer um simples movimento; já nos jogos da Wii basta apertar um botão e movimentar os braços. O computador faz o resto. Incrível né?

Além disso, além de apostar em jogos de ação com enredos complicados, a Nintendo aposta em jogos simples para a família: ressuscitou o Super Mario, tem jogos de cartas, jogos de dança, karaokê e a maioria deles podem ser jogados por até 4 pessoas ao mesmo tempo. Como a empresa gasta menos para produzir estes jogos, o preço final nas lojas também é pequeno, chega a ser 1/3 do valor dos da concorrência. Aliás, como concorrente, a Sony e Microsoft nunca tinha vista a Nintendo, até o dia que o Wii chegou a marca de 10 milhões no mundo em apenas 1 ano. Só o Playstation 2 levou dois anos para bater esta marca, o Playstation 3 nem sonha ainda e o XBOX, só para quem tem muito dinheiro.

Eu, particularmente, não sou muito fã do Nintendo. Acho muito bobinho os jogos, além disso já estou acostumado a ficar digitando números e códigos para passar as fases do Quake e Doom no meu computador, por isso um joystick é coisa boba. Mas ao contrário de muitos veteranos, não sou contra o joguinho japonês. Afinal, os leigos também devem ter uma chance de jogar. E também podemos bater no peito e dizer coisas: “Nintendo é coisa de criança, quero ver você me derrotar no Quake IV”.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

sábado, 11 de outubro de 2008

[Mataram o português!]

A partir do ano que vem, a Inês é morta. A reforma internacional que pretende unificar a linguagem escrita de todos os países de língua portuguesa finalmente sairá do papel. O mesmo português escrito no Brasil será o escrito em Portugal, Cabo Verde, Angola, Moçambique e Timor Leste. Tivemos que ver a língua inglesa e espanhola dominar o mundo para entender que somente tendo uma língua padronizada, o português também seria respeitado. Eu sou um dos que acham que essa unificação deveria ocorrer. Mas tinham que usar como base justamente o português brasileiro?! Non creo. Sou brasileiro mas como amante da minha língua pátria, acho que deveríamos utilizar como padrão a língua de Portugal por motivos óbvios.

O Brasil venceu no grito, pegando carona na informática. Como somos quase 100 milhões de internautas, ganhamos de lavada dos demais países de língua portuguesa. Antes os sites internacionais ainda colocavam as opções “português brasileiro” e “português lusitano”, mas a preguiça acabou exterminando este último e hoje praticamente seja na internet ou em televisão à cabo, o português utilizado é sempre o padrão brasileiro.

Para começar, pouco nos importamos com essa mudança. Na verdade, a alteração ortográfica não mudará em nada. O brasileiro não sabe escrever direito hoje e continuará a não saber depois. Assassinam a língua portuguesa sem dó e nem piedade, e utilizarão a reforma como pretexto para continuar com o genocídio em 2009. “Ta vendu como portuguêis é cumpricado? E ainda mudam? Purisso que num estudo mesmu”.

É um absurdo, porque os portugueses amam sua língua e consideram uma prioridade ler e escrevê-la bem. Em Portugal não dão espaços para estrangeirismos. Lá não existem Shoppings, OffShore, Telemarketing, Mouse, Help Desk, Shorts, T-Shirt entre outras expressões, que aqui no Brasil ganharam uma aceitação incrível, graças a nossa colonização cultural americana. O português lusitano se aproxima do latim, que entre outras coisas, prima pelo rigor poético, conhecimentos científicos, sem falar no conteúdo histórico e literário. As aulas de literatura portuguesa e de gramática são uma das mais concorridas em Portugal, e os cursos de Letras são um dos mais valorizados.

Aqui no Brasil por até R$ 175,00 você faz um curso vagamundo de Letras pela internet. E ainda se formam como professores. Universitários se tornam demissionários ou não conseguem vagas em empresas por não escreverem direito. Imagina o ensino médio? Alunos brasileiros não sabem interpretar textos simplesmente porque não sabem lê-los. Tem pessoas que simplesmente se desesperam quando se pedem para escrever uma redação simples. Mudam virgula de lugar, pontuam onde não deviam pontuar e remodelam todo o sentido de um texto.

Enfim, mataram o português. Mas o que esperar de um país onde o seu presidente só estudou regularmente até o ensino fundamental? Apenas lamentar a morte do portuga e esperar que Castro Alves, Machado de Assis e Luiz Camões não revirem na tumba.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

[ Eleições 2008 ]

Todos os anos em que há eleições é a mesma coisa, todos perguntam se é verdade que Testemunha de Jeová vota nulo. Eu costumo responder ironicamente que toda Testemunha vota, infelizmente, porque somos obrigados. Mas chegando lá, o voto é secreto e que não posso responder individualmente por cada pessoa, mas que como Organização, nós somos neutros politicamente e preferimos não nos envolver.

Para os que me respeitam, se calam. Para os que não, dizem que somos alienados, não temos consciência política, social e esse blá blá blá que conhecemos.

Como leio muitos jornais, geralmente sempre estou informado sobre os rumos da política de nosso país. Às vezes é difícil manter uma posição de neutralidade, mas tento não externar minha opinião. Porém, diante de uma discussão entre colegas de trabalho, minha língua coça e acabo dando algumas opiniões que mostram como eu detesto toda e qualquer visão esquerdista, de pessoas a quem eu chamo carinhosamente de esquerdopatas.

Mas voltando ao voto nulo, embora seja bastante difundido entre nós, particularmente não acredito que votar nulo ou branco seja uma forma de demonstrar neutralidade, graças à nossa Lei que caracteriza esses votos como válidos dependendo do pleito eleitoral. Em alguns casos, o voto nulo ou branco ajuda a eleger um determinado candidato ou a legenda, levando em consideração fórmulas int para os chamados votos válidos. O certo seria não ir votar! Eu geralmente faço isso. Não voto, depois pago uma multa de R$ 4,50 e regularizo meu título eleitoral.

Não sei se do ponto de vista cristão este seria um princípio correto, afinal, poderia se alegar também que como votar é uma obrigação do cidadão brasileiro, não votar seria uma forma de desrespeitar as autoridades. Pode ser, quem sabe?

O fato é que todas as eleições acabam me dando nojo. É uma inutilidade ver coisas bizarras sendo elegidas como vereadores. Como é que as pessoas votam em coisas assim? Em Salvador, o prefeito destrói toda a orla de Salvador, abandona o Pelourinho à degradação, transforma a cidade num caos, é considerado por duas vezes o pior prefeito do Brasil e depois acaba sendo o mais votado para a reeleição?

Política em enoja. Ainda bem que somos neutros; ainda bem.

sábado, 4 de outubro de 2008

[ Sindicato de Vagamundos ]


Minha mãe é professora, funcionária pública do Estado da Bahia. Duas amigas minhas também são professoras, funcionárias do Governo do Distrito Federal. Sabe qual a diferença entre minha mãe e elas? R$ 2.800,00

Eu fico extremamente revoltado quando ouço falar de greves de funcionários públicos em Brasília. Os professores são a classe mais vagamunda que existe. Para se ter uma idéia, um professor que ensina o primário, não ganha menos que R$ 3.000,00. Eles foram a classe que menos trabalha, pois além das licenças permitidas pelo governo que chega a ser 8 por ano, eles são os que mais dão atestados médicos. Em média o professor do DF falta o trabalho de 30 a 35 dias por ano. Um absurdo!

Enquanto isso seja no Rio, Bahia, Pernambuco e São Paulo, estes mesmos professores lutam para ganhar míseros 500 a 600 reais por mês. Agora os professores do DF, liderados por sindicatos que nada mais são do que fomentares de rebeliões, decidem entrar em greve.

Um absurdo!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

[Bezerra de Menezes e os néscios]


"O espiritismo é uma fábrica de idiotas,
e não pode subsistir"
- Machado de Assis


O espiritismo é um samba do espírito doido, dado a falta de uma ideologia específica e o excesso de fantasias que povoam as histórias contadas por seus crentes. Geralmente as pessoas gostam do que não se pode explicar e por isso se sentem atraídas ao espiritismo, mesmo àquelas que dizem seguir outras religiões. Embora o espiritismo tenha nos dados ótimos filmes inteligentes como Sexto Sentido, Os Outros, além dos filmes japoneses e coreanos de terror, no geral, ela deve ser enquadrada naquilo que ela é: apenas fantasia.

Quem pensa que é apenas Hollywood que produz filmes baratos que surpreende nas bilheterias, teve que se curvar ao filme nacional Bezerra de Meneses – O Diário de um espírito. O filme é barato, produção fraca, mas graças ao além, se tornou o filme brasileiro mais visto nos cinemas superando, inclusive, favoritos e badalados como "Era uma vez" e "Última parada 174". Brasileiro gosta de fantasia.

Quer saber quem foi Bezerra de Meneses? Nem queira! Diz ser um médico cearense do século 19 que teria ajudado pobres e se tornado um político popular. Parou aí! Mas os espíritas dizem que ela era uma entidade, reencarnação do evangelista Lucas e que curava pessoas com o poder dos espíritos. Parei aqui!

A Bíblia deixa clara a posição de nosso Deus e seu filho, Jesus Cristo, sobre o espiritismo: demonismo puro! Meios de brincar (ou ser brincado) pelo próprio Diabo. "Não vos vireis para médiuns espíritas e não consulteis prognosticadores profissionais de eventos, de modo a vos tornardes impuros por eles." — Levítico 19:31. Jeová tinha advertido à nação de Israel a não se misturar com médiuns e praticantes de magia. Deixou claro que eles não tinham o seu agrado e faziam a vontade de Satanás. - Levítico 20:6, 27.

Ao final, no livro de Revelação (Apocalipse), nosso Deus deixa claro quando declara que praticantes do espiritismo serão destruídos totalmente. (Rev 21:8).

Portanto, Bezerra de Meneses pode até fazer sucesso lá para as negas deles, mas para mim ele nada mais parece um oportunista que, conforme as palavras de Machado de Assis atraiu para si a subsistência de vários idiotas. - Isa. 47:12, 13.