quarta-feira, 25 de março de 2009

Congressos Inesquecíveis II

Amantes da Liberdade




Realizado em 1991, cerca de quatro meses depois do meu batismo, foi um dos congressos mais animados e diferentes que tivemos. Realizado na cidade de Alagoinhas, cerca de 128 Km de Salvador, a animação já começava na ida, pois tínhamos que sair às 5:30h pegar um longa viagem de duas horas e ao final do dia, retornar no mesmo percurso. Cansativo? Que nada, todo mundo amou, até os irmãos mais idosos e as donas de casas que além de tudo, tem que arrumar as crianças, afinal, nada melhor do que conhecer nova cidade, novos irmãos, novos ares.

O maior lançamento deste congresso foi o livro O "Maior Homem que já viveu", que ao lado de "O Homem em Busca de Deus" e "Proclamadores do Reino relatam", formam o trio dos meus livros preferidos e que devorei em apenas poucos dias.

O congresso reunia além de algumas congregações de Salvador, o pessoal de Alagoinhas, Pojuca, Catú e regiões próximas. A assistência no domingo foi de pouco mais que 57.000 pessoas. Não precisa dizer que um "evento" desses atraiu a população e as autoridades da cidade. Até o Prefeito, junto com sua "primeira dama" compareceu no domingo para assistir o drama bíblico, que havia sido divulgado pelas rádios da cidade e por carros de som.

Eu ainda era adolescente, entao não precisa dizer que além do lado espiritual, havia também o lado espirituoso. Nesta época conhecemos vários irmãos, e irmãs! Fizemos belíssimas amizades com o pessoal de Pojuca e Catú, cidades da região que também estavam no Congresso. Foi lá que conheci minha segunda namorada cristã, Marcia, da cidade de Catú. Meus amigos também conheceram algumas irmãs, mas a distância logo se tornou um empecilho para eles. Para mim também, já que quatro semanas depois ela se mudou para Mossoró-RN, me deixando na solidão.

Enfim, Amantes da Liberdade, foi um dos meus congressos inesquecíveis, com certeza.

terça-feira, 24 de março de 2009

Apontar erros é mais fácil!


“Então, por que olhas para o argueiro no olho do teu irmão,
mas não tomas em consideração a trave no teu próprio olho?"
- Mateus 7:3


Eu amo escrever. Ler é também um dos meus passatempos preferidos. Leio de tudo, desde jornais, revistas à bula de remédios e manuais de instruções. E quem gosta de ler, também ama o passatempo de escrever, tanto que possuo um blog apesar de algumas críticas eventuais. Como Testemunha de Jeová fui aliciado várias vezes a me desfazer dele, mas simplesmente não consigo. Todos os dias recebo em meu Outlook algumas ofensas básicas me chamando de fraco ou questionando se sou apóstata. Relevo tudo isso pelo meu prazer em escrever.

Escrevo também para o jornal de minha empresa e faço a revisão final dos demais textos e aí é que acontece uma coisa incrível. Sempre encontro erros gramaticais ou de digitação a ser corrigido no texto dos meus colegas, mas eventualmente deixo escapar os meus erros que ao final é corrigido pelo editor chefe. Neste blog mesmo, sempre que faço uma revisão, encontro algumas pancadas feias. Como é que consigo revisar direito o texto dos outros mas deixo escapar os meus próprios erros?

Porque apontar erros dos outros é mais fácil!

Qual a moral da história? Não sei, mas que isso me lembra as palavras de Jesus Cristo em Mateus 7:1-5; isso me lembra. E muito! Se todos levassem isso à sério, quão bom seria os irmãos realmente morando juntos em união? Mas até lá, há um milênio para podermos ajustar e adequar nossa personalidade.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Hipocrisia




Eu nunca mais vou dizer o que realmente penso
Eu nunca mais vou dizer o que realmente sinto

Eu juro Eu juro (por Deus)

Não confio em ninguém
Não confio em ninguém
Não confio em ninguém com mais de 30
Não confio em ninguém com 32 Dentes

Eu nao sei fazer música mas eu faço
Eu nao sei cantar as músicas que faço mas eu canto
Ninguém sabe nada

"32 Dentes"
TITÃS

sexta-feira, 13 de março de 2009

Renascer: uma porrada para Jesus?



Eu nunca contei para vocês, mas eu já fiz parte da Igreja Renascer em Cristo, lá pelos idos de 1987 eu acho. Na verdade fui apenas em alguns cultos, ainda era adolescente, e fiquei atraído na época pelos shows de rock que havia lá. Mas logo meu conhecimento sobre Jeová baseados no livro Viver para sempre no paraíso na terra me fizeram tomar a direção correta.

A Renascer em Cristo faz parte da linha de igrejas chamadas "neo-petencostais", formada por outras famosas como Sara Nossa Terra, Brasil para Cristo, Igreja Bola de Neve, que acreditam, entre outras coisas, na teoria da prosperidade (de que adorando o Senhor você vai ter sucesso, ficar rico, etc) e que tudo é abençoado se for feito em nome de Deus.

Se tudo que é feito em nome de Deus é lícito, igrejas como essas criam as mais absurdas modalidades suspostamente com o intuito de atrair fiéis à Jesus (leia-se atrair fiéis à igreja).

A mais recente da Igreja Renascer em Cristo (aquela em que seus pastores cumpriram pena nos EUA por terem tentado entrar com dolares dentro da Bíblia) é o campeonato de VALE TUDO. Sim, aquela luta onde vale distribuir pancadas a torto e à direito com o intuito de derrubar o adversário.

Gente, olha só como beira o absurdo. O mesmo pastor que arbitra as lutas de vale tudo e jiu-jitsu é o mesmo que depois prega contra a violência. Seria o mesmo que uma dona de cabaré dizer "odeio sexo". Lotar as igrejas, aumentar a arrecadação é o que importa, o resto não interessa.

É justamente por isso que a cristandade possui sua maior parcela de culpa em vituperar o nome de Deus. Os muçulmanos e judeus queimam sua língua por suas próprias ações, mas pelo menos ninguém os associa a Jesus Cristo e ao Deus Todo Poderoso, porém, as igrejas que dizem pregar a Cristo transformam Jesus e seu Pai em objeto de escárnio por meio de suas ações incoerentes. Lamentável.

É por isso que as pragas dela virão num só dia,
morte, e pranto, e fome,
e ela será completamente queimada em fogo,
porque Jeová Deus, quem a julga, é forte.
- REV 18:8

quinta-feira, 12 de março de 2009

Perfeita Simetria






Spineless dreamers
Hide in churches
Pieces of, pieces of
Rush hour buses
I dream in e-mails
Worn-out phrases
Mile after mile of just
Empty pages

Wrap yourself around me
Wrap yourself around me


As the needle slips into the run-out groove
Maybe you'll feel it too
Maybe you'll feel it too

"Perfect Simetry"
KEANE

segunda-feira, 9 de março de 2009

Congressos Inesquecíveis



Realizado em 1990, foi meu primeiro congresso como "irmão" e não simplesmente como "filho de irmão". Até 1989 eu era conhecido apenas como aqueles meninos que sabiam da verdade, mas não queria levar nada à sério. Minha mãe já era pioneira regular, minha irmã caçula já era publicadora desde os 7 anos e eu, apenas vagabundo, que ia pro Salão por conveniencia.

Então em novembro do ano anterior, principalmente influenciado pelo livro Revelação - Seu grandioso clímax está próximo lançado em 1988, mas que tínhamos começado a estudar no Estudo de Livro de Congregação, senti um desejo imenso de fazer parte integrante da Organização de Jeová. Então, fui designado publicador não-batizado.

Como naquela época não havia tanta rigorosidade para usufruto de privilégios, além do fato d´eu ter uma boa conduta, trabalhei no Congresso como indicador mesmo não sendo batizado. O congresso foi no estádio FONTE NOVA na época que todas as congregações se reuniam apenas ali, onde a assistencia em torno de 110 mil pessoas chamavam a atenção da mídia e nos tornava conhecidos entre a população.

Entre sábado e domingo fiquei como "segurança", e foi divertido rodar os corredores e cadeiras do gigante estádio da Fonte Nova. Quase não dormi, enquanto alguns outros irmãos ficaram com medo da imensidão do estádio.

Curiosamente neste dia conheci alguns outros amigos da escola, que não se declaravam Testemunhas, mas depois de nos ver, acabamos fazendo amizades o que ajudou tambem a mudar meu tipo de associação.

No Língua Pura, o destaque foi o lançamento do livro O Homem em Busca de Deus, um livro fantástico e bastante atual até hoje, para conhecer um pouco mais sobre outras culturas e outras religiões. Lembro que só na escola consegui passar 4 livros, inclusive um para o meu professor de história que ficou maravilhado.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Ano novo e reunião de menos

Sinceramente, é um alívio saber que não existe mais o Estudo de Livro de Congregação como uma reunião única na casa dos irmãos. Adeus ao constrangimento de ter que ir na casa dos irmãos compulsoriamente. Agora sim, a o Estudo de Livro virou uma reunião de verdade! Eu sentia isso nas épocas da Visita do Superintendente. Eu pensava: porque o Estudo de Livro não é no Salão do Reino como todas as outras reuniões? Pedia que Jeová avaliasse esse arranjo e desse uma luz ao Corpo Governante.

Jeová não só me ouviu como fez muito mais! Soprou no ouvido de Jesus, que por sua vez soprou no ouvido do Escravo Fiel: "Porque voces não acabam com a reunião nas casas dos irmãos e incluem o estudo de livro na reunião de serviço?" Bom para todo mundo: para o estudante que tem mais um dia para fazer os deveres escolares, para o trabalhador que tem mais um dia de descanso, para a familia que tem mais um dia para compartilhar suas presenças, e melhor para a reunião "de quinta" que fica mais bombada de informações espirituais e de matérias para preparar.

O fato é que os Estudos de Livros nas casas dos irmãos estavam cansativos demais. Não havia motivação na maioria das vezes e não se davam o valor merecido. Poucas pessoas se preparavam, e pior, se arrumavam decentemente. Era comum as irmãs irem de sandálias havaianas ou com roupas do dia a dia. Se você faz faculdade durante a semana e tivesse que sacrificar uma reunião, qual seria? O estudo de livro de congregação.

Além disso havia o problema da vizinhança. Chegavam registros de pessoas que estacionavam em cima dos jardins de outros ou em frente da garagem. Em outros o numero de carros se aglomeravam atrapalhando o trânsito local. Sem falar nas crianças, estas eternas brincalhonas que gritavam e corriam para terror dos vizinhos, principalmente aqueles que moravam em prédios.

E ainda mais agravante, às vezes havia resistencia do próprio dono da casa, que parecia não entender que ao ceder sua casa para o Estudo de Livro de Congregação, teria que conviver com crianças desarrumando o abajur em cima da mesa, pessoas indo frequentemente no banheiro ou pedindo um simples copo de água. Tinha pessoas que demonstravam tanta má vontade que muitos se perguntavam: "Pra que cedeu a casa para o Estudo de Livro, se num guenta?"

Desta forma, melhor mesmo seria que a reunião fosse realizada no nosso Salão do Reino, onde todos consideram um lugar sagrado e há respeito, inclusive de algumas crianças. Como seria árduo levar os irmãos apenas para estudar um livro, nada mais lógico que incluí-la como uma das reuniões de serviço. Parabéns irmãos, boa sacada. Parabéns Jesus Cristo, boa idéia. Muito obrigado Jeová, só Tú és DEUS!

A Organização fez ajustes durante os seus poucos mais de 100 anos de existência; esta seria apenas uma das mais legais. Estamos realmente nos últimos dias, mas isso nada tem haver com fim dos tempos. Os sinais dos últimos dias estão listados lá nas Escrituras e não tem nada a ver com mudanças de reuniões. Aproveitem e curtam a nossa nova reunião!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Fuja dos livros de autoajuda

Já há algum tempo que não falo sobre eles. Até que recentemente um remedinho bastante conhecido e que fazia parte da minha maleta de medicamentos foi mencionada na revista Época. Uma pesquisa colocou o Rivotril como o remédio mais usado no Brasil. Rivotril é um remédio utilizado contra o sistema nervoso, contra a ansiedade, mas é conhecido e usado mesmo como antidepressivo. Durante mais de 5 anos foi - e ainda luto para que o "foi" continue sendo "foi" - meu remédio de cabeceira, perdendo apenas para minha bombinha Aerotide.

E sempre quando falamos em depressão, lembramos logo dos textos, discursos ou livros motivacionais de autoajuda. Eu detesto autoajuda. É um saco! Não tem coisa pior que livros, textos, músicas ou poesias que tentam te ludibriar com papos de filosofias baratas, ou utilizando argumentos genéricos como se uma receita servisse para cada uma das mentes complexas e singulares que existe neste planeta.

Sabe estas revistas que trazem nos títulos de capa frases como “Você pode ser um milionário”, “Seja feliz agora!” ou “Proteja sua carreira” ou “Suba na vida agora!”? Tudo lixo! Porcaria.

Nós somos seres pensantes e frutos do nosso meio. Cada pessoa pensa de uma forma diferente e complexa. As circunstâncias atenuantes também influenciam em nosso modo de encarar a vida. Não somos robôs programados para agir da mesma forma. E é assim que agem os livros de autoajuda. Baseia-se no princípio de que todos são exatamente iguais e irão agir da mesma maneira como se estivessem programados para isso.

Livros que levam títulos como “Como conquistar um amor” ou “Como ser bem visto pelas pessoas” são pura enganação. Estes autores deveriam ser pprocessados, pois são comparáveis aos charlatães que pregam nas ruas “Faço amarração para o amor”. Outros textos motivacionais como “Você pode ter uma carreira de sucesso agora” ou “100 maneiras de ser feliz” é outro tipo de embromação, que muitas vezes repetem apenas o óbvio. Um desses livros dizia que para ser feliz a pessoa precisava ver a vida com bom humor. Sério? Só faltou dizer que para matar a fome a pessoa precisava comer.

Há ainda as canções que pregam a liberdade do mundo como motivação para o sucesso. Lembra de Epitáfio dos Titãs? “Queria ter errado mais... “ dizia. A famosa canção foi repetida à exaustão inclusive por muitos irmãos. É mesmo? Errado mais? Nossa, imaginem Jesus pensando isso depois de tudo que ele viveu, e sofreu na terra?

Outra revista podre que existe por aí é uma tal de “Você S/A”. A revista é vendida nas bancas e dirigida a um punhado de gerentes, executivos, mas tem como leitores um bando de “peão” que acha interessante matérias como “Salário – Como negociar um aumento” ou “Como lidar com o chefe que atrasa sua vida”, como se todos os chefes fossem iguais.

Livros e revistas de autoajuda na verdade ajudam (sic) a definhar nossa autoestima, pois nos mostram perspectivas inalcançáveis, e justamente por não obtê-los, nos empurra para o mar da decepção. Lembro da história de um garoto que depois de ler as “100 maneiras de conquistar uma garota” se matou por não ter conseguido conquistar. Deixou um bilhete dizendo, “...morre um inútil na terra incapaz de conquistar alguém”.

Recentemente um grande jornalista americano - que agora não lembro o nome e nem o livro que ele lançou - jogou por terra todas essas baboseiras de autoajuda. Segundo uma pesquisa feita por ele, com pessoas que deram "certo", como artistas, empresários, executivos, descobriu-se que todos eles tiveram, claro, um pouco de motivação e talento, mas que 70% das suas conquistas vieram mesmo da sorte. Isso! Da sorte de estarem no lugar certo, na hora certa ou conhecer a pessoa certa que pode dar aquela ajudinha básica. Em sua opinião, dizer que tudo se consegue com um simples força de vontade ou com o poder do pensamento é charlantanismo.

Nós como Testemunhas de Jeová devemos fugir desses montes de tolices. A Bíblia, como palavra de Deus, tem conselhos úteis de como devemos direcionar nossas vidas, sem precisar recorrer a textos toscos. O provérbios bíblicos são diretos e de fácil compreensão.

Gandhi, uma vez falou, que se os homens seguissem de perto todos os ensinamentos de Jesus seriam felizes. “Mas porque que os cristãos, não são?” Porque assim como o jovem rico que preferiu seguir seu caminho do que dar todo o seus bens para ser seguidor de Cristo, muitos hoje estão dispostos a seguir a Cristo apenas naquilo que lhe é conveniente” - Marcos 10:17-22

Se Gandhi conhecesse nossos Pioneiros de tempo integral, talvez tivesse tido a oportunidade de testemunhar pessoas felizes. Eles são felizes e não precisam de livros de autoajuda. - Filipenses 4:6,7.