sexta-feira, 4 de outubro de 2013

VERDADEIRAS BENÇÃOS FUTURAS


Você notou na gravura? 




À esquerda a moça de cabelo loiro que não aceitou a disciplina de Jeová, mas se arrependeu e retornou a sua organização. Ao seu lado está Jeremias. À direita o homem que negligenciou as reuniões, mas fez as mudanças necessárias para dar prioridade ao reino. Ao seu lado esta Baruque.

 Todos eles fizeram os ajustes necessários e se beneficiarão das benção futuras do novo pacto!

Todos nós desassociados temos a oportunidade de fazer o mesmo.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

TEORIA DA PROSPERIDADE


"...acumularão para si instrutores para lhes fazerem cócegas nos ouvidos."
- 2 Tim. 4:3,4.



Essa semana uma imagem chamou a atenção nas redes sociais. O pastor Sandro Nascimento, de uma Igreja Batista, ramo considerado tradicional entre os evangélicos, gravou um vídeo sobre o testemunho de um fiel que três anos antes havia sido diagnosticado como inválido após um acidente de carro, mas que hoje, sob as bênçãos do Senhor, não somente havia sido “curado”, como havia adquirido um Camaro, carro símbolo da ostentação que não costuma sair por menos de R$ 200.000,00. Com o exemplo ele convocava seus fieis à aderir a corrente “Jeová Jiré na fé de Eliseu”, onde doando dinheiro à igreja, eles “receberiam a porção dobrada em todas as áreas de sua vida.“







Situações como o acima são criticadas até por evangélicos tradicionais, mas é muito mais corriqueiro do que parece. São situações extremas de uma teoria que hoje, praticamente, permeia todo o meio evangélico num grau menor ou mais velado. É a popularização da Teoria da Prosperidade!

A maior benção que Deus nos dá que é o Seu favor e a salvação no futuro novo mundo, foram substituídas pelo aqui e agora! Dê dinheiro e deus lhe devolverá dinheiro em dobro. Mas de onde surgiu essa ideia que tem arrebatado milhares de pessoas e enchido igrejas – e os bolsos – de pastores e até padres?

 Quem criou a Teoria da Prosperidade ainda é uma incógnita, mas se sabe que popularizou inicialmente nas igrejas do sul dos Estados Unidos na década de 50. O principio advém de uma interpretação equivocada do livro de Malaquias que diz que Deus recompensa com riquezas ou sucesso material aqueles dispostos a seguir os passos de Deus e, principalmente, doar bens materiais. Partindo deste princípio, o crente que doar bens materiais será recompensado em dobro. O contrário também é digno de nota, ou seja, a toeria da prosperidade expõe que o fiel fracassado materialmente, doente ou pobre, automaticamente, seria alguém falto de fé ou que não desfruta das bênçãos do Senhor. 



Percebendo que as pessoas não estavam dispostas a esperar pelas bênçãos de Deus no futuro, começaram a utilizar a promessa do sucesso “aqui e agora”. Igrejas evangélicas tradicionais resistiram a essa teoria por anos, até que na década de 80 surgiram nos Estados Unidos os primeiros “televangelistas”,  pastores dissidentes como Pat Robertson, Jimmy Swaggart, Jim Bakker, Benny Hinn, Morris Cerullo e Mike Murdock que montaram suas igrejas e arrebanharam milhares de desavisados com conversas doces por meio das televisões dando ênfase ao sucesso pessoal, claro, desde que o fiel doe muito. Não demorou muito para que fosse adaptado no Brasil. Edir Macedo foi precursor, mas logo foi seguido por nomes como R.R. Soares, Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, entre outros. No caso deles, a teoria da prosperidade deu certo. Nunca enriqueceram tanto às custas do tosquiamento de suas ovelhas. 

No geral a Teoria da Prosperidade faz sucesso porque as pregações são associadas a discursos de auto-ajuda adaptada de palestras motivacionais comumente utilizada em empresas. Se um dia puder assistir uma palestra motivacional, como a de Daniel Godrin, observará que as técnicas utilizadas são praticamente as mesmas. Alguns chegam a utilizar técnicas de induzimento ou hipnose, bastante comum em shows de ilusionismo. Além disso, eles pregam o relativismo, ou seja, que a Leis de Deus podem ser relaxadas desde que você sirva com o coração! Desta forma não condenam práticas que Jeová detesta como o sexo antes do casamento, o adultério, a homossexualidade ou o aborto, afinal, "Deus perdoará desde que sirva com fé e continue praticando o bem e fazendo as ofertas na igreja!" 

Silas Malafaia é o mais carismático entre os jovens, que ao contrário dos demais, não promove um
proselitismo agressivo e se mostra ser mais culto que os demais, mas é adepto da teoria da prosperidade e é dono de uma igreja que produz lucros absurdos.


Os mesmos evangélicos que criticam situações extremas como a do pastor acima, não percebem que também são engodados pela Teoria da Prosperidade em grau menor. As bençãos de promessa futura do Reino de Deus é vendida como sucesso imediato. "Você vai ter sucesso em várias áreas de sua vida", "Você será o melhor funcionário", "você terá o maior salário" tudo se servir ao Senhor. Alguma relação com as palavras de Jesus que disse os verdadeiros cristãos seriam perseguidos e poderiam sofrer todo tipo de mal por seguir sua palavra e por não fazerem parte do mundo? - Lucas 14:27; Mateus 5:11; João 17:16

Muitos deles viram "celebridades" e acabam sendo defendidos à unhas e dentes seja pelo carisma, pelo discurso emocional ou simplesmente atrelado à exortação de que "são homens ungidos de Deus". Quando no fim, se decepcionam ou justificam utilizando o velho clichê "não servimos a pastor, servimos a Deus." Ainda assim, continuam servindo aos homens participando das ofertas, campanhas e doando todo o seu dinheiro indiscriminadamente em forma de dízimos, buscando a recompensação divina que conforme a Teoria da Prosperidade, Deus pagará com juros e correção monetária. 

Só faltam exigir que o pagamento seja devolvido em Euro!