terça-feira, 23 de junho de 2015

CONFIE SEMPRE EM JEOVÁ!




Este final de semana o estudo da revista A Sentinela abordará, entre outras, a condição dos desassociados no artigo "Confie sempre em Jeová". O estudo aponta para outro artigo, "Por que a desassociação é uma provisão amorosa" nas páginas 29-31.

Convido a todos os atuais desassociados, que estão afastados, a assistir essa reunião e a esse estudo. Os irmãos, e principalmente, os anciãos estarão mais sensibilizados quanto ao problema e tenho certeza que é uma ótima oportunidade para vocês ganharem força para voltarem a assistir as reuniões. 

Se conhece alguém desassociado, convide ele para ir à sua reunião. Você não irá perder seu lugar no paraíso por fazer essa boa ação. A misericórdia de nosso Deus é grandiosa. 


Inclusive poderá ler a matéria completa no site JW.ORG


quarta-feira, 10 de junho de 2015

A BÍBLIA GAY


"Não tenha relações sexuais com um homem, 
assim como se costuma ter com uma mulher,
É um ato detestável" - Lev. 18:22




Segundo a Revista Veja, esse ano deve chegar ao Brasil a edição da primeira bíblia gay. Mas calma que ainda não é o fim do mundo. Não por isso. 

Trata-se de uma tradução da versão americana chamada de "Bíblia Rainha Jaime" numa alusão provocativa a versão Rei Jaime, muito comum nas igrejas protestantes nos Estados Unidos (uma espécie de versão Almeida da língua inglesa) e está sendo produzida pelo 'pastor' Marvel Souza, que é gay e lidera a igreja “Cidade de Refúgio” aqui em Brasilia, chamada de igreja inclusiva, por defender a prática homossexual. A igreja tem como principal precursora a missionária Lanna Holder, famosa por pregar em várias igrejas do Brasil sobre sua libertação do lesbianismo, mas que acabou se apaixonando por uma cantora gospel de sua igreja, a fez se divorciar do marido e “casando-se” com ela em seguida. 

Segundo o grupo responsável pela sua edição, "a Bíblia Rainha James resolve quaisquer interpretações homofóbicas da Bíblia" alterando termos e textos circunstanciais das escrituras com o objetivo de mostrar que a palavra de Deus não condena o homossexualismo. "Não há Bíblia perfeita. Esta também não é. Nós queríamos fazer um livro cheio da palavra de Deus, que ninguém poderia usar para condenar incorretamente os filhos de Deus que nasceram LGBT, e conseguimos”, teria declarado o pastor à revista. 

A ideia é absurda, claro, mas pode ser objeto de estudo pessoal se você é do tipo de pessoa, que como eu, que gosta de ver – ou ler – pra crê. 

Eu tive a oportunidade de verificar algumas das justificativas, e por exemplo, uma das criticas é sobre o texto de Levítico 18:22. Eles dizem que ela é contextual ao versículo anterior, que menciona sobre a prática de oferecer sacrifícios no templo de Moloque, ou seja, Deus não estava estabelecendo que era ilícito o homossexualismo, desde que não fosse no templo de Moloque. Por isso a bíblia gay traduz o texto da seguinte forma: 

"Não te deitarás com outro homem como se fosse mulher no templo de Moloch

O pastor da Igreja Cidade de Refúgio diz que os textos não pode ser lidos separados, isoladamente, mas que devem ser olhado à luz do contexto. E neste caso concordo com ele. Vamos ver o contexto?

Levítico 18 começa com as seguintes palavras: “Diga aos israelitas: ‘Eu sou Jeová, seu Deus. Não se comportem como o povo da terra do Egito, onde vocês moravam, e não façam o que as pessoas fazem na terra de Canaã, a terra para a qual os estou levando. Não andem nos decretos deles.” Pra começar Jeová alertava aos israelitas quanto a não se deixar levar pelo modo de vida dos egípcios e dos cananeus, que eram dois povos com culturas e práticas totalmente diferentes, mas detestáveis. Em seguida, Jeová relaciona as práticas sexuais condenadas por ele, sem citar especificamente nenhum dos dois povos, ou seus deuses. Do versículo 6 ao 20 os israelitas são alertados contra o incesto em todas as suas formas, contra manter relação sexual com uma mulher menstruada e contra o adultério. No versículo 21, por fim, Jeová proíbe – especificamente, vale frisar – que não se ofereçam os filhos como sacrifício no templo de Moloque, em seguida, nos versículos 22 e 23, Jeová fala do homossexualismo e da zoofilia.

Se você ler todo o capítulo 18 vai observar que todas se referem a exortações contínuas, ou seja, não se abre um parêntese, pra vincular o homossexualismo apenas a uma das práticas do templo de Moloque. Jeová estabelece práticas que consideram detestáveis e as listam: o incesto, o adultério, o sacrifício de crianças a Moloque, o homossexualismo e a zoofilia. 

Continuando a ler o contexto isso fica mais claro nos versículos subsequentes. “Mas vocês, quer o israelita, quer o estrangeiro que mora entre vocês, guardem os meus decretos e as minhas decisões judiciais, e não façam nenhuma dessas coisas detestáveis. Pois todas essas coisas detestáveis foram feitas pelos homens que viveram nessa TERRA antes de vocês, de modo que a TERRA agora é impura”. Observem que Jeová se refere a toda terra impura dos cananeus, não apenas ao templo de Moloque, o que é razoável, já que Moloque era um Deus adorado apenas pelos Amonitas, uma das várias etnias dos povos da região de Canaã.

Além disso, se formos na via de regra do argumento da bíblia gay, significa então que o sexo com animais também era permitido por Deus, desde que não fosse no tempo de Moloque?

A comunidade gay que costuma atacar símbolos cristãos
agora quer uma Bíblia só pra eles. 

A tal bíblia gay só tem como objetivo ridicularizar símbolos cristãos numa clara tentativa de confrontar os evangélicos que tem sido bastante radicais no discurso contra o homossexualismo. Se a moda pegar teremos em breve a “bíblia dos adúlteros” dizendo que não é bem assim que Deus proíbe o sexo fora do casamento, ou a “bíblia sexual” que diz que não é bem assim que Deus proíbe a fornicação. E todas elas deturpando textos convenientemente às suas vontades.

Enfim é isso. Existem outros argumentos utilizados por eles para justificar ou questionar outras passagens das Escrituras que citam a relação homossexual. Eu achei interessante pesquisar e pode ser uma ótima sugestão de estudo pessoal da Bíblia pra vocês. Pesquisar e saber confrontar as críticas com argumentos convincentes é algo que toda Testemunha de Jeová deve saber fazer!

segunda-feira, 1 de junho de 2015

DEUS MULHER OU DEUS HOMEM?




Um grupo de mulheres anglicanas da Capela de Trinity College, em Oxford, Inglaterra, estão sendo lideradas pela Emma Percy a incentivar uma campanha para que Deus, Jeová, seja referido como "Ela" ao invés de "Ele". Segundo essa pastora Deus ser chamado de Ele o faz ser comparado aos homens e por isso seria um caso de sexismo. 

A informação foi noticiada pelo jornal Sunday Times, que em entrevista afirmou: "Quando usamos apenas o masculino para Deus reforçamos a ideia de que Deus é como um homem. Assim, sugerimos que Deus é mais semelhante aos homens do que às mulheres".

Particularmente acho uma grande falta do que fazer.  Para quebrar o argumento dela, me pergunto, chamar Deus de "Ela" também não seria uma forma de sexismo?

Deus homem ou Deus mulher?

Antes de tudo temos que entender que apenas a Bíblia, a palavra de Deus, contém as informações necessárias para entender quem Jeová é. (João 17:3; 1 Timóteo 3:16,17) 

Examinando a Bíblia Sagrada dois fatos ficam bem claros:

1. Deus é espírito e como tal não possui nenhuma atribuição física que se assemelhe ao ser humano. (João 4:24; 1 Timóteo 1:17)

2. Ninguém, absolutamente nenhum humano, viu a Deus e portanto pode lhe atribuir um gênero (1 João 4:12)


Deus é espírito, contudo, muitas e muitas vezes a Bíblia lhe atribui características humanas de forma figurativa. Isso é chamado de Antropoformismo, ou seja, uma forma que Jeová Deus usa para comunicar certas verdades sobre Sua natureza à humanidade, seres humanos. Já que o homem é um ser físico limitado na sua capacidade de compreender as coisas que vão além do reino físico, portanto, utilizar essa figura de linguagem na Bíblia ajuda o homem a entender quem Ele é.

Quando Jeová criou o homem, tanto Ele, como seu mestre de obras, seu filho Jesus Cristo, utilizaram a seguinte expressão: "Então Deus disse: 'Façamos o homem à nossa imagem, segundo a nossa semelhança...' ", ou seja,  foi criado à imagem de Deus, pois Adão era mais magnificente do que o resto da criação; Eles, como pai e filho, têm uma mente, vontade, intelecto, emoções e capacidade moral, já os animais não possuem essa capacidade moral e também não possuem um componente imaterial como Adão possuiu.

Mais tarde, quando criou a mulher, Jeová não utilizou uma nova fôrma, por assim dizer, mas Ele retirou uma costela de Adão e criou Eva, ou seja, ele utilizou a mesma matéria prima, para criar a mulher de modo que ela também era a imagem de Deus. - Gênesis 1:26; 2:22-24.


Porque atribuímos a Jeová um gênero masculino? 


Porque assim Jeová quis e não sabemos os motivos. Jeová sempre se referiu no gênero masculino todas as vezes que manteve contato direto com seus servos no passado. 

Para começar, as Escrituras contêm quase 170 referências a Deus como "Pai". Isso implica que uma pessoa não pode ser um pai a menos que seja masculino. Se o objetivo de Deus tivesse sido o de se revelar ao homem na forma feminina, então a palavra "mãe" teria sido usada nessas passagens. Tanto no Velho como no Novo Testamento, pronomes masculinos são usados frequentemente em referência a Deus.

Nos evangelhos o próprio Jesus Cristo, que veio à Terra como homem, embora também fosse uma pessoa espiritual, se referiu a seu pai cerca de 160 vezes como "pai" e utilizando o equivalente aramaico para o artigo masculino. (João 10:30)

De Atos à Apocalipse, os escritores bíblicos utilizaram o termo Θεός (Theos) para se referir a Deus, que qualquer professor de grego antigo pode confirmar que se trata de um artigo masculino e é citado cerca de 900 vezes.

Os anjos e demônios também são retratados no gênero masculino, inclusive, recebendo nomes masculinos. (Gênesis 32:22-28; Lucas 1:26; Judas 9)

Embora Jeová não seja homem, mas sim Espírito, Ele escolheu a forma masculina para Se revelar aos homens. Do mesmo modo, Jesus Cristo, a quem a Bíblia também se refere com títulos, substantivos e pronomes masculinos, andou na terra na forma masculina. 

Fazer a afirmação de que Deus escolheu a forma feminina para se revelar ao homem não é consistente com o padrão estabelecido pela Bíblia. Novamente, se Deus tivesse escolhido a forma feminina, acharíamos mais evidência para tal nas Escrituras o que não ocorre. 

Jeová é sexista e rebaixa as mulheres?

Ao criar a mulher da costela de Adão, ela também, se torna uma criação à imagem de Deus. Contudo, sua criação a partir do homem, Jeová apenas estabelecia um padrão organizacional.

A mulher, criada a partir do homem, dependera do homem para ser trazida à existência. Sendo parte do homem, "uma só carne" com ele, e sendo complemento e ajudadora dele, estava sujeita para se adequar ao padrão que Jeová queria para a humanidade. Ela também estava sob a lei de Deus, dada a Adão, a respeito da árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau. Tinha a responsabilidade de se empenhar para o bem do homem. Juntos deviam ter filhos e exercer domínio sobre os animais. — Gên 1:28; 2:24. 

Visto que o normal para as mulheres nos tempos bíblicos era casar-se, os textos bíblicos que tratam das responsabilidades da mulher usualmente se referem à sua posição como esposa. O dever primário de todas as mulheres em Israel era servir a Jeová Deus na verdadeira adoração e ser uma ajudadora de seu marido, cabendo a Ele, contudo, a chefia da família.

Mas mulheres tinham uma grande participação na edificação espiritual dos servos de Jeová no passado e ainda hoje possuem uma posição importante na edificação da congregação e não devem se sentir menores em relação ao Reino de Deus. - Salmo 68:11, A Sentinela 15/08/2014, pp. 3-8.  

Não sabemos e a Bíblia não esclarece o por quê Jeová utilizar sempre a figura masculina para se referir a Si mesmo e às criaturas espirituais, mas sabemos que isso não significa que Ele seja sexista ou que ache os homens mais importantes que as mulheres. Deus é espírito e é irrelevante se ele se mostra como homem ou mulher, contudo, por escolher o gênero masculino, cabe a nós seguir esse modelo. 

Qualquer tentativa de tentar mudar o gênero de Deus para mulher, este sim, é sexista e tem por objetivo apenas causar o caos dentro da organização estabelecida por Ele.