sexta-feira, 25 de junho de 2010

ESTRELAS


“A todas [as estrelas Deus]
chama pelos seus nomes”
- Sal. 147:4




As estrelas são uma das coisas que mais fascinam astrônomos e astrólogos. Os primeiros de forma científica devido a grandiosidade do universo. Os últimos pela forma charlatã que engana um monte de incautos que acreditam que as estrelas pode revelar o futuro ou controlar o destino das pessoas.

É incrível como o conhecimento liberta. Até os meus 7 ou 8 anos, acreditava fielmente que as estrelas controlavam minha vida. Eu tinha o costume de comprar uma revista que tinha uma previsão diária, todo o ano, para o signo o qual eu faço parte. Eu lia essa revista, assim como lemos o Examine: antes do café, para refletir e verificar o que os “astros” planejavam para mim, e na maioria das vezes, o engano de nossa mente junto com a astúcia do diabo, faziam com que eu tivesse a impressão de que tudo estava realmente acontecendo conforme a previsão.

Mas nada como tomar um tapa na cara, literalmente, para acordar do engano. Me lembro que estava de férias na casa de minha tia em Nazará-BA, e muito interessado numa menina. Ao ler o meu horóscopo, vi algo como “hoje dia propicio para o amor, vá em frente” e sem mais nem menos, resolvi dar um beijo de surpresa nesta menina. Resultado: além do tapa na cara, ainda fiquei de castigo, uma vez que a mãe da menina veio reclamar com minha tia, que sua filha “puríssima” tinha sido atacado por mim.

Despois desse dia, tomei tanta raiva desse negócios de horóscopo que passei a acreditar menos, até que finalmente quatro anos depois, por meio do Estudo da Bíblia, vi que tudo não passada de uma grande mentira.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

SELEÇÃO DA CBF E A PATRIOTADA

Vou admitir uma coisa para vocês. Não torço pela Seleção Brasileira, assim, não torço nem a favor, nem torço contra. Pra falar a verdade, até torço para que Seleção da CBF passe de fase para que eu possa ter alguns dias de folga durante esse mês, e o vindouro. Mas jamais fiz um churrasco, ou convidei os irmãos ou amigos, sequer fui em barzinhos, ou qualquer outro lugar para torcer pela Seleção da CBF. Já fui à casa de amigos, ou até fiz algumas "bagunças", mas muito mais pela bagunça, do que por me importar realmente com a seleção brasileira.

Grande parte desta minha ojeriza pela Seleção da CBF seja pelo fato de nunca ter me identificado com ela. Pra começar, por causa dos conselhos bíblicos e de todas as orientações do Escravo Fiel e Discreto contra o sentimento nacionalista que cria no Brasil uma nação de pseudo-patriotas ou patetas-patriotas-de-conveniencia. Mas sou fã de futebol, e essa desculpa não colaria. Na verdade, como baiano, nordestino, e torcedor do Vitória, nativo de um país de 27 unidades federativas, quase 200 milhões de pessoas, eu não me identifico com esse tal selecionado sempre baseado na "panelinha" do eixo RJ-SP.


Minha seleção é o Vitória, minha Copa é o Campeonato do Nordeste e a Copa do Brasil, o qual meu time, mesmo com poucas chances, pode ser tornar campeão. Nunca derramaria uma lágrima por uma derrota do Brasil, e sequer choraria de alegria se o Brasil for hexacampeão da Copa do Mundo.

Quando garoto, sempre ficava frustrado por quê nunca tinha um jogador baiano na Seleção pseudo-Brasileira. Diziam que era normal, porque somente os jogadores dos grandes times eram convocados, eu era pequeno, não entendia isso, achava que a Seleção Brasileira tinha que ter no mínimo um jogador de cada Estado. Mas aí eu cresci, e mesmo depois da convocação de baianos, ex-Vitória, como Bebeto, Vampeta, Dida, Paulo Isidoro, Alex Alves, até mesmo Charles do finado Bahia!!!, não me sentia atraído a eles, porque estes só tinha ido depois que jogaram nos times do Rio ou de São Paulo. Tudo era a famosa panelinha da CBF.

Eu era baiano, nordestino, definitivamente para mim, aquela não era uma seleção brasileira, não era uma seleção que merecia a minha torcida. Hoje, e durante algumas copas, eu até sentei para torcer pela Seleção, mas era tudo mentira, eu estava fingindo, fingindo para me divertir com os amigos, fingindo para ter uma desculpa para "bagunçar" ou para me divertir. Mas sinto muito mais vontade de torcer pelo Japão e Inglaterra (por causa da cultura deles), por Portugal (devido a vários amigos que tenho por lá),pelos Estados Unidos (se o futebol ficar popular por lá, melhor para mim que poderei ver filmes interessantes no cinema), pela Argentina (porque tem um futebol vigoroso, de verdade!) e pelas seleções da África, do que por este selecionado VIP do Brasil. Brasil e Costa do Marfim?? Claro que torci pela Côte D´Ivore!!!

Enfim, eu sou aficcionado por futebol. Isso me faz até adotar o time de minha cidade - Gama - mesmo este participando da Série C e caindo pelas tabelas. Mas um jogo que não me toca no coração, este tem a presença da Seleção Brasileira. Nada tenho nada contra, e nada a favor, ele apenas não me emociona, não me faz rir, chorar, sentir alegria e raiva como os jogos do Vitória.

Para mim, definitivamente, a Seleção Brasileira não é especial!

terça-feira, 15 de junho de 2010

SEMENTE, SEMENTE, SEMENTE...

Hoje decidi virar o teclado para ver se caía alguma coisa... nossa!, caiu tanta coisa: migalha de pão, migalha de biscoito, migalhas.. migalhas... Do que jeito que estava, se eu jogasse umas sementinhas no meu teclado, com certeza ele terminaria assim.





sexta-feira, 11 de junho de 2010

CARNES SACRIFICADAS À ÍDOLOS


No entanto, se tivésseis entendido o que significa:
‘Misericórdia quero, e não sacrifício’,
não teríeis condenado os inocentes.
- Mateus 12:7




Imagine que você fosse convidado para uma festa, um grande churrasco, e antes de devorar aquele suculento pedaço de picanha, alguém te confidenciasse que a carne fora comprada de um açougue aonde o dono é Pai de Santo? Pior, parece que os bois são oferecidos nos rituais de candomblé e somente depois é que são abatidos e levados ao açougue para serem vendidos?

Qual seria sua reação? Gritar "Ai, meu Jeová", jogar a carne no lixo e sair correndo o Salão do Reino mais próximo para não perder a vida? E o que acharia de outros irmãos que continuasse lá aproveitando cada pedaço do suculento churrasco. Que ele é fraco? Que existem TJ e TJ?

Se pensou assim, melhor pensar duas vezes e ler com mais calma 1 Corintios 8:4-13, 10:23-31.

(Pausa para leitura)


Observaram que nem tudo parece ser óbvio demais? É interessante que das mais de 600 leis que Jeová deu à Israel por meio de Moisés, pouquíssimas continham ordens explícitas que regulavam a vida do servo de Deus; a maioria apelava para a consciência individual, ou seja, a Testemunha que dedicou sua vida à Jeová usufrui a liberdade de se guiar por sua consciência treinada pelo espírito santo e pela Bíblia.

Mas não é incrível que quanto mais aprendemos nas reuniões sobre isso, muitos mais irmãos surgem se achando no direito de serem considerados acima do bem e do mal, e com uma capacidade resoluta de julgar e criticar o próximo? E não é que o apóstolo Paulo deu um tapa na cara de quem acha que ser Testemunha de Jeová é dizer para o próximo comprar uma máscara de oxigêncio para não respirar "o ar deste mundo" enquanto em sua própria casa é capaz de respirar o cheiro imundo que sai de sua própria mente?

Claro, que por outro lado, Paulo não estava nos exortando a ser livres e independentes demais. Na verdade a idéia era mostrar que temos a liberdade que quisermos, desde que esta não infrinja princípios bíblicos, e também, não seja motivo de pedra de tropeço.

Há dois capítulos antes, o espírito santo tinha movido Paulo a declarar: "conhecimento enfuna, mas o amor edifica". Vocês já pararam para refletir o quão poderosa são essas palavras? Quando você critica alguém por estar fazendo algo errado, você pode até ter razão, mas você está enfunado à base do seu conhecimento bíblico. Mas ter razão não é sempre amoroso. Às vezes é muito melhor ser feliz do que ter razão. Pois aquele que ama de verdade, deixa de lado a razão, mesmo que por um momento, para fazer o que certo, para fazer o que é cristão.

E isso envolve deixar de lado o rancor e a presunção que o conhecimento pode trazer, e fazer outros tropeçar, mas se apegar apenas à necessidade de ajudar, resgatar, de querer levantar o próximo. Lembre-se do que Jeová quis dizer quando falou preferia misericórdias do que sacrifícios. Pense nisso... e quem sabe, "provavelmente seremos escondidos no dia da ira de Jeová" (Sof. 2:2,3)



.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

CONTRAN CONTRA AS CRIANCINHAS!



Quem me conhece sabe perfeitamente que não sou um brasileiro admirável. Não sinto tanto amor por este país terceiromundista, amo a cultura britânica e gostaria muito de ter nascido na Inglaterra e há 10 anos torço pela Seleção Portuguesa. Eu até tento amar este país, mas os órgãos públicos e os políticos não deixam.

Até terça-feira, 08, o Conselho Nacional de Trânsito, o CONTRAN, tinha decidido que seria esticado o prazo para a obrigatoriedade do uso de assentos infantis especiais para crianças com até 7,5 anos. Após alguma pressão da sociedade, o prazo foi extendido para 1º de setembro.

A resolução do Contran, aprovada em 2008, prevê multa gravíssima de R$ 191,54, além da perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e retenção do veículo até que o assento seja colocado novamente no veículo.

Então você, meu caro irmão pai ou mãe amorosos, deve estar se perguntando que mal há nessa resolução? Afinal a segurança de nossos filhos deve vir em primeiro lugar, correto? Balela, isso nada mais é do que uma Lei criada para satisfazer o lobby dos empresários do setor, que nossos políticos sempre costumam fazer, após receber aquela propina básica.

Para começar, a Lei foi criada sem apresentar nenhum dado estatístico mostrando que a falta das tais cadeiras seria impactante para mortes de crianças em veículos. Foi criada apenas sob o discurso demagógico de "proteger as nossas criancinhas". Tanto que além de exigir as cadeirinhas, comuns apenas para crianças pequenas, a Lei aumentou a idade limite de 5 para 7,5 anos, aonde, observem, não se exige mais as cadeiras-berços, mas sim adaptadores, que segundo os fabricantes de veículos, são totalmente desnecessários, uma vez que os cintos de segurança são testados e fabricados tanto para adultos como para crianças a partir de 5 anos de idade. Alguns desses fabricantes alertam que os adaptadores para crianças crescidinhas podem ser até perigosos, pois pode dificultar o resgate em casos de capotamento.

Enfim, a Lei demagógica serve para abastecer os empresários do setor. As cadeirinhas e berços que antes eram encontrados com preços entre R$ 200,00 e R$ 400,00, sumiram das lojas e as que são encontradas chegam custar entre R$ 800,00 e R$ 1.000,00!!! Lembram outro exemplo dessa vergonhosa prática, que foi a obrigação, há alguns anos atrás, do transporte de estojinhos de primeiros-socorros nos veículos. O curioso nesse caso, é que somente o kit da Johnson & Johnson era autorizado (segundo os DETRANS, porque vinham com manual de instruções), e custava dez vezes mais do que os modelos (proibidos) vendidos nas lojas de R$ 1,99.

A Lei demagógica serve também para abastecer a "indústria das multas" e assim, os cofres dos DETRANS, órgão conhecido pela sua total incompetência e incapacidade de gerir aquilo pelo qual foi criado: educar o cidadão e organizar o trânsito. E observem que seus funcionários recebem salários astronômicos para não fazer nada já que a Polícia Militar é quem organiza 99% do trânsito nas cidades e muitos dos serviços administrativos são feitos por terceirizados.

Na prática essa Lei ajudou apenas a separar famílias. Imagine você pai de três filhos pequenos, tendo que desembolsar até R$ 3.000,00 para não levar uma multa de R$ 191,00? Além disso pense no número de cadeiras "paraguaias" que aparecerão no mercado, cuja eficiencia será quase zero?

Eu tenho 03 sobrinhos de 2, 5 e 7 anos, que de vez em quando costumo levá-los ao parque, zoológico ou para passear. "Titio quando é que você vai me levar no parque de novo?". "Nunca mais, minha linda, porque agora titio não tem cadeirinha para levar vocês". Viu CONTRAN? A sua Lei demagógica fez, no mínimo, três crianças infelizes!!!