sábado, 27 de fevereiro de 2010

ANIVERSÁRIOS


"Um nome é melhor do que bom óleo,
e o dia da morte [é melhor] do que o dia em que se nasce".
- Eclesiastes 7:1


Como todos devem saber, o Distrito Federal é um lugar único no Brasil. Não somos um Estado, somos um Distrito formado por várias regiões administrativas, popularmente conhecidas por cidades-satélites. São o equivalente aos bairros de vocês, só que bairros mais independentes com infra estrutura de uma pequena cidade. A maioria foram planejadas, criadas e povoadas de forma organizada. Assim, aqui no Distrito Federal 22 dias (que é o número de cidades-satélites que existem por aqui) são separados para os tais "aniversário da cidade". Em algumas cidades tradicionais como Gama, Taguatinga, Ceilândia, Planaltina e Sobradinho, geralmente são recheados de shows com gente importante da música popular tais como Jorge Aragão, Chitãozinho e Chororó, NX Zero e afins. Uma boa oportunidade gratuita de ver um showzinho. Certo?

Bem, dia desses o sambista Jorge Aragão iria fazer um show no Gama. Não tenho muita simpatia, mas minha esposa enfim gosta dele. Minha irmã, que é de Salvador, estava em minha casa e logo perguntou se era festa de aniversário da cidade. Ué, se fosse não poderia? Por que? A-ni-ver-sá-ri-o!! Eu poderia responder com uma pergunta bem básica: porque aniversário de casamento pode e aniversário da cidade não pode? Descobri que minha irmã faz parte daquela turma que tem preguiça de ler, pesquisar, e prefere ser "servida" da verdade por opiniões pessoais de irmãos próximos. Então vamos lá!


Todas as vezes que falamos de aniversários, não estamos falando necessariamente do aniversário natalício (Natalício = Natal = Nascimento). Aniversário significa uma celebração anual de um determinado acontecimento. Poderia ser o "aniversário" de um carro que comprou, do dia que entrou no seu emprego, no dia que comprou sua casa própria ou do seu casamento, por exemplo. Quando decidirmos comemorar um aniversário, que não seja o natalício, devemos considerar aspectos circunstanciantes como se é apropriado, se vai servir de pedra de tropeço, essas coisas, mas não porque é condenado pela Bíblia. Muito pelo contrário, as Escrituras está cheia de situações aonde o povo de Deus comemoravam aniversários: as celebrações de Israel era um aniversário, o memorial da morte de Cristo também é um aniversário (Êxodo 12:14; Lucas 22:19) Desta forma, não existe mal algum se um cristão decidir fazer aniversário de seu casamento ou comparecer a uma festividade de aniversário de sua cidade. Não estará ferindo nenhumá Lei bíblica.

Claro que o mesmo não se aplica aos aniversário natalícios. Sabemos das origens pagãs e religiosas de tal prática e que o fato de elas terem sido mencionadas negativa na Bíblia, fazem com que os cristãos cheguem a conclusão de que não se devem ser seguidas ou praticadas. Portanto, a Bíblia coloca claramente as celebrações natalícias numa luz negativa, algo que os cristãos sinceros não desconsideram.

Mas por favor, na próxima vez que alguém lhe convidar para um aniversário de casamento ou para assistir um show em comemoração ao aniversário de sua cidade, não me pague o mico de dizer que não vai, "porque você não costuma festejar aniversários".

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO


"Eu tentei fugir,
não queria me alistar
Eu quero lutar,
mas não com esta farda"
- Ira!



O Brasil costuma andar na contramão do desejo dos seus cidadãos. Enquanto muitos lutam pelo fim do serviço militar obrigatório, o Governo avança em sua política de censura e cerceamento dos direitos civis dos brasileiros. O Serviço Militar Obrigatório nasceu no Brasil no longínquo ano de 1908, graças as tribulações proemninentes da situação política da época, que como toda Testemunha de Jeová deve saber, acabou culminando na 1º Guerra Mundial em 1914. Com isso, para garantir seu poder bélico, após uma série de mudanças, finalmente em 1964 o Brasil adotou a Lei do Serviço Militar, que conhecemos até hoje, aonde obrigam seus cidadãos a servirem nas Forças Armadas.

Porém com o passar do tempo, principalmente depois das atrocidades cometidas na 2ª Guerra Mundial e nas batalhas que se sucederam depois, a humanidade passou a não ver mais sentido nas guerras e uma campanha pela paz passou a surgir. Com isso muitas nações se viram que obrigadas a mudar seu conceito e não obrigavam mais o seus cidadãos a se alistar contra sua vontade. Assim, na maioria dos países democráticos no mundo, inclusive os Estados Unidos da América, maior potencia mundial do mundo contemporâneo, servir ao exército é opcional. Porém, o Brasil, país que oficialmente nunca foi alvo de uma ameaça bélica manteve sua decisão graças ao lobby dos militares.

Na década de 80 muitos jovens, influenciados pelo anarquismo do movimento punk, iniciaram uma campanha para por fim a obrigatoriedade. O assunto era motivo de vários discursos e canções do chamado rock nacional. Ainda assim, porém, o lobby dos militares foi mais forte e mais uma vez a obrigação era mantida na Constituição Federal em 1988. No entanto, graças aos comunistas, uma ressalva foi criada: a possibilidade de se fazer um serviço alternativo ou a total eximição para aqueles que por motivos filosóficos, políticos ou religiosos. O Serviço Alternativo, como o próprio nome diz, é uma alternativa a se pegar em armas, como por exemplo, trabalhar na área administrativa, como cozinheiro, etc. Alguns irmãos se sentem à vontade, conforme sua consciência lhes permite a utilizar esta opção, outros entretanto preferem pedir a eximição.

Agora o Governo Federal decidiu corroborar de vez contra a liberdade do cidadão por meio do Plano Estratégico Nacional de Defesa que sugere a manutenção do serviço militar obrigatório. Mas não é só isso! Também propõe que os homens dispensados do treinamento nos quartéis, e também as mulheres, cumpram o serviço social obrigatório, ou seja, prestem à sociedade serviços relacionados a sua formação profissional ou acadêmica como alternativa por não servirem as Forças Armadas! A idéia ainda precisa ser aperfeiçoada e depende da aprovação de uma emenda constitucional para entrar em vigor, mas se depender do lobby dos militares e da ânsia de controlar o povo que os partidos de esquerdas possuem, sobretudo os esquerdopatas do PT, não me surpreenda que ela seja aprovada.

Tudo isso só ocorre em republiquetas subdesenvolvidas aonde as autoridades precisam manipular seus cidadãos. Curiosamente, os EUA, país cuja preocupação com a segurança nacional é prioritária por ser alvo de vários grupos terroristas e países inimigos, adotaram o serviço militar profissional, não obrigatório, depois da "inútil" guerra do Vietnã aonde vários de seus jovens morreram ou tiveram consequencias físicas irreversíveis. Na Europa, alguns países, como a França e a Inglaterra, não exigem mais o cumprimento do serviço militar. Dentre os países ricos, apenas a Alemanha ainda mantém o serviço obrigatório, muito mais por causa de uma cultura belicista herdada da derrota na 2ª grande guerra.

Enquanto isso, nós continuaremos a nos "beneficiar", por assim dizer, do serviço alternativo ou da completa eximição, enquanto os esquerdopatas do PT permitirem.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA


“Outrossim, se o teu irmão cometer um pecado, vai expor a falta dele entre ti e ele só. Se te escutar, ganhaste o teu irmão. Mas, se não te escutar, toma contigo mais um ou dois, para que, pela boca de duas ou três testemunhas, todo assunto seja estabelecido. Se não os escutar, fala à congregação. Se não escutar nem mesmo a congregação, seja ele para ti apenas como homem das nações e como cobrador de impostos." - Mateus 18:15-17




:: Sobrevivendo ao Arrogante

Bem, as pessoas arrogantes de um modo geral, segundo alguns especialistas (leia-se pesquisa no Google), no fundo, são inseguras e tem auto-estima baixa. Por isso o melhor mesmo é evitar confronto com a pessoa arrogante, porque isso vai aumentar esses sentimentos e vai torná-lo ainda mais assim, deixando a relação mais dífícil. Lembre-se que o arrogante geralmente tem influência junto aos anciãos e aos irmãos em geral, graças a sua pose de certinho, e as vezes entrar em conflito pode lhe custas alguns doses de estresse.

Trate-o com respeito, pois o prazer do arrogante é destratar principalmente aqueles que entram em conflito com ele, mas deixe claro que respeito não é subordinação. Quando ele passar dos limites como, por exemplo, criticar alguém ou algum arranjo da congregação, diga-lhe com carinho, mas firmeza, que não concorda com ele e utilize o princípio bíblico destacando as qualidades da pessoa criticada. Peça para reconsiderar a atitude ou rever os conceitos dele sobre aquela pessoa. Lembre-se que isso tem que ser feito de uma forma carinhosa, não com arrogancia, se não o tiro sai pela culatra. Isso não vai fazê-lo deixar de ser arrogante, mas ele saberá que a atitude dele não minimiza a você.

Se apesar de tudo isso, o arrogante continuar assim em grau máximo, o melhor a fazer é se afastar dele. Se não puder, lembre-se que no fundo ele é inseguro e usa isso como uma defesa que ele pensa que tem. Portanto o melhor a fazer é usar o princípio bíblico do perdão e não se deixar abater por ele.

:: Sobrevivendo ao Autoritário

A situação do autoritário é parecida com a do arrogante. Como ele padece de auto-confiança, confere a si uma falsa "autoridade" - julgar-se acima dos demais lhe dá ilusão de autoconfiança. Por isso também evite confrontos diretos com o autoritário. Quando se julgar magoado, humilhado, lembre-se dos princípios bíblicos sobre o amor, alegria, benignidade e da paciência e se fortaleça.

Uma das coisas que eu faço nestes casos é olhar nos olhos da pessoa ( desviar o olhar geralmente denota fraqueza ou insegurança), procurando transmitir carinho, simpatia e... confiança. Eu tinha um problema sério com um superintendente de serviço de minha congregação em Salvador que gostava de me pegar pra Cristo e enquanto ele esbravejava, eu apenas olhava de forma alegre e carinhosa e dizia "eu acho que você tem razão, porém não seria interessante também avaliar desse ponto de vista?". O superintendente presidente ria com a situação e costumava me chamar de diplomático.

Lidar com pessoas autoritárias é difícil, pois ele não é do tipo de sentir pena ou acolher alguém. Na maioria das vezes, eles se sentem solitários, por isso tente acolhê-lo demonstrando empatia e compreensão. Mas se a situação for impossivel, o melhor a fazer é conversar sinceramente com a pessoa, demonstrar como você se sente e que seria bem melhor se ele o respeitasse, da mesma forma como você o respeita. Se a situação estiver lhe atingindo ao ponto de influenciar na sua espiritualidade, seria melhor conversar com um ancião de confiança sobre o assunto.

:: Sobrevivendo ao Ingênuo

Parece irônico, mas também existe a necessidade de se proteger do ingênuo. O grande problema dos irmãos assim é que a linha entre a ingenuidade e o choque de valores é tênue. Assim, como não somos perfeitos e estamos sujeitos a erros, o grande problema de se conviver com o ingênuo é que ele sempre vai se horrorizar com o que você fizer de errado, por assim dizer, mesmo que não seja tão errado assim.

Lembre-se que o ingênuo, necessariamente não é aquele irmão que quer se fazer de certinho, ele realmente é certinho, mas pior, na sua ingenuidade acha que tudo ocorre exatamente como num conto de fadas cristão. Quando algo sai errado, na visão dele, a reação é tão instantanea que você acaba se achando o cristão mais pecador de todos.

Em Salvador, no período de carnaval, os irmãos costumam "fugir" da folia acampanhando no interior do Estado ou indo para praias longínquas. Me lembro que uma certa vez os jovens começaram com uma horrível "brincadeira" de soltar peidos dentro do quarto, e um dos irmãos, irritado, começou a apelar e a esbravejar com todo mundo. O que foi para muitos uma história engraçada para se relembrar depois, para um determinado irmão foi "uma coisa absurda, indigna de alguém que se chame irmão". Como o ingênuo conseguiu os ouvidos de um ancião, não deu outra, na primeira oportunidade num discurso público, ouvimos conselhos de como se comportar dignamente como Testemunhas de Jeová e um saldo negativo de mancha na respeitabilidade.

O melhor nestes casos é evitar o ingênuo, seja por evitar fazer comentários que aparentemente sejam polêmicos ou até levá-los como companhia a locais aonde você e seus amigos precisam ficar, digamos, um pouco mais espontâneos. Por outro lado se estiver faltando companhia, iniciar conversas utilizando o clichê "Nossa, mas o estudo da revista estava maravilhoso, não é?", você terá a admiração e o respeito dele por anos à fio.


:: Sobrevivendo ao Impulsivo

É muito difícil você lidar com uma pessoa impulsiva, principalmente se você costuma ser discreto. Certa vez numa grupo de discussão na internet, uma certa irmã da Nova Zelândia, me encheu de impropérios só porque comentei de forma bem humorada que uma pessoa não pode ser considerada culta só porque passa o dia assistindo a TV Cultura ou os documentários do Nat Geo. Fiquei realmente sem ação, porque o impulsivo - o popular barraqueiro - não age com razão, mas com a emoção, por isso nunca pensa nas consequencias, mas naquilo que ele pode te proporcionar naquele momento.

Infelizmente não existem segredos para lidar com eles. Utilize o principio da benignidade e da longanimidade e não reaja; simplesmente afaste-se e espere que ele se acalme e depois o procure para conversar. Lembre-se que no caso do impulsivo, isso pode levar dias, mas lembre-se do princípio de perdoar até setenta e sete vezes, se for possivel. Como ele também está debaixo de princípios bíblicos, com o tempo, mesmo contra a vontade, ele será obrigado a te ouvir, se você insistir, aonde poderá conversar com ele com muita calma.

Caso seja impossível sair de perto ou lidar com a situação, mantenha-se calmo, aconteça o que acontecer. Procure um irmão de confiança e comente o assunto com ele. Se for o caso, faça como Jesus aconselhou e chame duas testemunhas ao conversar com o irmão. Mostre-lhe que você se sentiu bastante magoado e surpreso pela atitude dele, principalmente por causa do respeito que você tem pela pessoa, e que não gostaria que se repetisse; deixe claro que você esta aberto a qualquer critica ou sugestão que ele esteja disposto a fazer, mas que seja numa conversa apenas entre vocês, e não num escandalo envolvendo outros irmãos. Mostre-se sereno, simpático e sorria! Aos poucos ele irá de desarmar e você nem precisará envolver os anciãos nesse quiprocó!


:: Sobrevivendo ao Inseguro

O inseguro tem uma necessidade grande de contar o tempo todo com pessoas que possam protegê-los, guiá-los em meio aos "perigos" e às indecisões da vida. O problema é que isso cansa; e muito! Como comentei antes, isso pode desencadear um outro problema: quando conseguimos convencê-lo de que não somos guias e nem protetores, eles se afastam, porém levam para o próximo "eleito" tudo que observaram e escutaram ao conviver com você. Por isso é necessário tratá-lo com reservas, por mais cruel que isso possa parecer.

Não conte-lhe segredos íntimos, nem o receba no seu trabalho ou na escola, mesmo que ele insista. Quando o mesmo for em sua casa, evite que ele entre no seu quarto ou vasculhe suas coisas pessoais. Nada de abrir o coração com ele ou de comentar fatos pessoais, ou de outras pessoas. Lembre-se que qualquer informação distorcida pode ser usada por pessoas sem escrúpulos.

Quando adolescente havia uma irmãzinha danada para fazer e desfazer "amizades íntimas" que ninguém entendia o porque. Na maioria das vezes os irmãos acabavam se afastando dela por "cansaço". Então ela acabou fazendo amizade com minha irmã caçula. Era um negócio de entra e sai, liga e desliga que já estava me incomodando. Falei para minha irmã: cuidado, pois da mesma forma como ela critica e cita peculiaridades das irmãs que um dia foram as melhores amigas dela, com certeza ela fará o mesmo com você, quando achar uma nova melhor amiga. Minha irmã não me ouviu. Resultado: alguns meses depois, quando minha irmã cansou da insegurança dela e se afastou, logo depois foi envolvida num caso de fofoca na congregação, tudo porque um comentário inocente que ela fez foi usado pela irmã insegura a sua "nova amiga".

Assim, o melhor a fazer é sempre andar com reservas com pessoas inseguras.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

ROSA DE SARON

Em tempos de banalização do rock, com bandinhas-teens-imbecis-feitos-para-adolescentes bombando nas FM, nada como buscar por algo mais maduro e de qualidade. Então você pode optar por bandas alternativas que se preocupam em fazer um som com criatividade sonora e letras mais intrínsecas como Ecos Falsos, Cérebro Eletrônico, Moptop, entre outros. Mas pode escolher também a banda católica Rosa de Saron.

A banda formada dentro do movimento católico da renovação carismática em 1988 serve de alternativa para os órfãos deixados pela Banda Catedral que no intuito de agradar gregos e troianos, acabou desviando do seu foco principal (nossa, até cover de Elvis eles gravaram, argh. Nada contra o Elvis, mas gravar um cover dele foi tosco demais) e com isso cairam no ostracismo.

Mais uma vez, vale frizar, não desperte seu preconceito ou tampe os ouvidos só porque eles são católicos. Eles não seguem a linha pregação, ou seja, nada de "aleluia, aleuia, glória ao senhor" de cantores gospeis comuns. Suas canções são mais discretas e evidencia muito mais a melodia e poesia das letras em celebrar a vida e o amor. São canções que grudam no ouvido. Enfim, ouçam primeiro; critique ou curta depois.




Depois de vender mais de 500 mil cópias do excelente álbum acústico, eles voltaram com as guitarras afiadas. O novo disco traz um Rosa de Saron mais contundente e aprimorado, sob influência de bandas britânicas, principalmente.

A canção de apresentação, o Sol da Meia Noite é a melhor de todas. Me lembra muito o 30 Seconds for Mars em alguns momentos. A banda possui uma guitarra base pesada de fundo, que serve de contraponto ao solista que dedilha pequenas notas que ao todo acabam se tornando um som vigoso. A letra é bonita e o refrão gruda automaticamente no ouvido, assim também como Menos de um segundo.

Folhas do Chão é uma balada que começa devagar e terminas com guitarras vigorosas bem ao estilo do rock underground inglês da década de 80. Em Um novo adeus eles fazem uns com arranjos em violoncelos que ficou muito legal. Mas as guitarras estraçalham mesmo nas canções Entre aspas e Mesma brisa que os colocam no topo de um dos melhores álbuns de rock da atualidade.

Minha triste imperfeição e Meu lugar formam as baladas do álbum, porém nada muito meloso não, um som com certa dinâmica e identidade. E por fim temos a experimental e poética Velhos Outonos aonde a poesia de Guilherme Sá é declamado com um ótimo fundo musical.




quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Big Bosta Brasil 10




Não assisto o Big Brother Brasil 10. Definitivamente não assisto aquela porcaria. Mas por meio de noticias de jornais, sites noticiosos e colegas de trabalho sei que os participantes são do chamado grupo modernino. Sei que existem dois gays, sendo um deles um emozinho metido a sensível e um idoso que se veste de drag queen e que os dois protagonizaram o primeiro beijo gay da televisão. Sei que existe uma policial baiana promíscua e vulgar cujo seu comandante até chamou-a de vagabunda em entrevista ao jornal Correio da Bahia. E sei que existiu uma "vilã" chamada Tessália, que acabou de sair semana passada com um número recorde de rejeição.

Infelizmente hoje o mundo está cada vez mais envolvido na promiscuidade e no relativisto da ignorancia. Virtudes como conhecimento, moral, honestidade, valores familiares foram exterminados pelo novo Fashion da mídia televisiva. O legal é exibir corpos esculpidos em academias ou envoltos em tatuagens. Enfim, um monte de babacas metido a moderninhos fazendo justamente aquilo que a massa televisiva manda, especialmente os maiores manipuladores da TV, a MTV e, neste caso, a Rede Globo.

O BBB10 deste ano está na sua visão mais imoral representando a massificação da nudez explícita, do linguajar xulo, da exposição de pessoas medíocres com os seus pensamentos medíocres, da apelação ao sexo fácil - a eliminada supostamente teria feito sexo oral em um dos participantes em rede nacional apenas para levantar sua audiência. Acho ridiculo assistir um bando de idiotas oportunistas mostrando sua intimidade explícita ávidos pelos holofotes do estrelato, para depois serem convidados a posarem em revistas masculinas ou gays ou servindo de chamatrizes para festas pornográficas discutíveis para não cair no esquecimento.

Enfim, não quero dar uma de moralista ou de hipócrita, mas apenas registrar minha indignação por um programa tosco e sem sentido, que infelizmente, é o maior sucesso de audiência e de faturamento do Brasil. Pão e Circo ao povo!!! Definitivamente o BBB10 não é exemplo de cultura e divertimento saudável para ninguém.