domingo, 26 de setembro de 2010

ALIMENTO ESPIRITUAL À DOMICÍLIO?

Fachada de uma Igreja Batista de Hampstead, Londres, UK. O letreiro diz:


"Comida Espiritual Servida Aqui.
Se deseja ser servido à domicílio,
esperem pelas Testemunhas de Jeová"




sábado, 25 de setembro de 2010

A TRAVESSIA DOS ISRAELITAS FOI NO MAR CANIÇOS?

Os cientistas, de um modo geral, são engraçados. Quando não se contentam em tentar desmentir à Bíblia ou quando não conseguem provar que algum relato não aconteceu, eles inventam então de deturpar a história.

Já há algum tempo alguns geólogos tem questionado a passagem bíblica da travessia do Mar Vermelho. Tentavam justificar que a passagem foi em algum outro lugar, especialmente numa região pantanosa do norte da África chamada de Lagos Amargos, mas enfim, esses geólogos sempre foram uma voz sem força na escuridão.

Pois bem, eles não desistem e recentemente um grupo de pesquisadores da Universidade de Colorado, EUA, criaram uma nova teoria aonde a travessia ocorreu no mar de Caniços, não na região do atual Mar Vermelho.

"Em artigo recente na revista científica 'PLoS One', eles estimam que um vento de velocidade próxima de 100 km/h, soprando sobre a desembocadura do rio Nilo por 12 horas, teria sido suficiente para empilhar as águas e abrir uma passagem com alguns quilômetros de largura."

Na verdade eles fizeram uma simulação de uma situação natural que poderia ocorrer com ventos fortes na velocidade de "100 km/h, soprando sobre a desembocadura do rio Nilo por 12 horas", que "teria sido suficiente para empilhar as águas e abrir uma passagem com alguns quilômetros de largura." O problema é que para justificar e provar essa teoria, eles mudaram o local da travessia. Para ajudar na sua teoria questionam inclusive a tradução bíblica informando que a palavra hebraica "Yam Suph" significaria mar de Caniços. (Veja simulação feita pelos pesquisadores)






Entretanto os pesquisadores, Carl Drews e Weiqing Han, não estão mal intencionados. Drews declarou ser cristão e apoiar o movimento Design Inteligente - grupo de cientistas mundiais que não concordam com a evolução darwiniana - e sua intenção é apenas provar fisicamente que o relato bíblico, de fato, existiu.

Bem meu caro Drews, pára com isso. É óbvio que os milagres de Jeová foram feitos utilizando eventos físcos da natureza, entretanto foram milagres!, ou seja, "o vento forte do leste" foi um vento incomum que transformou o Mar Vermelho em duas bandas. Além disso mesmo que fosse um evento natural, Moisés teria que ser um grandissísimo geólogo sortudo para prever que justamente quando ele fugisse do Egito o tal mar do Carniço seria partido em dois. - Exodo 14:21

Enfim, se ficou curioso pode ler a matéria completa nesse site: http://tinyurl.com/2vu753j Ah, e não se esqueçam de pesquisar tambem o livro Estudo Perspicaz das Escrituras sob o verbete "Mar Vermelho".

terça-feira, 21 de setembro de 2010

DESASSOCIADO DEU PITI NO CEARÁ

Ser nordestino no sul e sudeste é fogo, quanto mais tentamos evitar vexames, é quando aparece as peças raras. Não é que vem do Ceará a piada do ano? Um irmão de Fortaleza foi desassociado, deu piti, e resolveu fazer uma campanha regional para delírio dos evangélicos e apóstatas "ciarenses".





Parece coisa de comédia pastelão, por isso mesmo demorei a acreditar quando soube que um desassociado chamado Sebastião , em Fortaleza, orquestrou não só uma ação civil pública contra as Testemunhas de Jeová, como mobilizou um bando de desocupados para fazer uma espécie de manifestação contra a desassociação.

O tal Sebastião liderava um bando de gatos pingados, que possivelmente não tinha uma trouxa de roupa para lavar em casa, portando faixas, cartazes e camisetas com dizerem “Não à desassociação”, “Queremos nossos amigos de volta”, sob um grande outdoor citando o processo e a causa nobre contra à Organização.

A imprensa séria cearense, claro, caiu fora, mas teve um jornaleco chamado “Jornal da Assembléia” que na falta de um buraco melhor do Cid Gomes para mostrar, resolveu divulgar a bagaça. Pode se ver na reportagem acima que ainda apareceu um tal de Marcos, com uma cara de trouxa “solidário” com a manifestação, uma vez que só porque ele se afastou da igreja foi discriminado pelos amigos. Como diz um Gugu Liberato, muito tristi.

Oportunistas, a manifestação acabou atraindo um monte de políticos néscios tentando associar a desassociação à discriminação aos negros, mulheres e afins. Aí, é claro, ficou fácil para apóstatas e opositores, alguns deles evangélicos, pegar carona na história.

Eu ia até tecer um comentário sério sobre isso, mas depois das imagens acima, rir é a única solução. E ainda tem gente que acha que isso já é a perseguição. Por favor, me batam um abacate! A única coisa que posso dizer para os irmãos cearenses é que não entrem na pilha. As pessoas têm o direito de se manifestar, inclusive contra nós, se quiserem. A nossa defesa é feita por meios legais, por meio dos advogados da Associação, ou em último caso, por meios espirituais.

Totalmente desnecessários alguns vídeos aonde mostram irmãos discutindo com os tais manifestantes. Pelo amor de Deus gente! Essa guerra não é nossa, mas de Jeová. Nossa “guerra” é continuar defendendo seu nome por meio da pregação de casa em casa e em testemunhos informais.

Entretanto, de qualquer forma, para mostrar que a ação promovida pelo Sebastião é descabida, Justiça do Ceará deu parecer a favor das Testemunhas de Jeová solicitando o trancamento do processo com o seguinte argumento que descrevo abaixo na íntegra:

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) determinou, nesta terça-feira (31/08), o trancamento da ação penal movida contra Francisco Ribeiro Rebouças Júnior e Fernando Andrade Chagas, membros da Congregação das Testemunhas de Jeová, em Fortaleza. Os dois estavam sendo acusados de impedir o contato de Sebastião Ramos de Oliveira, desassociado da Congregação, com os integrantes daquela comunidade.

Conforme denúncia do Ministério Público (MP), Sebastião Ramos de Oliveira saiu da Congregação das Testemunhas de Jeová em dezembro de 2008. Por conta disso, ele teria sido impedido por Francisco Ribeiro e Fernando Andrade, respectivamente, presidente e coordenador da congregação, de manter “convívio social e familiar” com os membros da referida entidade. Essa postura, de acordo com o MP, infringiria o art. 14 da lei nº 7.716/89, que cuida dos casos de discriminação por motivo de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

A defesa dos acusados ingressou com pedido de habeas corpus (nº 44832-87.2010.8.06.0000/0) no TJCE requerendo a extinção da ação penal instaurada, alegando ausência de justa causa. O processo tramita na 6ª Vara Criminal da Comarca de Fortaleza.

Ao julgar o caso, a 1ª Câmara Criminal decidiu, por unanimidade, conceder a ordem para trancar a ação. “Não vislumbro, na escusa ao trato cotidiano, qualquer forma de discriminação, impedimento ou obstacularização. Há, sim, uma escolha por adeptos de credo religioso que, errado ou certo, apregoam a indiferença diante daqueles que, antes irmanados, abandonaram a crença, o que lhes parece lógico, pois resultante de interpretação da Bíblia Sagrada”, afirmou o relator do processo, desembargador Francisco Pedrosa Teixeira.

O relator finalizou: “Gostemos ou não, isso faz parte da liberdade de culto, sacramentada constitucionalmente. Levar a conduta ao patamar de ilicitude penal me parece demasiado. Ressalte-se que a vítima, em nenhum momento do inquisitório, acusou os pacientes, preferindo generalizar, afirmando que a discriminação era incentivada pelos dirigentes da aludida religião em todo o país. Se assim é, que seja acionada toda a comunidade eclesial!”



Fonte: http://www.tjce.jus.br/noticias/noticias_le_noticia.asp?nr_sqtex=20616#topo

sábado, 18 de setembro de 2010

CARRO VELHO

"Quer andar de carro velho amor,
que venha, pois eu sei que andar a pé,
amor, é lenha"

- Ivete Sangalo







Certa vez, tinha conhecido uma irmã num congresso, e conversa vai, conversa vem, parecia que finalmente iria arrumar uma namorada. Na semana seguinte convidei-a para passear no shopping, tomar um sorvete, tale e coisa, coisa e tale, e como ela era de família de classe média, imaginei, tenho que pegar ela de carro. Mas como, se o máximo que eu tinha era uma bicicleta?! A única solução era pedir emprestado um carro de alguns amigos. Entre "não" e "não posso porque vou sair agora", sobrou apenas o Fiat 147 de um irmão muito chegado. O FIAT 147 era lindo, bem cuidado, com umas rodas "filé", coisa de quem cuida com carinho. Mas como esse irmão acabou se atrasando em um estudo bíblico que ele foi, acabei indo para o encontro de ônibus. Conversa vai, conversa vem, comentei com ela do tal "147" e para a minha surpresa, ou não, ela falou: "ainda bem, porque eu iria morrer de vergonha em sair num carro velho desses!".


Depois dessa experiência nunca mais acreditei em "irmãs" que ligam apenas para o lado espiritual e não se importa com o lado material. Algumas mulheres dizem que a mania dos homens de dar tanto valor aos carros é ridícula, porém, como dizer que uma atitude dessas é machista quando encontramos peças como estas? Ta bom, sei que generalizar é errado, mas acabamos sendo manipulados pela generalização. (compare com 2 Timóteo 2:20,21)

Pena que muitas vezes o que chamamos de carro, parece ter o poder de espantar todas as mulheres em um raio de centenas de quilômetros... Seja pela cor horrível (laranja ou amarelo-ovo, por exemplo) ou pelo estado deplorável da lataria, aprendemos desde o berço que não basta apenas ter um carro: É preciso que ele seja capaz de nos ajudar a conseguir conquistar alguém!

E muitas vezes o momento decisivo do pobre irmão ficar ou não com aquela garota que ele conseguiu depois de algumas horas de chaveco no congresso, é exatamente na hora de apresentá-la ao seu carro. Aí ele vai ter que se superar para convencê-la de que não corre nenhum risco de contrair tétano se esbarrar na ferrugem. Sem contar que carro velho é o inimigo numero um das meias-calças, já percebeu? Nunca conheci uma mulher que não tenha saído de um cacareco sem deixar metade de suas meias grudadas nas ferragens.

Aqui no DF, aonde as pessoas possui um bom nível de vida financeira, e por isso mesmo, costumam andar de carro "zero kilômetro", mesmo que seja em 72x a preço mórdicos, andar num carro velho pode ser complicado.

Mas tem homem que parece se divertir com os defeitos que o carro vive acumulando. Sei lá, parece que carro velho desperta o "McGiver" que existe dentro de nós. Já reparou como todo dono de velharia adora resolver os problemas com grampos de cabelos, carvão de pilha, arame, palito de fósforo, e até coisas mais bisonhas, como usar esmaltes de unhas para retocar a pintura? (No meu caso, amo os sprays).

Pior que ter carro velho é não ter dinheiro para colocar gasolina. E o engraçado é que o bendito carro sempre resolve parar bem longe de um posto de gasolina, já reparou? Então, para acabar de vez com sua noite, ele procura umas moedas dentro do cinzeiro, sai caçando mais alguns trocados nos bolsos, e termina fazendo um pedido: "Você não teria uns cinco 'paus' para eu comprar gasolina?" Nossa, mais romântico que isso, não existe!!!

E depois de tentar fazer de tudo, cansar de girar a chave na ignição, ele vai perguntar se você sabe como fazer um carro pegar no "tranco". Bem, como é mais que natural, mesmo que você saiba como fazê-lo, carro velho sempre tem alguns segredinhos, que somente o dono conhece: "Você tem que "bombar com força" o pedal do acelerador, pisar na embreagem até o fim, e engatar a segunda, senão ele engasga e morre de novo!" Ou seja: depois de várias tentativas, quem vai ter que empurrar o carro será você! É minha filha, quem disse que baba de jegue é rapadura? Rapadura é doce mas é dura. É minha cara irmã, a situação é complicada. Ainda bem que só passei situações assim com minha esposa. Só assim para testar o amor.

O fato é que amo o meu Fiesta 96 motor endura. Ele me acompanhou em muitas aventuras e se pudesse falar, nossa, contaria muitas coisas. Talvez seja por isso que ainda insisto em gastar rios de dinheiro para mantê-lo sempre em forma, do que passar mais 60 meses pagando uma prestação de carro novo. Meu "neguinho", você é meu companheiro fiel, meu carro, e se alguém tiver de gostar de mim, vai ter que gostar de você também.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

IGREJAS-DORMITÓRIO


"Na proporção em que cada um recebeu um dom,
Usai-o em ministrar uns aos outros,
Como mordomos excelentes da benignidade imerecida de Deus,
expressa de vários modos."
- 1 Pedro 4:10




Quando Brasília foi construída havia necessidade de se construir “cidades” para os trabalhadores. Na inauguração em vez desses trabalhadores irem embora, acabaram ficando e assim, sem condição de morarem no Plano Piloto, foram povoando regiões que hoje são conhecidas como “cidades-satélites”. Mas antes de serem chamadas assim, elas eram chamadas de cidades-dormitório, ou seja, serviam apenas para que pessoas que vinham trabalhar temporariamente em Brasília pudessem dormir e se alojar. Por isso esse foi o nome que escolhi para designar algumas igrejas, sobretudo, as neo-pentecostais.

Eu convivi uma época com o pessoal da Igreja Renascer, antes de conhecer a verdade, e juntando com o pouco que venho conhecendo das pessoas que eu converso, cheguei a conclusão de que essas igrejas acabam sendo convenientes para quem procura fé-rápida e para a igreja que está mais preocupada com números do que com qualidade.

Tenho um amigo que é obreiro na IURD e questionei a ele se ele conhece todos os “irmãos” da igreja dele? A resposta foi exatamente o que respondia a minha questão: “Alguns, mas todo dia chega gente nova que é difícil gravar todos os nomes.” À despeito do “gente nova”, entenda-se renovação. Percebi que a grande maioria das igrejas neo-pentecostais está sempre lotada de pessoas que se renovam.

O lance é o seguinte: as pessoas estão tão desesperadas em busca de algo que lhe conforte o mais rápido possível, que se aprumar junto a essas igrejas que lhe oferece fé fácil acaba sendo o mais conveniente. Você entra, ora, chora, é consolado e, claro, paga. Com o passar do tempo, quando o problema não parece ser tão grande na vida dessas pessoas, elas simplesmente vão embora, pois não se vêem comprometidas com a igreja. Como a igreja também não possui nenhum comprometimento, o ciclo se fecha, se desfazendo e abrindo para novas pessoas, uma vez e uma vez mais.

Na época da minha estada pela Renascer eu lembro que quase não havia controle de quem entrava e saía da igreja, desde que a pregação da oferta tivesse sempre lotada de pessoas prestimosas. As pessoas iam e viam sem sequer sabermos especificamente quem elas eram, salvo uma ou duas vezes que você conseguisse uma “audiência” com o Bispo do lugar. Haviam pastores, presbíteros e diáconos, mas geralmente estes serviam apenas como equipe de apoio. Tanto que saí da igreja e até hoje acho que lembram mais de mim, assim como muitos outros da minha época, que também saíram sem sequer serem convidadas a ficar.

Claro que não deve generalizar. Igrejas evangélicas tradicionais como a Assembléia de Deus e a Batista possui uma administração mais rígida, embora na maioria delas, a falta do rebanho só é sentida quando o dízimo mensal não é pago (aí você recebe uma carta carinhosa lhe informando que você está em débito com o Senhor).

Enfim, não se devem temer evangélicos no serviço de campo justamente por isso. O fato dele conhecer aparentemente a Bíblia não o transforma num morador difícil de se lidar. Acredite, ás vezes é muito mais fácil do que convencer uma pessoa fanática que tenha apenas como prumo à sua crença. Lidar com católicos que não possui conhecimento algum da Bíblia, pelo menos para mim, é mais complicado, porque é mais difícil racionar com ela à base das escrituras. Mas cada caso, é um caso. Que no fim, nos empenhemos em usar nossos dons para servir à Jeová e atrair essas pessoas.

domingo, 12 de setembro de 2010

ESTUDOS BÍBLICOS


"Salvarás tanto a ti mesmo como aos que te escutam."
- 1 Tim. 4:16



Dirigir estudos bíblicos proveitosos é um dom que todos devem ter, mas apenas poucos possuem com habilidade. Os que trabalham de tempo integral no serviço de Jeová por padrão - e por treinamento - são os mais habilitados, mas existem pessoas que parecem ter nascido para isso. Moisés, meu ex-instrutor, hoje ancião coordenador da congregação Nascente, no Gama, é um deles. Seu interesse pelos estudantes vai muito mais além do que apenas passar verdades bíblicas, mas ele se preocupa e se interessa tanto por eles, que se torna também seu amigo, seu conselheiro, parte da vida deles. Eu fui seu primeiro estudante, isso há 23 e ainda hoje ele utiliza o mesmo método (se é assim que podemos chamar) e justamente por este motivo possui uma leva de pessoas que conheceram a Jeová por sua causa. Outro se chama Henrique, também ancião no Gama, que tem uma capacidade incrível e dissoluta de "convencer" os jovens a servir a Jeová. Os "meninos do Henrique", como são chamados os seus inúmeros estudantes que hoje servem a Jeová, alguns como servos ministeriais e até anciãos, mostram como seu método similar de se tornar não só um instrutor, mas um amigo pessoal na vida de cada um deles, é uma forma majestosa como Jeová atrai muitos.

Eu nunca herdei esse dom de Moisés. Nesses 23 anos tive muitos estudantes, mas pouquíssimos deles "renderam". Consegui levar dois ao batismo, Reginal, um senhor sério que se batizou mas 3 anos depois se envolveu com uma irmã e foi desassociado. Perdi o contato com ele, alguns dizem, que eles estão retornando, espero que parte da "semente" que eu coloquei seja um dos resultaodos disso. Curiosamente outro estudante por quem eu nunca achei que fosse sair alguma coisa, Junior, não só se batizou como se tornou servo-ministerial. Após isso, só pessoas que estudavam mas depois desistiam.

Há 5 anos quebrava minha cabeça com Erick. Gostava dele porque era um menino carente, e assim como eu, tinha um bom humor incrível. Mas ele acabou viajando para São Paulo, e perdemos o contato. Esta semana fui visitar a congregação Central do Gama, e distraído, recebi um murro, sim um murro, de um rapaz alto, cheio de espinhas na cara e aqueles dentões irreconhecíveis: Erick!!!! Voltou há 3 meses e agora está estudando a Bíblia novamente.

Acho que é essa alegria que os irmãos queria dizer quando terminaram o comentário do texto diário de hoje com as palavras: "Além do mais com o apoio de Jeová poderemos ajudar a salvar os que nos escutam. Que motivo de algeria isso seria!"

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

SINESTÉSICOS


Sempre atribuí cores às coisas. Por exemplo, para mim, segunda-feira é verde, terça é branco-gelo, quinta-feira vermelho. O mês de junho é rosa, janeiro é marron e o atual mês de setembro é amarelo. Loucura, não? Nem tanto.

Durante toda minha vida sempre achei que isso fosse meio louco ou uma forma que meu cérebro tinha descoberto para decorar coisas. Quer dizer, ainda não cheguei à conclusão de que não seja realmente louco, mas de todo jeito pelo menos um dos sintomas o qual eu acreditava piamente que fosse um deles acabei de descobrir na revista Mundo Estranho (sic) que se trata de um leve distúrbio comum dos que sofrem de sinestesia.

Sinestesia é um distúrbio neurológico que faz com que o estímulo de um sentido cause reações em outro, criando uma espécie de salada sensorial entre visão, olfato, audição, paladar e tato. O mais comum dos sinestésicos é atribuir automaticamente uma cor para determinado objetivo focado ou sentir cheiros diferentes em determinados lugares, mesmo que não haja nenhum odor. No meu caso isso é quase imperceptível e natural. E ocorre com muitas coisas. Letras, números, mês, dia, ano, palavras, sentimentos... todos eles para mim tem uma cor. Jeová? Branco. Jesus? Vinho. Testemunha de Jeová? Amarelo. Número 8? Marron... e por aí vai.

Mas se você achou tudo isso loucura, acredite, eu sou um dos menos sensíveis à sinestesia. Há casos aonde pessoas associam objetos à sons, cheiros e à alucinações. Uma pessoa irritada por sentir cheiro de rosas, ou estabelecer que “José” seja aparente confiável enquanto “João” seja uma pessoa falsa. Há casos aonde pessoas viam bolas coloridas diante de determinados sons.

Richard Feynman, um físico vencedor do prêmio Nobel dizia ver letras e números coloridos enquanto dava aulas. Eddie Van Hallen, líder da banda Van Hallen usou seu “dom” de ver notas musicais coloridas para criar a “nota marron” usada em discos da banda.

Enfim, se isso é loucura ou não, o fato é que muitas vezes utilizei a minha sinestesia como decoreba em provas e assim por diante. Às vezes sabia diferenciar DNA e RNA apenas pelas cores e me lembrava da solução. Incrível né? Ah, só por curiosadade, DNA é verde e RNA é branco-gelo.

sábado, 4 de setembro de 2010

25 COISAS QUE ESPANTAM NAMORADOS

1. Tentar ser a segunda mãe
Não adianta lutar contra a natureza: mãe é mãe e vice versa. Sempre será a número 1. Não caia na bobeira de querer brigar pelo lugar dela. Isso não significa que você não é amada; só não é tão amada como a mãe dele. Não existe coisa mais irritante para um homem do que ouvir alguém, principalmente sua esposa, falando mal de sua mãe. Se você tiver uma crítica, pode começar assim: "Amor, eu amo sua mãe de coração, mas eu observei que... O que você acha? Será que estou errada em pensar assim?"

2. A perseguidora
Você é daquelas que ligam de meia em meia hora só para falar um "oi"? Quer que ele esteja presente em sua vida 24h todos os dias? Não caia nessa cilada. Os homens gostam de cultivar os seus espaços. Quando ele diz que está indo sair com os amigos, ele só quer conversar besteira um pouco, coisas de homens. Nessas conversas, claro, vão falar de outras mulheres, mas na grande maioria das vezes é fazendo alguma observação engraçada, fofocando (sim, os homens também fofocam), criticando ou simplesmente fazendo propaganda dela para outro amigo.

3. A mulher nhém-nhém-nhém
Os maridos não são chegados ao nhém-nhém-nhém. Os namorados até aceitam inicialmente, mas quando virar marido, vai se encher. Mulher que fica falando e reclamando todo o tempo acaba ganhando a antipatia do maridão.

4. A espiã
Fazer o estilo mulher espiã não só não é cristão como deixa os homens muito infelizes. Uma mulher que vasculha celular e a pasta do namorado em busca de segredos, ouve recados no celular e procura números não familiares na conta telefônica pode estar cavando o fim de seu relacionamento. Ele vai começar a achar que você é neurótica. Se não confia no namorado, converse com ele ou termine.

5. A rival
Se seu namorado ou marido tem uma amiga fiel não adianta querer rivalizar com ela, com certeza você sairá perdendo nessa queda de braço. Ponha uma coisa em sua cabeça: se fosse para sair namoro, já tinha saído. É possível sim uma amizade verdadeira entre homem e mulher. Você duvidar ou implicar com isso vai transformá-la numa pessoa insensível e sem razoabilidade aos olhos dele.

6. A desesperada
Quer afastar um namorado em pouco tempo? É só desatar a falar feito uma maluca, sem controle nenhum.

7. As que não colocam a mão no bolso
Já se foi o tempo em que as princesas ficavam olhando enquanto os homens abriam suas carteiras e pagavam todas as contas. Dividir, ou pelo menos fazer essa sugestão, é uma maneira de mostrar que você não está à procura de um mecenas que banque todos os seus luxos. A não ser, claro, que você seja daquelas que só procuram irmãos ricos. Mas outra dica. Se ele insistir demais em pagar toda a conta, aceite. Se você for do tipo independente pode sugerir bem humorada que na próxima vez é você quem vai pagar tudo.

8. A mulher "Excel"
Sabe aquelas mulheres que fazem tabelas para tudo: quantas calorias podem ser consumidas no dia; como será a rotina diária; quais os horários mais apropriados para contar cabelo? Organização é bom, mas o excesso pode fazer de você uma chata. Ele vai pensar que você vai controlar a vida dele da mesma forma.

9. As extrovertidas
Os homens ficam assustados quando se deparam com mulheres que abraçam, beijam, riem ou falam alto e são chegadas a ser o centro das atrações em todos os lugares aonde chegam.

10. A antiamigos
É aquela que acompanha sempre o namorado ou marido, mas nunca consegue se integrar à turma. Age como se fosse um simples apêndice e não faz a mínima questão de ser simpática ou manter algum tipo de conversa com os amigos do seu namorado. Erro fatal!

11. A que leva sempre uma companhia
Teocraticamete é até incentivado, uma vez que se isolar pode levar o casal a tentações. Mas levar sempre a irmã ou uma amiga para encontros ou passeios não é uma boa idéia. Se for o caso, saia com um casal de amigos, aonde embora estejam juntos, cada um terá uma privacidade parcial.

12. As ciumentas
Um pouco de ciúmes é bom, mas cismar com aquela prima bonitona ou ficar chateada ou fazer cena só porque vocês encontraram na noite uma ex dele não é uma postura muito inteligente. O exagero pode fazer de você uma neurótica.

13. Aquelas que não se cuidam
No meu tempo, quando conhecíamos uma irmã no congresso ou assembléia, logo imaginávamos: vamos na casa dela para ver como é no dia-a-dia? Enfim, não precisa perder todo o seu tempo arrumando-se, mas pequenos detalhes são fundamentais. Por exemplo, quando for a um shopping, cinema ou parque utilize uma roupa apropriada. Tem irmãs seríssimas que usam roupas de ir para o Salão do Reino ao sair com o namorado.

14. As que se cuidam exageradamente
Uma hora no banho, mais uma para fazer a maquiagem e ainda mais um bom tempo para escolher o vestido. Não há homem que tenha paciência para agüentar essa maratona exagerada de cuidados femininos. Eu, e muitos homens que conheço, acham lindas as irmãs que usam uma maquiagem leve, às vezes um brilho, um baton e um lápis no olho é o suficiente. Sabe aquela sombra verde cintilante ou a bochechas toda avermelhada? Acredite, a maioria dos homens detestam.

15. Aquelas que criticam
O rapaz tem aquele velho sofá que ele ganhou da mãe e gosta tanto, mas você teima em falar mal e ficar dizendo que ele deve jogar fora e comprar um que você viu em uma loja da moda. Desista, isso só vai fazer que ele troque mesmo é de namorada e fique com o sofá velho. Homens gostam de tecnologia, games e usar o velho jeans, o velho tênis, etc...

16. Nem tanto para Nietzsche, nem tanto para revistas de fofocas
Ser exageradamente intelectual pode te dar um ar blasè, mas também não precisa virar uma especialista em revistas de fofocas. Se for falar de um assunto espiritual faça isso de forma bem, mas bem natural, para não dar impressão de que você quer ser certinha demais. Ah, e não pergunte coisas do tipo "Porque você ainda não é Servo Ministerial?" Sabendo, ou não, isso vai deixá-lo bastante constrangido.

17. A que odeia futebol
A maioria dos irmãos homens amam futebol, e por mais desestimulado que seja, torcem para um time, mesmo que esconda isso. E somente uma reunião ou congresso vai impedir que eles vejam seu joguinho no domingo à tarde. Uma mulher que fica falando mal de futebol o tempo inteiro pode estar cultivando um inimigo.

18. A que quer discutir a relação
A famosa DR é uma das grandes ciladas femininas. Os homens odeiam falar a todo momento sobre seus sentimentos. Se quer ir longe no seu relacionamento, discuta-o em conta-gotas ou de uma forma descontraída.

19. As que estão sempre prontas para o casamento
Se você conheceu um homem e já começa a falar em festa de casamento, filhos e família, pode estar cavando sua solteirice eterna. Ele vai achar que está desesperada, e irmãos detestam mulheres assim. Eles gostam de ser valorizados e a irmã desesperada passa a impressão de que está casando com o primeiro trouxa que apareceu na frente.

20. A auto-suficiente
Os homens são estranhos, ao mesmo tempo que não querem mulheres que precisam deles o tempo inteiro, mas ficam inseguros quando elas são completamente auto-suficientes. Vai entender? Lembra daquela propaganda da Revista Claudia aonde a mulher finge que não consegue abrir um pote de azeitonas e pede ajuda ao marido? Por aí...

21. A chantagista
A pior de todas. Um dos tipinhos mais odiados. Gostam de se fazer de vítimas e fazem chantagens emocionais o tempo inteiro.

22. As que bancam as santinhas
A ingenuidade pode ser inicialmente uma boa arma de conquista. Mas não exagere. Os homens, irmãos também, gostam quando as irmãs às vezes fogem do padrão "santinhas demais".

23. As que fazem o homem de escravo
Mordomo, escravo, pegador de água, motorista, mensageiro e namorado. Algumas mulheres esperam tudo isso de seus namorados e maridos. Eles, no entanto, não estão dispostos a exercer tantas funções assim na sua vida. Seja razoável.

24. As que vivem de comparações
"Meu ex fazia isso". "Nós sempre jantávamos aqui". "Essa era a cor predileta de fulaninho". Fazer comparações entre o atual e o ex não vai agradar nem o pouco quem ocupa seu coração no momento.

25. Quantas namoradas você já teve?
Faz realmente diferença? Deixe disso, essas perguntas só expressam a sua insegurança e vai deixá-lo constrangido. Principalmente se ele for um homem sério, porque como é sabido, colecionar namoradas na Organização de Jeová não é algo que se possa orgulhar.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

USO SÁBIO DAS RIQUEZAS MATERIAIS

"Na sua casa há coisas valiosas e riquezas"
- Salmo 112:3



O texto de hoje me chamou à atenção a um dos maiores perigos que circunda os cristãos hoje em dia: o materialismo. Ao contrário de outro pecados como a fornicação e o adultério, o materialismo é perigoso porque ele não é facilmente identificável. Como dizer que alguém é materialista? Só porque ele possui muitos bens materiais? Não, não é bem assim. Abraão era riquíssimo. Charles Taze Russell também era. E hoje em dia muitos irmãos possui grandes riquezas materiais e o mais importante, riqueza espiritual. Por outro lado muitas das pessoas pobres estão tão ansiosas em mudar de vida que são capazes de fazer qualquer coisa para mudar essa situação, seja fazendo horas extras, fazendo cursos e mais cursos ao ponto de perder as reuniões, sacrificando o convívio com a família espiritual, em busca de um lugar ao sol no mundo material.

Conforme o comentário inicial do escravo, "quer alguém tenha muito em sentido material, quer pouco, é possível ser rico espiritualmente". Aqui em Brasília aonde as pessoas possuem uma certa estabilidade financeira, principalmente por causa do serviço público, o materialismo é uma luta. Muitos cristãos acham que a felicidade é arrumar um emprego público que lhe dê um ótimo salário e estabilidade. Usam como desculpa que se tiver no serviço público terão mais calma e tempo para se dedicar à Jeová. Mas o que vemos nem sempre é isso que acontece. As pessoas ganham melhor, gastam melhor e acabam se preocupando ainda mais para pagar as dívidas que possuem. Além disso estão tão preocupados em "mostrar" o que compraram, que pode correr o risco não so de se tornarem arrogantes, como de fazer outros tropeçarem, por mostrar uma visão errada dos servos de Jeová.

A questão é: o que fazemos para agradecer a Jeová por termos um bom emprego ou uma vida confortável? Certo irmão dono de uma franquia lucrável de uma loja de tintas emprega vários irmãos de sua congregação, inclusive dando oportunidade para jovens terem seu primeiro emprego. Além disso, todos possuem escalas especiais que lhes permitem assistir às reuniões cristãs em sua congregação. Um certo clínico, amigo meu, de Salvador, viaja com seu pai, outro médico, várias vezes para Betel para ajudar voluntariamente irmãos betelitas que precisam de cuidados médicos. Da mesma forma que Charles T. Russell que vendeu todos os seus bens materiais em prol das boas novas, muitos irmãos tem feito o mesmo para a alegria de nosso Deus.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

AMORES CERTOS, CAMINHOS OPOSTOS

Amores certos, rumos contrários. A vida, às vezes, prega peças cruzando vidas de duas pessoas para depois dar a elas rumos opostos. Encontros e desencontros. A pessoa certa na hora errada.

Neste congresso em Luziânia fiquei feliz por duas pessoas. Duas pessoas que me fazem acreditar que é possível, sim, haver esperança e seguir verdadeiramente o caminho tortuoso de ser Testemunha de Jeová neste mundo turbulento. Ela, linda, maravilhosa, cheia de propostas, mas não se entregou para o primeiro que "se disse irmão" e aguardou o tempo certo que Jeová daria a ela.

Ele, uma pessoa bondosa, atenciosa, um irmão magnífico, um ancião amoroso, que de repente teve a vida invadida por um turbilhão de surpresas desagadáveis. Tinha tudo para abandonar tudo, desacreditar no amor.

Agora ambos juntos. Ambos felizes. Merecidamente felizes.

Que Jeová abençõe a vocês dois meus irmãos.