sábado, 12 de novembro de 2016

PERGUNTAS SOBRE MIM...

Um leitor do meu blog, chamado Silvano, me fez essas seguintes 10 perguntas abaixo. Achei elas interessante e em vez de responder diretamente, achei que daria um excelente post sobre mim.

Me julguem à vontade.


(1) O que te motivou a ser um dissidente? 

 Segundo um dicionário, dissidente é que ou o que sai de um determinado grupo ou organização por divergir de seus princípios, ideias, doutrinas ou métodos. Eu não divirjo das doutrinas das TJ por isso não me considero um dissidente. Talvez eu questione alguns métodos, mas isso não me torna um dissidente. Como costumo dizer, “Se a verdade não estiver entre as Testemunhas de Jeová, estamos lascados”


(2) A religião que você pertenceu é das Testemunhas de Jeová? Se for o caso, oficialmente, ela tem o status de religião ou seita (devo lembrar que o Caminho de Cristo era considerado uma seita)? 

 Sim, acho que isso está bem implícito. O que é uma seita? Os católicos acham que tudo é seita. Os evangélicos acham que os católicos é uma seita. Nessa briga, prefiro dizer que as Testemunhas de Jeová são o que seu nome diz: o povo de Jeová na terra.

(3) Caso tenha sido por alguma medida disciplinar a qual você não gostou, qual é o motivo de você ainda buscar informações sobre essa religião? 

Eu fui desassociado por um erro que cometi, confessei e achei justa a desassociação. Estou pagando meu erro justamente conforme as regras explicadas a mim, quando me batizei. Busco, porque sei que as Testemunhas de Jeová possui um trabalho sério de pesquisa bíblica e por isso ela contém a verdade.

(4) O que te faz ainda ficar vinculado a essa religião, mesmo que os seus membros não te reconheça como uma Testemunha e seu atual estilo de vida se contrapõe? 

 Por que ela tem a verdade e são coerentes naquilo que pregam.

(5) O termo apóstata te magoa atualmente ou isso nunca foi problema? Ou você acredita que a expressão dissidente se enquadra na sua realidade?

Não. Até porque eu sei que não sou, e Jeová sabe também. E isso que importa. A segunda parte da pergunta respondi na pergunta 1.

(6) Sente que é difícil tocar a vida sem mencionar sobre as TJ e seus dogmas ou você o faz por pura diversão quando percebe que incomoda os seus antigos irmãos na fé? 

 A pergunta é meia confusa, mas vamos lá. Eu fui Tesmunha de Jeová (a religião) por 22 anos, então faz parte da minha vida; é impossível não mencionar sobre isso no meu dia a dia. Meu blog é direcionado a desassociados, portanto, a maioria das pessoas que visitam não se incomodam, mas ao contrário, se sentem aliviados por encontrar algo que lhes entendam e os fortaleçam. Isso vai incomodar as Testemunhas de Jeová ativa, porque elas não foram ensinadas a concordar com nada que é feito por um desassociado, mesmo que seja com as melhores intenções. Eu sei disso e compreendo. Nada do que faço aqui é pra me divertir, só informar e esclarecer.

(7) Quando você é fortemente criticado, quem te magoa mais: Um "apóstata"(dissidente) ou um visitante qualquer? 

 Nenhum dos dois. De verdade. Apóstata nunca me magoa, só me diverte com suas incoerencias. A maioria são ataques clichês. Só existe uma coisa que me magoa: quando um desassociado vem desesperadamente procurar, e depois de todo conselho e ajuda, ao ser readmitido, ele entra em contato pedindo que eu apague todas as mensagens e que faça de conta que ele nunca procurou ajuda no meu blog. Isso magoa.

(8) Você tem alguma esperança de que fará "justiça" ao expor na internet os "erros" que você identifica da religião-alvo?

Não exponho erros doutrinários das Testemunhas de Jeová e consequentemente não estou buscando justiça, até porque não há justiça nenhuma a ser feita. Eu posso questionar alguns comportamentos, métodos, talvez,  mas tem muito mais o objetivo de tentar tirar alguns irmãos da caverna do que expor algum suposto erro.

(9) Tem algum medo ou frustração em recomeçar em outra religião?

 Não. Depois que se torna Testemunha de Jeová é impossível seguir outra religião.

(10) Tem convicção de que seu atual modo de vida está condizente com a ética bíblica, ainda que, possivelmente esteja em desacordo com a religião-alvo? 

Quem será que está condizente com a ética bíblica hoje em dia?


quinta-feira, 6 de outubro de 2016

BARBA, CABELO E... TATUAGEM



Nos dias de Israel ter uma barba era sagrado ou separava homens de meninos; representava maturidade. (Levítico 19:27) Ter suas barbas cortadas era um sinal de humilhação (2 Samuel 10:4,5; Esdras 9:3). Curiosamente, raspar os cabelos e a barba era um costume egípcio. (Genesis 41:14) Jesus e seus apóstolo também usavam barbas, porque mesmo dois mil anos depois, ainda era um costume comum dos homens de respeito.


Dos dias de Israel até os dias de Jesus usar barba era sinal de maturidade e respeito.
Hoje em dia, por motivos não esclarecidos, as Testemunhas de Jeová proíbem.
 


Eu tenho 42 anos e acreditem, pela primeira vez na vida eu resolvi criar uma barba. É uma barba rala de quatro semanas, mesclada com cabelos grisalhos, mas ainda assim é uma barba. Não sei se estou feio, ou bonito - minha noiva disse que estou lindo - mas estou de barba. Durante muito tempo achei que ter uma barba era feio, iníquo, errado. Por que? Porque todas as Testemunhas de Jeová são proibidas de ter uma barba. Qual a justificativa? Não sei o que dizem hoje, mas no meu tempo a justificativa era pueril: barba representava sujeira, desleixo, etc... Essa justifica acabou virando uma regra, e durante muito tempo, muitos homens Testemunhas de Jeová chegavam a se sentir constrangidos se fossem vistos com barba por fazer. Assistir reuniões, fazer discursos ou desempenhar funções no Salão do Reino barbado, nem pensar. Era errado. É errado! 

As justificativas se rompem na própria Bíblia. Nos dias de Israel não bastava ter uma barba. Ela precisava ser bem cuidada. A importância da barba e de ela estar bem cuidada desempenhou um papel na atitude de Aquis, o rei de Gate, para com Davi, quando este disfarçou a sua sanidade por deixar a saliva escorrer sobre a barba. Isto serviu para ajudar a convencer o Rei Aquis que Davi era demente. (1Sa 21:13)

Mas hoje a barba ainda é proibida pelas Testemunhas de Jeová.

Porque estou falando da barba?

Vamos lá!

É engraçado que toda pessoa recém desassociada e que acaba me encontrando por causa desse blog, uma hora, acaba me fazendo a seguinte pergunta: "Sabe, estou triste, abalado, mas tipo, será que posso fazer uma tatuagem? É errado fazer uma tatuagem?"

E todas as vezes eu respondo sempre fazendo a alusão à barba. Se nos dias de Israel era permitido usar uma barba bem feita, e hoje é proibido, imagina a tatuagem que já era proibido nos dias de Israel? - Levítico 19:28

Entretanto a proibição a tatuagens estava bem aplicada como uma das mais de 600 leis dadas por Jeová à Israel, que foi, por assim dizer, desativada, com o novo pacto estabelecido por Cristo. Quando os cristãos hebreus, ainda apegados à Lei, questionaram várias situações, os apóstolos decidiram estabelecer como padrão às congregações poucas coisas, afirmando, que a Lei mosaica havia sido apagada.  (Leia Atos 15) Dessa forma, hoje não existe nenhuma proibição bíblica que proíba o cristão de fazer uma tatuagem. Mas ainda assim, as Testemunhas de Jeová proíbe o irmão de fazer uma tatuagem sob pena de desassociação. Muitas igrejas evangélicas tradicionais também.

Quando me perguntam, eu costumo dizer o seguinte:

"Não existe nada na Bíblia que proíba o cristão de fazer uma tatuagem. Mas a questão é: Porque você deseja fazer uma tatuagem? Ela é realmente importante pra você ou você deseja apenas 'fazer parte do mundo', da modinha, de se fazer tatuagens e ser descolado? Será que isso não o colocaria como alguém que apenas quer se adequar ao que o mundo de Satanás deseja que você faça? (João 17:16)

Além disso, pense bem, as Testemunhas de Jeová condena as tatuagens. Mesmo que isso fosse irrelevante do ponto de vista de Jeová, mas estaria você disposto a passar pela situação constrangedora de ser exposta como alguém que tem tatuagens numa recreação cristã, quando finalmente fosse readmitido? Se você realmente adora a Jeová e deseja fazer parte da Organização que leva Seu Nome, gostaria de se expor ao ponto de estar tatuada e criar uma situação constrangedora perante os irmãos?

Você realmente precisa de uma tatuagem? Por qual motivo? Ser descolado, moderninho ou porque precisa impor, ou realçar, que precisa de uma identidade que só uma tatuagem pode te dar?

Algumas pessoas tatuam frases religiosas. Pra que? Para mostrar a quem que você é religiosa? Será que Deus precisa de uma tatuagem pra saber que você O ama ou será que Ele exige mais ação e fé?


Por qual motivo você precisa fazer uma tatuagem? A resposta sobre isso pode determinar se você pode ou não fazer uma.


Eu durante muito tempo tive vontade de fazer uma tatuagem. Duas na verdade. No braço a transcrição das palavras de Jeová à Samuel, em 16:9, que mostra que ele ta pouco se lixando pra sua aparência, ou pra aquilo que voce demonstra ser, mas que o importante é o que ele encontra em seu coração. E outra do meu time de coração - Vitória - na perna.

Se tatuagem saísse com água e sabão, ou até mesmo um laser, eu faria. Mas como é algo que você leva para frente, ainda que desassociado, preferi não fazer. Não sei, minha consciência, lá no fundo não permitiu. Barba eu mantenho porque basta um barbeador. Mas tatuagem é outra coisa. 

Meu conselho sobre barba e tatuagem? Barba é mais fácil. Se for desassociado e tem curiosidade, cultive. Ter barba não te faz menos ou mais cristão.

Quanto a tatuagem, se você tem 99% de certeza e 1% de dúvida. Não faça. Tudo indica que você irá se arrepender depois.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

IGREJAS DO RETETÉ: A MACUMBA GOSPEL


"...o fruto do espírito é amor, alegria, paz, paciência,
bondade, benignidade, fé, brandura, autodomínio, 
Contra tais coisas não há Lei." - Gal. 5:22,23



Um dos grandes abismos que separam igrejas evangélicas tradicionais das igrejas pentecostais e neopentecostais é a relevância que se dá ao que chamam de poder do espirito santo de Deus. Como já aprendemos aqui, os pentecostais acreditam que no início do século passado Jesus fez um novo pacto com seus servos na terra, e o enfoque para a salvação não está mais no estudo da Bíblia, mas no batismo pelo espírito santo, cujas evidências, são falar em línguas estranhas, gritar, chorar e dançar. Essas igrejas passaram a ser chamadas pejorativamente pelos tradicionais como Igrejas do Reteté ou Igreja do Sapatinho.



Os primeiros movimentos ocorreram no Canadá, na mesma época em que as igrejas pentecostais americanas estavam se formando. A revista evangélica Defesa da Fé, voltada para o fiel americano, em 1923 descreveu o culto praticado pela então Igreja Comunhão Videira do Aeroporto de Toronto: 

"Dizendo-se cheios do Espírito, os frequentadores dessa igreja começaram a manifestar-se de maneira estranha e até mesmo exótica. Em dado momento, todos punham-se a rir de maneira incontrolável, alguns chegavam a rolar pelo chão. Justificando esse bizarro comportamento, alegavam tratar-se de "gargalhada santa". Outros iam mais longe: não se limitavam ao som estrepitoso dos risos; saíam urrando como se fossem leões, carneiros, ou bradando como guerreiros, fora os que caíam no Espírito". 

Não demorou muito para que o novo avivamento aportasse nas igrejas evangélicas pentecostais do sul dos Estados Unidos, influenciando especificamente as novas igrejas da Convenção  'Assemblies of God.'

No Brasil coube aos missionários Gunnar Vingren e Daniel Berg implantar o reteté. Numa versão oficiosa, contam que ambos vieram fugidos dos Estados Unidos com acusações de charlatanismo e estelionatos. No Pará conheceram um pastor batista e se identificaram como missionários, mas sem nunca apresentar o certificado que lhes davam tais credenciais. Por pouco tempo pregavam a nova doutrina do avivamento. Foram repreendidos várias vezes pelo pastor, até que finalmente foram proibidos de pregar no púlpito da igreja. Ainda assim, ambos atraíram um monte de crentes na nova fé e faziam mini cultos sorrateiramente no porão da igreja que frequentavam. O movimento cresceu e Gunnar e Berg, enfim, montaram a sua própria congregação, que mais tarde, copiaram o nome da convenção americana e batizaram como Assembléia de Deus. 

Em 1923, quando a Assembléia de Deus já era uma igreja relevante, relatos contam que Gunnar Vingren havia sido convidado para conhecer um novo avivamento que se formava em Santa Catarina. Ao chegar no endereço indicado, não havia uma igreja e sequer avivamento. 'Não se tratava de pentecostes, mas feitiçaria e baixo espiritismo.' teria dito Gunnar à Berg.

Mesmo assim, Berg convenceu Vingren que poderia adaptar tais características em sua nova igreja como demonstração do batismo por fogo pelo espírito, o avivamento à moda brasileira. Durante anos, mesmo condenado pelas pastores tradicionais, o reteté foi se tornando marca da Igreja Assembleia de Deus, que cada vez mais apliava suas influencias pelo Nordeste até chegar ao Rio de Janeiro por meio dos imigrantes. 

Hoje em dia o reteté é marca registrada das igrejas pentecostais e neopentecostais, em menor ou maior grau, no que eu chamo de grande circo gospel. No Youtube é possível ver bastante cenas lastimáveis de gritos, choros, possessões, transe e pessoas caindo ao chão,  no que os fieis acreditam se tratar da evidência da presença do espírito. A questão é: Espírito de quem?


ESPÍRITO DE DEUS OU ESPÍRITO DE DEMÔNIOS?

Quando eu nasci, minha vida religiosa era complicada. Meu pai era kardecista (por isso meu nome é André Luís) e minha mãe era do Candomblé. Lembro de flashes de cultos em terreiros onde eu era levado a fazer parte de rituais onde se utilizam crianças como sacrifícios simbólicos. Minha tia, que morava na casa de fundo, ocasionalmente recebia a possessão de entidades, entre elas, a do Preto Velho. Eu cresci nesse meio até que em meados de 1981 minha vó 'aceitou' Jesus e acabou influenciando boa parte de minhas tias, e também de minha mãe, a se tornarem evangélicas. Com 08 anos eu já era um membro da Igreja Batista Sião, de Salvador. Ainda assim minha mãe continuou pulando de galho em galho, vindo a se firmar mais tarde na Igreja Universal.


Parece um culto de Camdomblé mas é um "batismo de fogo" numa comunidade pentecostal na Etiópia.
 

Eu só viria conhecer as Testemunha de Jeová sete anos mais tarde com 15 anos, quando eu passei a realmente entender como se estuda as Escrituras de verdade. Mas ainda assim fiquei por quase dois anos dividido entre dois mundos. Certa vez, quando minha mãe veio me criticar pelo fato d´eu estar estudando com as Testemunhas de Jeová, refleti com ela: "Mãe, seja sincera, vocês falam tanto em demônios, mas o que eu vejo nos cultos da Universal, essa possessão, essa gritaria, é a mesma coisa que eu via quando ia nos terreiros de candomblé. Diga se não é?"

E assim, eu convenci a minha mãe e minhas irmãs em também conhecer as Testemunhas de Jeová. Ironicamente, eles estão todos ativos e apenas eu desassociado.


A MACUMBA GOSPEL

O que se vê nos cultos do reteté é praticamente a mesma coisa que ocorrem em cultos do candomblé ou do umbandismo. Quando eu era radialista da extinta Manchete Gospel FM, era obrigado a ir em vários eventos pentecostais. Já presenciei manifestações semelhantes à reuniões de umbanda e candomblé, repletas de rituais, invocações, frases prontas, mantras, danças e movimentos que mais se assemelham a incorporações. Sem contar as "bizarrices" que encontramos por aí: Paletó que derruba gente, fogueira santa, o papel branco que ungido vale R$ 100,00, bota de cobra píton para pisar no diabo, mão gigante para ser tocada, anjos massageadores, unção do leão, unção do santo óleo de Israel, do pião e por aí vai...




Parece um culto umbandista mas é mais um culto evangélico pentecostal. 


Isso pra não falar nas tais revelações em que muitos fracos de fé são levados a tomarem decisões radicais nas suas vidas. Já vi gente doando casas, carros, terminando noivados e até pedindo demissão de empregos porque Deus "falou" por meio de profetadas de que era isso que Ele queria.

Graças a Jeová, eu nunca fui batizado por esse espírito. Sempre enxerguei tudo isso com desconfiança, antes mesmo de conhecer as Testemunhas e Jeová. Mas às vezes me perguntava se essas pessoas fingiam estar possessas para demonstrar que haviam sido escolhidas por Cristo. Mas ao observar cada gesto e cada situação, eu chegava a conclusão que não era fingimento. Eles realmente estavam possessos por alguma coisa ou estavam apenas em transe, como quando se faz com o hipnotismo, por exemplo.

Os cultos dos pentecostais duram, em média, 1 hora e meia. Grande parte disso é devotada à louvores e orações, ora sozinhas, ora intercaladas. Normalmente são 3 cancões: a primeira, agitada, chamada por muitos como 'música de palmas' pra animar os fies, em seguida, duas canções de louvor. É nesse momento que começa a indução. As canções são recheadas de repetições, orações, entoadas como verdadeiros mantras. Termos como "vem espírito", 'habita esse lugar" "derrama" são utilizados à exaustão como se a força ativa de Deus pudesse ser comandada por um homem. O fiel esvazia a mente e permite ser levado pelas palavras do interlocutor. Quando alguém de mente fraca começa a permitir o transe, logo se coloca ao lado deles os "obreiros" que da mesma forma, mas mais diretamente, começa a "orar" no ouvido do fiel, gritando e dizendo palavras de ordem. O circo só acaba quando o mesmo cai no chão, chorando, gritando ou apenas desmaiado. É quando, segundo eles, o espírito santo agiu.


O VERDADEIRO ESPÍRITO DE DEUS


Para essas pessoas, a fé pura e simples não é suficiente, por isso constroem seus próprios "bezerros de ouro". Assim como os israelitas que não se conformaram com a ideia de que Jeová poderia ser adorado sem imagens, elas também precisam tocar, sentir e ver! Esquecem que a fé "é a firme confiança de que virá o que se espera, a demonstração de coisas claras não vistas" e se sentem incompletas quando não acontece o tal sobrenatural batismo de fogo de Deus. - Hebreu 11:1

Pra mim, é claro, de Deus esses batismos não tem nada. Paulo nos lembra em sua carta aos Gálatas 5:22,23 que o andar no Espírito está muito longe disso. Os frutos do espírito não são manifestações pueris e folclóricas. Além disso o espírito santo de Deus está presente todo o tempo naquele que deseja fazer a vontade de Jeová e seguir os passos de Cristo.

Ao se ler Atos capítulo 2 em nenhum momento vemos relatos de pessoas em transe, chorando, cantando ou dançando feito loucos; não há ninguém falando línguas estranhas, mas "no seu próprio idioma", não existe nada, NADA, que relacione todas as "pataquadas" das igrejas pentecostais com o que ocorreu no Pentecoste 33EC.

Para saber mais como o verdadeiro espírito de Deus age nos seus servos, leia essa excelente matéria Você vai persistir em andar pelo Espírito publicada na Sentinela de 15/07/2007.


E pra finalizar, quem sabe dessa vez você concorde comigo: Se a verdade não estiver entre as Testemunhas de Jeová, vire ateu, agnóstico, corra para as colinas, porque estamos perdidos.



quinta-feira, 15 de setembro de 2016

NEOPENTECOSTAIS: O DINHEIRO É O LIMITE


Por fim, chegamos a terceira e última onda das igrejas evangélicas: o neopentecostalismo. Ninguém sabe ao certo como surgiu esse termo mas ela foi a mais apropriada para definir o movimento que viria a nascer cerca de sessenta anos depois do surgimento da primeira igreja pentecostal. 


Charge extraída de um grupo presbiteriano do Facebook. O modo de vida dos neopentecostais, assim como
os pentecostais, são amplamente criticados e condenados pelas igrejas evangélicas tradicionais


Os neopentecostais formam as igrejas sectárias do movimento pentecostal que decidiram seguir o modelo proposto por televangelistas americanos no inicio da década de 60.  Em resumo, podemos dizer que as igrejas neopentecostais são exatamente tudo que você leu aqui sobre os pentecostais, adicionando a Teologia da Prosperidade. O que seria isso? 


TEOLOGIA DA PROSPERIDADE

Sua origem exata é uma incógnita, muitos atribuem a um movimento iniciado nos anos 50 nos Estados Unidos chamado healing revivals (Avivamento de Curas), mas a maioria acredita que ela nasceu mesmo do Movimento Novo Pensamento, seguimento que passou a surgir em algumas igrejas americanas que misturava preceitos como Lei da Atração, Pensamento Positivo e Força Vital, defendendo basicamente a tese que o ser humano também teria características divinas, capaz de fazer curas, já que as doenças se originavam da mente, e que seguindo a tese de que Deus quer ver o homem feliz e o Diabo, triste, que bastava expulsar demônios das pessoas que ela teria sucesso profissional e financeiro.

Por motivos óbvios, essa teoria foi rejeitada por muitas igrejas evangélicas, até que ela foi aperfeiçoada e relançada na década de 80 por meio dos TELEVANGELISTAS. Estes, foram pastores controversos, dissidentes de igrejas tradicionais que se aproveitaram da distribuição indiscriminada de concessões de TV nos Estados Unidos e também da popularização da TV à cabo. A ideia era simples: Em vez de usar métodos tradicionais de evangelização, a nova fé utilizaria a mídia televisiva para chegar aos fieis.

A teologia defende, basicamente, que os cristãos ao seguirem os passos de Jesus teriam bençãos financeiras, sucesso profissional e prosperidade material, pegando como mote os tratos de Deus com Israel nos livros do Pentateuco, especialmente depois da libertação do Egito, onde Jeová promete vitórias e conquistas da terra prometida. Os pastores leem textos e fazem adaptações à vida moderna intercalando com discursos motivacionais e experiências de vida. Eles também acabam dando ênfase especial ao livro de Malaquias, especialmente 3:10, estabelecendo que o fiel ao dar dízimos seria recompensado, proporcionalmente vale frisar, por bens materiais ou sucesso.

Jimmy Swaggart foi o precursor dos televangelistas. Fez sucesso, dinheiro, levando o nome de Deus pela TV


E assim surgiram os primeiros pastores/reverendos popstars da TV americana:  Jimmy Swarggart, Billy Graham e Pat Robertson foram os pioneiros dessa geração. Utilizando a mídia e tudo aquilo que ela podia oferecer, como edição de imagens, fotografia estratégica, trilha sonora e discursos motivacionais, esses pastores conquistaram multidões e uma audiência nunca antes alcançada até por programas populares nos Estados Unidos.  


"EU SOU A UNIVERSAL"


A teologia fez muito sucesso nos Estados Unidos e acabaram migrando para o Brasil sendo exibidos em emissores pequenas de televisão. Não demorou muito para que o modelo viesse aportar no Brasil. 

A primeira igreja a utilizar os métodos do novo movimento foi a IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS fundada pelo pastor Edir Macedo e seu cunhado R.R.Soares. Utilizando as mídias televisivas e a teoria da prosperidade que induzia o fiel a financiar cada vez mais as obras da igreja, a IURD começou rapidamente a se tornar uma poderosa igreja. Inicialmente comprava horário de emissoras pequenas, e com o passar do tempo, angariou tanto dinheiro que hoje é considerada uma potencia das igrejas neopentecostais no mundo. Os números delas são absurdos: estimasse que possua 8 milhões de seguidores, 15 mil pastores e presença em 105 países. A igreja é proprietária de várias midas, entre elas a Rede Aleluia (uma rede que possui 76 emissoras de rádio AM e FM no país) e da Rede Record, que disputa lado a lado com o SBT a posição de segunda emissora do pais. 

Ainda hoje a IURD propaga a ideia de que quanto mais financeiramente você "dá a Deus" por meio de doações, mais Deus retribui. Uma das campanhas mais famosas é a que coloca pessoas bem sucedidas financeiramente para contar experiencias testemunhais e ao final se identificar como membro da igreja. É dela também os maiores escândalos jurídicos de pessoas que alegam que foram induzidas a dar tudo que tinha (carros, propriedades, dinheiro) em troca de "bençãos" e depois se sentiram enganadas. É da IURD os maiores processos de charlatanismo da Justiça brasileira.

Como dinheiro desagrega, não demorou muito para que houvessem dissidências na liderança da IURD. O primeiro a brigar com Edir Macedo foi o seu cunhado e também fundador da igreja, Romildo Ribeiro Soares, mais conhecido popularmente como R. R. Soares, que em 1980 formou a IGREJA INTERNACIONAL DA GRAÇA DE DEUS. Levando em consideração que a "nova" igreja segue as mesmas caracteristicas da IURD, inclusive, utilizando a compra de horários na TV como meio principal de evangelização, entende-se que as desavenças com Edir Macedo não tinha motivos doutrinários, mas apenas interesses financeiros.

A seguir, outro testa-de-ferro de Edir Macedo, seu amigo Valdemiro Santiago, também decide se afastar e formar sua própria igreja. Em 1998 forma a GRANDE TENDA DOS MILAGRES, cujo templo oferecia lugar para 43 mil pessoas e também utilizava a TV para propagar suas ideias, cresceu tanto que mais tarde mudou para IGREJA MUNDIAL DO PODER DE DEUS  cujo templo tem capacidade para 150 mil pessoas e é considerado o 5º maior do mundo, além de várias igrejas espalhadas pelo país.


JOVENS É O PODER

Na década de 90 surgiu ainda um novo seguimento dos Neopentecostais: as chamadas igrejas jovens. Observando que as igrejas pentecostais com seus rituais e conservadorismo afastavam os jovens, alguns pastores perceberam que poderiam suavizar a palavra de Deus de modo a atrair essas pessoas.

A primeira a se aproveitar dessa estratégia foi a IGREJA RENASCER EM CRISTO  do auto intitulado apóstolo, Estavam Hernandes, e sua esposa,  alçada a bispa, Sonia Hernandes (aqueles que tentaram entrar nos Estados Unidos com dolares não declarados dentro da Bíblia e ficou 3 meses presos por lá). Incentivados por seus filhos, adotaram a doutrina relativista e liberal: cabia a cada pessoa justificar sua fé e seus pecados junto a Cristo; desta forma não cabia a igreja julgar e condenar o fiel, apenas direcionar ao caminho certo. Assim a igreja se repaginou e aceitava qualquer pessoa que quisesse aceitar a Cristo sem condenar suas atitudes. Foi a primeira igreja a ter tatuados, roqueiros e "moderninhos" em suas fileiras. O sucesso da Renascer foi tão grade que fundaram a Gospel Records, ajudando a formar bandas de rock e pop, revolucionando a música gospel no Brasil. Compraram a concessão da extinta Manchete FM - do qual eu tive uma participação muito grande na difusão da igreja em Salvador, mas essa história conto em outra oportunidade - e ajudaram a mudar o cenário musical da música evangélica brasileira. Nomes como Oficina G3, Katsbarnea, Banda Regaste e Fruto Sagrado nasceram da Igreja Renascer.

Eu fui membro da Renascer em Cristo na adolescência. Foi minha primeira igreja depois que me desviei da Igreja Batista.  Foi uma época boa, que sinto saudades de muitas coisas, como situações, amigos, viagens, enfim, mas posso dizer uma coisa, do ponto de vista espiritual, é uma igreja ilusória e superficial como todas as outras.

O sucesso da Renascer formou outras igrejas do ramo: SARA NOSSA TERRA, daqui de Brasilia do pastor Rodovalho, IGREJA BRASIL PARA CRISTO, MINISTÉRIO BRAÇO FORTE e BOLA DE NEVE CHURCH (assim mesmo, em inglês) é uma das tantas fundadas sob essa doutrina, conhecidas como "igrejas jovens" fundamentadas na Teologia da Prosperidade.


Muitos fieis atribuem o sucesso financeiro à bençãos espirituais conforme a Teologia da Prosperidade. 



RESUMO DA ÓPERA


Uma teologia frágil que é criticada, inclusive, por muitas igrejas evangélicas tradicionais e as pentecostais, imagine pelas Testemunhas de Jeová que estuda profundamente as Escrituras.

Pra começar o apóstolo Paulo avisou a Timóteo que toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa e portanto, não se pode utilizar apenas partes do que é conveniente para deturpar a palavra de Deus. (1 Tim. 3:16,17)

Jesus deixou bem claro aos seus servos que seguí-lo não seria algo fácil. Pra começar, assim como ele foi perseguido, seus seguidores também sofreriam perseguição (João 15:20; Atos 22:4). O foco era nas riquezas espirituais e não nas riquezas materiais (Mateus 6:33). Assim como nos dias de Israel, nos dias depois de Cristo, na congregação primitiva, existiam pessoas de fé, que passavam dificuldades financeiras e isso não era evidência de falta de fé (Ezequiel 22:29; Lucas 21:4) Embora a pobreza não fosse enaltecida por Jesus, ainda assim, ele citava-os como exemplos de humildade, e portanto, não como evidência de falta de fé. (Lucas 18:22, 23)

Portanto qualquer igreja que se baseia na Teologia da Prosperidade é falha desde a sua raiz por não basear sua fé nas Escrituras, a Bíblia, a Palavra de Deus. 



quarta-feira, 7 de setembro de 2016

PENTECOSTAIS: O AVIVAMENTO SOB JULGAMENTO


Dando continuidade as séries de postagens sobre as igrejas evangélicas iniciadas aqui e aqui, vamos agora dar atenção para uma ala das mais populares entre elas: As Igrejas Pentecostais.


O INICIO

O Pentecostalismo, também chamado de Avivamento, se baseia na ideia de que a salvação não depende de forma relevante do estudo das Escrituras, mas do batismo em espírito santo, da mesma forma como ocorreu em Pentecostes, em 33 DC (Atos 2).   Esse "batismo" era caracterizado por uma série de situações que inclui possessão, transe, danças, pulos, gritos, choros, desmaios, falar em línguas estranhas e até profetizar sobre a vida de outras pessoas. Embora há relatos de que as primeiras experiências com o avivamento tenha surgido na Europa, foi nos Estados Unidos que ela tomou consistência. 

Essas igrejas nasceram da inércia das igrejas reformadas de se manterem firmes na palavra de Deus. Se no inicio tinham como base a leitura e interpretação das Escrituras, com o tempo passaram a dar mais valor à tradição litúrgica e a rituais sacros, além de se envolverem ativamente na política, sobretudo, tomando partido na Guerra Civil Americana (1861-1865) que teve a escravidão como motivo para dividir o país numa batalha sangrenta.

Esse marasmo religioso permitiu que muitos pastores inflamassem novos discursos. Um deles foi o pastor batista Joseph Smale de Los Angeles. Em 1904 ele retornou do País de Gales, alegando que presenciou um evento onde cerca de 100.000 fieis haviam sido batizados com o espírito santo e que esse seria o critério para a salvação utilizando uma passagem do livro de Joel. Ele chamou esse evento de Avivamento e tentou inflamar dentro de sua igreja, mas acabou sendo rechaçado pelos demais pastores e expulso dela. Assim acabou fundando sua congregação, a PRIMEIRA IGREJA DO NOVO TESTAMENTO.

Somente em 1906, também em Londres, o pastor batista, William J Seymour, iria popularizar o pentecostalismo que ficaria conhecido como Avivamento da Rua Azusa. Negro e filho de ex-escravos, Seymour alegou que tinha recebido essa nova visão e tentou inflamar em sua congregação, alegando que falar em línguas estranhas era evidência do batismo pelo espirito santo. Assim como ocorreu com Smale, ele foi censurado e expulso, formando uma nova congregação na casa onde morava chamando inicialmente de MINISTÉRIO FÉ APOSTÓLICA


CARACTERÍSTICAS DO PENTECOSTALISMO


1. A salvação vem da fé e não das obras. 
2. O crente pode se tornar Santo pelo batismo do espírito santo.
3. Glossalgia como evidencia de batismo por espirito santo.
4. Cura como redenção.
5. O iminente retorno de Cristo de forma literal.


Em 1914, o movimento pentecostal ganharia mais força com a união de cerca de 500 igrejas em Hot Springs, Arkansas, liderados pelo Rev. E. N. Bell, que fundaram assim Concílio Geral das Assembléias de Deus (em inglês) mudando o nome de suas igrejas para ASSEMBLÉIA DE DEUS.

O movimento Pentecostal com o passar do tempo cresceu tanto, que na década de 50 já tinha influenciado praticamente todas as igrejas batistas dos Estados Unidos. Durante a década de 60 a Igreja Batista foi uma grande fonte de força e inspiração para negros que ainda lutavam por direitos civis em Estados que ainda tinha focos de segregação, como Texas e Mississipi. 

O pentecostalismo dividiu praticamente a "união" das Igrejas Batistas. Os batistas (históricos) acreditam que o batismo no Espírito acontece juntamente com a conversão (aceitar Jesus como Senhor e Salvador) e não há manifestação exterior; os batistas independentes acreditam que a pessoa recebe o Espírito Santo no momento da conversão ou depois e pode ser acompanhado com a manifestação de um dom (como o dom de línguas); os pentecostais acreditam que o batismo no Espírito e a conversão são acontecimentos distintos que podem não acontecer em simultâneo, havendo sempre a manifestação pelo dom de línguas.

Apesar de tudo o movimento pentecostal nos Estados Unidos ficou muito restrito ao país e à sua cultura. O avivamento para outros países acabariam se insurgindo de um país menos provável.


DO BRASIL PARA O MUNDO


Gunnar Vingren e Daniel Berg:
responsáveis por trazer o pentecostalismo ao Brasil. Histórias envoltas em traições, charlatanismo e espiritismo.


O pentecostalismo chegou ao Brasil em 1910 quando aportou em Belém, no Pará, os missionários batistas Gunnar Vingren e Daniel Berg. Embora a história oficial diga que ambos vieram como "homens espirituais para reavivar a fé em Cristo no Brasil", sua vinda é recheada de várias histórias mal contadas que envolvem golpes, traições, charlatanismo e até envolvimentos com espiritismos, que explicarei em outra oportunidade, para não fugir do foco.

Inicialmente eles frequentaram uma igreja Batista local trazendo junto com eles a novidade do avivamento. Mas como era de se esperar, a "novidade" foi rejeitada pelos pastores e acabaram sendo considerados hereges.  Com isso, eles começaram a influenciar algumas pessoas que gostaram da novidade no porão da própria igreja que frequentavam. O 'sucesso' do avivamento foi tão grande, que logo eles formariam uma igreja em 1911 chamada MISSÃO FÉ APOSTÓLICA - mas sem nenhum vínculo com a igreja de mesmo nome fundada nos Estados Unidos. Esse nome perdurou por sete anos, até que em 18 de janeiro de 1918,  por sugestão de Gunnar Vingren, a igreja passou a chamar-se ASSEMBLÉIA DE DEUS, pegando carona no movimento criado pelo Rev. E. N. Bell nos Estados Unidos, mas, outra vez, sem qualquer ligação institucional entre ambas as igrejas.

A Assembléia de Deus se expandiu pelo Pará, Amazonas até chegar nos Estados do Nordeste, especialmente por meio da população mais pobre. No sudeste chegou por meio dos retirantes do Pará, mas só viria ganhar impulso quando em 1924 Gunnar decidiu mudar para o bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro.  Mais tarde a igreja começou a se expandir, não só no Rio como para o Brasil e para o mundo. Missionários eram enviados para outros países como Portugal, Austrália e países da África fomentando ainda mais a igreja Assembléia de Deus nos moldes estabelecidos no Brasil.

Apesar do nome, as igrejas Assembleias de Deus não são uníssonas. As Assembleias de Deus brasileiras estão organizadas em forma episcopado não-territorial, onde cada Ministério é constituído pela igreja-sede com suas respectivas filiadas. Ainda assim eram filiadas a CGADB (Convenção Geral das AD no Brasil). Contudo a ganância e o desejo de poder fatiou as igrejas em várias vertentes. A primeira grande divisão ocorreu em 1930 quando o então Pastor Macalão se dissociou de Gunnar e fundou o MINISTÉRIO MADUREIRA das Assembleias de Deus. O cisma ajudou a várias outras Assembleias de Deus a se tornarem independentes, formando várias coalizões e novas associações.  Hoje em dia, assim como ocorre com as IGREJAS BATISTAS, duas pessoas afirmar que é da Assembléia de Deus não significa que partilham da mesma doutrina.  Elas possuem o nome em comum mas podem divergir quanto a regras e leis referentes a costumes e comportamento.

Mas numa coisa, elas continuam sendo únicas e ativas: na capacidade de formar líderes políticos e de influenciar as Leis do país por meio de sua bancada evangélica no Congresso Nacional. A Assembleia de Deus talvez seja a igreja mais poderosa hoje em dia levando em consideração sua prostituição com o meios políticos.  Eles defendem que é necessário transformar o Brasil numa nação evangélica, que é a única forma de trazer o país para Cristo é formando líderes políticos. Bem diferente do que Cristo explicou quando disse que seu reino não faz parte desse mundo e que as bençãos à Terra só viriam por meio do Governo de Deus. Levando em consideração de que eles esperam viver eternamento no céu, chega a ser incoerente essa "vontade" de dominar a política terrestre. (Compare com Mateus 4:8-11; João 6:15; Apocalipe 18:2,3)


O PENTECOSTALISMO DOMINA


Hoje em dia, podemos dizer que o pentecostalismo representa cerca de 80% dos evangélicos. Além das igrejas Assembleias de Deus e Igrejas Batistas, e de grandes empresas, digo, igrejas como DEUS É AMOR CRISTÃ DO BRASIL, há também uma dezena de igrejas independentes que são formadas pelas esquinas de bairros pobres e carentes e também formam suas pequenas filiais.


As Assembleias de Deus dão impressão de serem uma "igreja' única
Mas são divididas e independentes, e às vezes, até conflitam em si.
Com os Batistas ocorrem o mesmo.

Por serem maioria e não terem nenhum compromisso em estudar as Escrituras, são deles os maiores escândalos do mundo gospel, deturpando a palavra de Deus e transformando o evangelho num circo. Isso sem falar no comércio formado pelos artistas gospel cujo o lucro é tão grande que atraiu até gigantes do mercado fonológico como Sony, Warner e Som Livre, e pelo comércio popular que vende desde a chaveirinhos, brindes, adesivos e diversos, mas diversos mesmo, livros com diversas, mas diversas mesma, opiniões sobre o comportamento cristão.

O "óleo santo de Israel", ou "vassouras santas do Senhor" são métodos utilizados que atrai criticas severas de igrejas evangélicas tradicionais. Existe até um apelido pejorativo que se dão a elas, são as chamadas "Igrejas do Retété" ou "Igreja do Sapatinho". Existe um site que eu super indico, chamado Genizah - Apologética com Humor e um canal no Youtube, chamado Tipo Assim que criticam de forma bem humorada os absurdos que essa galera pentecostalista degenera o evangelho, vituperando o nome de Jesus e de Jeová.



RESUMO DA ÓPERA



Será que uma centena de igrejas independentes, que brigam entre elas mesmas para ver quem tem mais fieis ou mais filiais, cujo a única coisa que supostamente as une é adorar o Senhor Jesus Cristo, mas são diferente em regras, doutrinas, independentes em si, cada um buscando fieis utilizando métodos de charlatanismo, que ilude pessoas carentes e simples fazendo-as crer que basta aceitar a Jesus pra ser salvo, sem se preocupar em fazer obras excelentes baseadas na palavra de Deus, a Bíblia, um grupo que representa Jeová Deus na Terra?

Além disso características como possessão, supostamente pelo "espírito santo", falar em línguas estranhas e desmaios não encontram nenhuma base nas Escrituras. Muitos membros do Candomblé e do Umbandismo, ironizam esses cultos, dizendo que muitas dos rituais são plágios de seus rituais. Será que Jeová apoia e aprova esse tipo de comportamento?

Compare com Mateus 7:22, 23;  João 17:3; 2 Corintios 6:17; Deuteronômio 18:10-12; Apocalipse 18:2,4 e raciocinem.

sábado, 27 de agosto de 2016

IGREJAS PROTESTANTES SOB PROTESTO


"Se a verdade não estiver
entre as Testemunhas de Jeova,
corram para as colinas. Estamos lascados"
- André Lago



Desde a sua fundação, em 326 DC no Concilio de Nicéia, pelo imperador Constantino, que uniu a Igreja Cristã e o Estado de Roma num império sacro,  a Igreja Católica Apostólica Romana reinou absoluta como única "representante" de Cristo na Terra. A Igreja aumentou seu poderio absorvendo ideologias pagãs e se afastando cada vez mais das Escrituras, ao ponto de chegar a queimar em praças públicas quem tivesse um exemplar dela.

Isso não impediu que muitos cristãos fervorosos insistissem em seguir as Escrituras, mesmo que isso resultasse em viver nas sombras ou sob o risco iminente de serem mortos. Esses grupos viviam no submundo até quem em 1517 um monge agostiniano, que insistia em ler as Escrituras, entendeu que a Igreja Católica se desviou dela e decidiu protestar, iniciando um movimento que mudaria para sempre a história das igrejas cristãs.

A reforma protestante fez um bem muito grande ao cristianismo e particularmente acredito que tenha tido um "dedo" de Deus nessa história com o objetivo de preservar sua Palavra, a Bíblia. No entanto apesar de muitos benefícios, o que essas igrejas acabaram se tornando, especialmente nos dias de hoje, mostram que não temos várias estradas que levam ao mesmo lugar.


IGREJA LUTERANA 
- O PRIMO POBRE E REJEITADO DO CATOLICISMO


Quando se fala na reforma protestante, todos lembram de Martinho Lutero, monge agostiniano que viveu na Alemanha. Apesar de todo cisma criado a partir disso,  Lutero não pretendia deixar o catolicismo. Ao pregar suas 95 teses em 1517 contra a Igreja Católica, ele queria apenas chamar a atenção de Roma e reformar a própria igreja que ele acreditava ser o único caminho a Deus. Lutero acreditava que podia reconduzi-la ao caminho correto, tentando convencer os cardeais de que deviam se voltar à Escrituras e por isso Lutero sempre participava de debates, sem saber, que todas elas eram desculpas de Roma para acusá-lo ainda mais de sedição e heresia.  Tanto que ele se recusava a chamar seus seguidores de luteranos, mas apenas de "evangélicos".

Até que em 1521, em Worms, na Alemanha, a Santa Sé, por meio do imperador Carlos V, chamou Lutero para que ele pudesse pedir perdão e desmentisse suas 95 teses. Ao se negar, tanto Lutero quanto seus seguidores foram excomungados e condenados à morte. Como tinham a proteção do imperador da Saxônia,  Frederico I, que embora católico romano, viu na rebelião uma oportunidade de tomar de volta as terras alemãs que pertenciam a Roma. Lutero acabou sendo escondido e protegido, enquanto o número de seus seguidores só fazia aumentar. 

Hoje em dia os luteranos afirmam que são cerca de 80 milhões de fieis no mundo, divididos da seguinte forma: cerca de 250 ramos luteranos, entre estes, mais de 160 igrejas estão filiadas a (LWF) Federação Luterana Mundial e mais 50 fazem parte do (ILC) Concílio Luterano Internacional. A diferença entre elas é que as igrejas ligadas à LWF acredita que os ensinos de Lutero devem ser seguidos na íntegra, enquanto as igrejas filiadas à ILC são mais flexíveis e permitem fazer adaptações para os dias atuais. 

No Brasil embora os primeiros luteranos tenham embarcado em 1532, a Igreja Luterana só aportou de vez muitos séculos depois, quando o movimento na Europa estava mais dividido que nunca, com muitas igrejas luteranas divergindo entre si.


Ironicamente Lutero não pretendia acabar com a Igreja Católica, mas reformá-la. 

Assim como na Europa, aqui foram formadas duas frentes: a IGREJA EVANGÉLICA DE CONFISSÃO LUTERANA NO BRASIL (IECLB) fundada em 1824 em Nova Friburgo (RJ) mantinha as doutrinas tradicionais baseadas nos escritos originais de Lutero e a IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA DO BRASIL (IELB) por meio de missionários norte-americanos que por sua vez faziam parte da ala luterana que na Prússia decidiu se aliar com outros reformadores e tinham ideias mais flexíveis.

Ambos os ministérios passaram décadas se rivalizando, chegando inclusive a históricos de confrontos entre si. Embora hoje afirmem viver em paz, apesar das divergências, há uma especie de guerra fria entre elas. Por causa dessa rivalidade, nas últimas décadas surgiram muitas igrejas luteranas que se auto denominaram independentes.

A Igreja Luterana, assim como sua prima rica, a Igreja Católica, vê a Bíblia apenas como um livro secundário que deve ser consultado apenas quando lhe é conveniente. Eles desprezam todo o livro que não tem Jesus Cristo como tema central. É até bonito dizer que a fé deles é baseada em Solus Christus, mas todos nós sabemos que o tema da Bíblia não é necessariamente Jesus Cristo, mas o Reino de Deus e que toda ela está em harmonia com isso. (compare com Mateus 6:10).

Será que a verdade bíblica está nesse grupo que leva mais a sério a palavra do seu líder fundador do que a Palavra de Deus? Será que podemos levar à sério uma igreja dividida e que assim como Lutero, parece ainda hoje buscar a atenção, perdão e aprovação do Vaticano usando o ecumenismo como desculpa?


IGREJA PRESBITERIANA 
- A GERAÇÃO SUPOSTAMENTE ELEITA


João Calvino talvez seja o maior nome da reforma protestante, até mesmo maior que Martinho Lutero, pois ao contrário deste, tinha interesse em combater o catolicismo. Sua obra influenciou diretamente a maioria dos reformistas daquela época. Ele é responsável pela elaboração da Bíblia de Genebra, considerada a mãe de todas as Bíblias atuais por estabelecer o organograma que conhecemos hoje, especialmente, por dividir os textos em capítulos e versículos.

João Calvino, que estabeleceu todo seu trabalho em Genebra, na Suíça, e acreditava na teoria da Predestinação, ensinava que todos os seres humanos já nasciam previamente destinados por Deus à salvação ou à condenação. A teoria calvinista tinha vários furos, mas numa época onde as pessoas não tinham por costume ler a Bíblia - primeiro porque era considerado crime pela Igreja Católica, e segundo, porque devido a complexidade permitia que que teólogos a manipulasse conforme sua vontade - ganhou vários simpatizantes. Embora inicialmente não tenha formado uma religião específica mas os membros que seguiam Calvino passou a ser conhecido como Igreja Reformada para diferenciar do movimento luterano e dos anabatistas.

A IGREJA PRESBITERIANA veio a surgir oficialmente apenas em 1560 na Gâ-Bretanha por John Knox, amigo de Calvino, que havia estudado com ele em Genebra mas migrado para a Escócia. Os católicos seguiam a um líder, o papa; os presbíteros passariam a seguir modelo apostólico de presbíteros (anciãos) que administrariam como um todo e por isso a igreja passou a ser conhecida como tal.

Hoje em dia, especialmente no Brasil, a Igreja Presbiteriana adquiriu um prestígio muito grande da sociedade devido ao seu papel na educação, sendo proprietária de grandes instituições de ensino, sendo a maior e mais famosa, a Universidade Mackenzie.

A ideologia de Calvino de que não temos livre-arbítrio e de que não somos capazes de resistir ao pecado, e que já somos previamente escolhidos por Deus para a salvação e condenação, causa confusão até mesmo entre os membros da igreja, que no fim acabavam abraçando a teoria de outro reformador, Jacobus Arminius (que ficou conhecida como o arminianismo e que é base da fé das principais religiões cristãs atuais) e se desviando para outras igrejas.





Será que Deus está entre uma religião que prega que Ele é ditador ao ponto de  permitir salvar alguns e condenar outros, previamente, sem lhes dar a oportunidade de buscar a salvação? Isso fere 3 das principais qualidades de Jeová: o da sabedoria, o da justiça e o do amor. (Deut: 32:4; Jó 12:13; 1 Jo 4:8)

Com o passar do tempo, apesar dos benefícios trazidos por Calvino, o arminianismo acabou prevalecendo dentre as demais religiões protestantes de modo que os presbiterianos, embora ainda considerados evangélicos, seguiam o caminho por sua visão egocêntrica de salvação e até hoje não se permitem misturar com outras religiões.


OS ANABATISTAS - 
PROTESTAM CONTRA O BATISMO DE BEBÊS


Enquanto Lutero protestava na Alemanha, um outro grupo já questionava o Catolicismo em outros países. Na Suíça, onde a igreja católica não tinha tanta influência, o teólogo Ulrico Zuinglio liderou essa revolta protestante. Ainda assim, de uma forma que foi considerada tímida, já que Zuinglio se deixou levar por líderes do conselho do povo a não cortar relações de imediato com a Santa Sé, temendo com isso perder influencia comercial.

Coube ao jovem Conrad Grebel, um dos novos convertidos ao protestantismo, não concordar com a decisão e se tornar um dissidente fundando o grupo que passaria a ser conhecido por Anabatistas, por não aceitarem o batismo infantil e rebatizar os adultos que aceitavam a nova fé.

Os anabatistas cresceram e se tornaram proselitistas ao extremo, invadindo missas, interrompendo cultos de outros grupos protestantes, destruindo piscinas batismais, tudo em nome do verdadeiro evangelho. Isso irritou o conselho da cidade que considerou tais distúrbios um desafio direto à sua autoridade. Os anabatistas foram considerados inimigos e decretado a pena de morte por afogamento para todas as pessoas que aceitassem ser batizados novamente.  Devido a perseguição, emergiram para outros países, especialmente na Alemanha onde o protestantimos crescer vertigionosamente. Acabaram se reerguendo com pompa na cidade alemã de Münster, tornando uma das maiores religiões da época. Com o tempo, contudo, os anabatistas se permitiram desviar de seu objetivo principal almejando poder político e acabaram sendo dizimados. Para saber mais sobre os anabatistas e esse evento A Sentinela fez um excelente artigo. Pra saber mais  Clique Aqui.

Os anabatistas se caracterizavam por uma fé íntegra e por defender fortemente a palavra de Deus.
Mas com o tempo se permitiu ser desviado por motivos políticos que culminou na sua destruição.


Mesmo depois de dizimados, os anabatistas deixaram sua marca e influencia. A começar pelo batismo de pessoas adultas, que era combatido, inclusive pelos Luteranos e Presbiterianos. Historiadores dizem que os Menonitas, os Mórmons e a comunidade Amish surgiram a partir deles. Mas seu maior legado surgiu com as IGREJAS BATISTAS.  

Apesar de ser um nome histórico, a Igreja Batista não se tornou um grupo organizado e nem o nome de um movimento uniforme desde àquela época até hoje. Não tem data oficial de criação, pois foi surgindo aos poucos em vários lugares diferentes da Europa. Nunca houve, oficialmente, uma igreja fundadora, nem um fundadoɾː a expressão apareceu em vários templos e lugares diferentes.

Hoje em dia existem milhares de igrejas com o nome BATISTA que fazem parte de convenções independentes, sejam mundiais (Convenção Batista do Sul e Aliança Batista Mundial) ou regionais, seguindo seus próprios dogmas e regras, absorvendo, inclusive, outras doutrinas como o pentecostalismo ou as visões celulares ou do G12.

Quando se fala nos Batistas como religião podemos lembrar de "reino dividido" citado por Jesus em Marcos 12:30. Definitivamente não podemos afirmar que ser BATISTA é ter um nome tirado para representar nosso Deus na Terra.


IGREJA ANGLICANA 
- SERVINDO A DOIS AMOS


União só na foto. A Igreja Anglicana é a mais perdida de todas as igrejas, pois até hoje não sabem se são católicos, protestantes ou se é massa de manobra da Inglaterra. 

É senso comum dos historiadores dizer que a  IGREJA ANGLICANA foi formada em 1534 pelo Rei da Inglaterra Henrique VIII depois que este, querendo se divorciar de sua primeira esposa, e isso não ter sido aceito pela Igreja Católica, decidiu romper com eles. Desde então a Igreja na Inglaterra passou por uma confusão de identidades.

Durante os séculos assumia a posição de católica ou protestante, a depender do rei ou rainha que subisse ao trono britânico. Isso resultou em muitas lutas e guerras, estando a igreja diretamente relacionada, em busca dos interesses políticos da Inglaterra e não de Deus.

Até hoje a Igreja Anglicana é um "samba doido", tendo parte dela considerada Católica e parte considerada Protestante. Não vou me aprofundar com os anglicanos por motivos óbvios. Você acha que a verdade está numa igreja sem identidade fundada apenas por birra de um rei que queria separar de sua esposa e casar de novo e que hoje nem sabe o que quer da "vida"?


IGREJA METODISTA 
- "O QUE DIABOS ESTOU FAZENDO AQUI?"

O Metodismo surgiu mais como uma visão doutrinária, do que especialmente uma igreja. John Wesley que era um clérigo anglicano, passou a estudar as Escrituras e dela chegou à conclusão de que a relação com Deus era mais pessoal do que necessariamente coletiva. A salvação dependia de suas atitudes individuais e não de um grupo.  Isso atraiu muita gente das igrejas Anglicanas -  que não concordavam que ela fosse massa de manobra da coroa britânica - e da Presbiteriana - dos que não concordavam que a salvação pertencia a uma loteria divina.

Como muita gente migrando para a visão de Wesley, não tardou para que ela viesse a se tornar uma igreja, em 1844, por meio do pregador George Whitefield. No entanto, por ser mais uma visão do que doutrina, o Metodismo se permitiu ser influenciado com o tempo por várias outras ideologias, absorvendo parte do arminianismo e calvinismo à medida que se abrangia para outras regiões.


O ecumenismo é um dos objetivos buscados pelos Metodistas.
Na foto vemos uma bispa (sic) metodista ungindo um clérigo católico nos Estados Unidos. 


Hoje em dia a Igreja Metodista não possui uma doutrina específica, sendo reflexo dessa confusão de dogmas. Os americanos se dissociaram dos ingleses, logos os brasileiros se dissociaram dos americanos e por fim, do resto do mundo. A igreja é perdida naquilo que acredita se envolvendo em muitas discussões políticas, promovendo rituais ecumênicos e buscando tudo, menos os objetivos que concerne a palavra de Deus.


sábado, 20 de agosto de 2016

EVANGÉLICOS: A IGREJA DIVIDIDA


"Se um reino fica dividido contra si mesmo,
esse reino não pode ficar de pé"
- Marcos 3:24





Se você já me acompanha há algum tempo, sabe que uma frase que amo repetir é: "Se a verdade não estiver entre as Testemunhas de Jeová, corram para as colinas." Apesar de algumas rachaduras em nossa Organização - típicas de toda congregação, inclusive a do primeiro século - eu não consigo enxergar coerência bíblica em nenhuma outra igreja que não seja a da organização de Jeová na terra.

Nos últimos anos, atrelado a relatividade católica e seu afastamento cada vez maior da palavra de Deus, vemos um aumento substancial de evangélicos no mundo, especialmente nos países da América Latina e África.

Apesar de todo acesso à informação, as pessoas comuns ainda atrelam o termo evangélico a toda e qualquer pessoa que se diz cristã e não segue a igreja Católica. Quando pesquisas indicam, por exemplo, que cerca de 25% das pessoas se dizem evangélicas, às colocam no mesmo rol, como se eles fossem um grupo uníssono, único e unido. Não são!

Todas elas declaram adorar Jesus. E fim. Hoje em dia existe uma disseminação tão diversas denominações que apesar de alegarem adorar a Jesus, seguem princípios, ideias, preceitos, doutrinas totalmente diferente entre si. Muitas delas, inclusive, não se aceitam se rivalizando entre si numa espécie de guerra fria. Muitos líderes defendem que você aceite Jesus desde que seja na igreja dele! 

Hoje são tantas igrejas que chega a ser difícil estabelecer um critério para defini-las. Mas ainda assim existe uma base para explicar o aparecimento delas e como elas são estratificadas.

Saber como funciona e como cada qual pensa, ajuda a entender todo o processo de como a religião se tornou um mercado de interesses que envolve tudo, menos a adoração verdadeira à Deus.


IGREJAS PROTESTANTES


São as primeiras igrejas formadas a partir da dissidência de Martinho Lutero da Igreja Católica em 1517 DC. Após pregar suas 95 teses discordando de preceitos católicos, sem querer, ele acabou levando consigo uma série de fieis que juntos formaram a IGREJA LUTERANA. 

Antes de Lutero, porém, já existiam grupos dissidentes que também não aceitavam os ensinos de Roma e que acabaram se fortalecendo com o episódio. Os primeiros foram o Anabatistas, que tinham o maior número de pessoas influentes dentro da sociedade, que se organizaram e fundaram a IGREJA BATISTA.  

Logo em seguida vieram os seguidores de João Calvino com a IGREJA PRESBITERIANA, que tempos mais tarde se dividiria seguindo as ideias de outro reformador, James Arminius, dando origem a IGREJA PRESBITERIANA REFORMADA. 

De forma oportunista nasceu em 1534 na Inglaterra a IGREJA ANGLICANA fundada pelo rei Henrique VIII depois que a Igreja Católica não aceitou seu divórcio com a primeira esposa.  Cerca de 200 anos mais tarde nasceu dentro dela a IGREJA METODISTA, com o objetivo de reformar os anglicanos.

Seguindo a tendencia protestante, em 1863 surgiu o movimento do segundo advento de Jesus, cujo nome ficou conhecido como IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA fundada por Guilherme Miller.  Contudo por rejeitar parte das Escrituras e se fundamentar basicamente nos escritos de uma suposta revelação dada por Deus a profetiza Ellen White, os adventistas passaram a ser tratados pelos protestantes como uma seita. 



                                               IGREJAS PENTECOSTAIS

Movimento que surgiu no Brasil no inicio do século XX como uma dissidência da Igreja Metodista. Os pentecostais acreditam que a ênfase tem que ser dada aos dons relevados pelo espirito santo em Pentecostes. Esses dons incluiriam revelações por meio de possessão divina, curas pela fé e dons de falar em línguas. A primeira igreja a surgir foi a CONGREGAÇÃO CRISTÃ DO BRASIL em 1910. Em seguida veio a ASSEMBLÉIA DE DEUS em 1911 no Pará fundada por dois suecos cuja vinda ao Brasil é recheada de mal-entendidos e histórias escusas. Anos mais tarde, em 1962, veio a DEUS É AMOR. 

De lá pra cá surgiram inúmeras igrejas que incluíram o nome PENTECOSTAL em sua razão social, atraindo, inclusive, alguns seguimentos das igrejas Batistas. Muitas delas são independentes, ou seja, possuem suas próprias Leis e não seguem uma convenção. São apelidadas pelos mais tradicionais de igrejas de esquina.  Os pentecostais são considerados o maior movimento dentro do meio evangélico representando cerca de 73% das pessoas que se dizem evangélicos. . 



                               IGREJAS NEOPENTECOSTAIS


São aquelas que surgiram da dissidência de igrejas pentecostais, adicionando em seus ensinamentos a Teologia da Prosperidade, sob o qual, Deus, retribui aos seus servos a fé e dinheiro por mais bens materiais e/ou sucesso profissional.

A teologia do prosperidade criada ainda na década de 50 mas sofria resistências por motivos óbvios. Foi somente na década de 80 nos Estados Unidos, com o aparecimento dos televangelistas - pastores dissidentes sem uma igreja definida - que pregavam o avimento material em redes de televisão associando espiritualidade e fé a dinheiro e sucesso.

Esse movimento influenciou pastores no Brasil, como Edir Macedo que montou em 1977 a IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS. Logo em seguida vieram os dissidentes: a IGREJA MUNDIAL DO PODER DE DEUS do pastor Waldomiro Diniz, fundada depois de uma briga entre este e o líder da Universal, e a IGREJA INTERNACIONAL DA GRAÇA, do pastor R.R. Soares.

Todas essas igrejas tem como mote principal a utilização da mídia televisiva que utiliza cultos espetaculares e exorcismos.

As mais recentes crias desse movimentos são a IGREJA APOSTÓLICA RENASCER EM CRISTO, a igreja SARA NOSSA TERRA e a auto intitulada "igreja jovem" BOLA DE NEVE, dentre outras.

Há ainda muitas igrejas que surgiram utilizando o nome de igrejas tradicionais mas que seguem as suas próprias regras. Os BATISTAS e a ASSEMBLÉIA DE DEUS deram nome a várias igrejas que não possuem nenhuma identidade com a igreja tradicional. As doutrinas podem mudar e variar de igreja pra igreja e podendo assumir caracteristicas de pentecostal e/ou neopentecostal.

Há outras que para fugir da pecha negativa que algumas igrejas pentecostais criaram, mudaram sua razão social para "Igrejas Congregacionais", "Comunidade evangélica" ou "Ministério" montando as mesmas características de uma igreja comum. Há ainda doutrinas internas ou estrategias de evangelização que costumam ser polêmicas e normalmente não são aceitas por igrejas tradicionais mas é bastante aplicada em igrejas independentes, como a "visão G12" ou a "visão MDA" que tem atraído muitos pastores independentes e pequenas igrejas.

A seguir, escreverei uma série de artigos explicando o que é cada um desses seguimentos e o que ele tem proporcionado hoje em termos de desvio da palavra de Deus, cumprindo assim uma profecia dita pelo próprio Jesus de que muitos falsos profetas apareceriam nos últimos dias usando seu nome.
- Mateus 7:22,23.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

"EU NUNCA ABANDONEI A JEOVÁ!"


"Ame a Jeová, seu Deus, 
de todo o seu coração, de toda a sua alma, 
de toda a sua mente 
e de toda a sua força."
- Marcos 12:30 


John Norton*, era um jovem adolescente Testemunha de Jeová do interior do Goiás, que foi desassociado pelos mesmos motivos que levam 90% a serem desassociados: Sexo.

Depois de um relacionamento conturbado na pequena cidade onde morava, os efeitos consequentes foram muito amargos - desassociação, má fama na congregação e um coração partido - Norton logo entrou em depressão mesmo assistindo as reuniões regularmente, por causa dos boatos e do "julgamento" que sempre ouvia nas entrelinhas. Um dia apareceu uma oportunidade louca na vida e ele decidiu pegar: trabalhar fora do Brasil, em Angola,  numa empresa petrolífera.  John Norton entrou nessa e há 3 anos continua desassociado, porque na região onde trabalha passa 6 dias no mar e o dia de folga raramente calha com os dias das reuniões de uma congregação que ele descobriu que fica numa cidade há cerca de 3 horas do alojamento onde dorme. Ainda assim, por meio do site JW.ORG Norton tem acesso a todas publicações e se mantém sempre atualizado, ora regularmente a Jeová, e prega constantemente na plataforma onde trabalha ao ponto de muitos conhecerem ele como "o TJ".

Mas Norton continua desassociado.

Certa vez ao esbarrar com um velho amigo no Facebook, ouviu ele dizer "Norton, volte a Jeová!" E ele respondeu, "cara, eu nunca abandonei Jeová!".

Empiricamente muitos desassociados que continuam amando a Jeová passam por essa situação. São poucos, pouquíssimos, mas passam. Talvez essa seja a maior dor de se estar afastado devido a um procedimento burocrático da organização: o de ser julgado como se tivesse abandonado a Jeová.

Para esses, vale à pena lembrar de alguns pontos fortes para sua fé.


1 Samuel 16:7

Jeová sabe o que ocorre dentro do seu coração. Se seu amor é verdadeiro, sincero, Ele será por você independente de onde esteja, inclusive, se desassociado.

Salmo 91:2

Você abandona Jeová quando deixa de crer que ele é seu refúgio, o único Deus verdadeiro, sua fortaleza. Jeová nunca abandona a aqueles que se achegam a Ele.


Salmo 25:14

Davi resumiu isso muito bem nesse salmo. O princípio da intimidade com Deus é o temor a Ele. Se você O teme, se você O considera como único Deus verdadeiro, se você O ama e segue Suas Leis e reconhece Cristo Jesus como seu salvador, aquele que nosso Pai nos deu para expiar por todos os nossos pecados, não será um processo burocrático que mudará sua condição perante a Deus. 


"E a questão da Organização?"


Nos dias de Israel, acompanhar a nação de "Abraão, Isaque e Jacó" era importante porque tinha sido a eles que Jeová estabeleceu um pacto e eram a eles que seriam diretamente beneficiados. Entretanto, a Bíblia nos traz vários exemplos de pessoas que temiam a Deus e não estavam necessariamente junto a eles.

RAABE

Essa garota não era uma santa; era uma prostituta e cananeia. Mas soube dos feitos de nosso Deus muito antes dos espias aparecerem em Jericó. E quando percebeu que Israel invadiria Jericó e por temor, não só passou a adorá-lo como ajudou os espias quando estes tiveram na cidade. "Não foi também Raabe, a meretriz, declarada justa pelas obras, depois de ter acolhido hospitaleiramente os mensageiros e os ter enviado embora por outro caminho?" - Tiago 2:25




Homem, rico, que morava na terra de Uz (hoje região da Arábia) e nunca conheceu pessoalmente seus primos distantes, ou seja, as 12 tribos de Israel. É possível, ainda, que tenha vivido no mesmo período em que Israel estava escravizado no Egito, nascido depois da morte de José e morrido antes que Moisés tenha recebido sua missão de salvar os judeus. Portanto, Jó vivia só, não acompanhava e nem fazia nenhum dos rituais previstos na Lei, ainda assim, Jeová discutiu com Satanás e disse pela sua conduta, se mostrou inculpe e reto, não havia nenhum humano com integridade igual à de Jó.  - Jó 1:8

ESTER

A Lei de Jeová sobre matrimônio era clara: eles deviam se casar apenas com membros de Israel, e parece que era costume, que procurassem especialmente dentre sua tribo, embora isso não fosse necessariamente ordenado. Era proibido o casamento com pessoas de outras nações. Entretanto, a jovem judia Hadassa, não só casou com o rei persa Assuero, como teve seu nome mudado e passou a conviver com a cultura e religiosidade da Pérsia.

Isso a transformou numa traidora ou desassociada? Não! É obvio que tudo isso foi movido por nosso Deus e resultou no livramento da morte pela nação de Israel numa das histórias mais românticas e bonitas da Bíblia, mas mostra que nem sempre as coisas ocorrem bonitinhas, arrumadinhas, como alguns acham que devem ser.

SANSÃO

Este, talvez, seja um dos juízes mais controversos que a nação de Israel conheceu. Sansão era Nazireu, mas fez um monte de coisas que os Nazireus - e por conseguinte, os servos de Jeová - não podiam fazer como tocar em cadáveres, se apaixonar e quase casar com uma filisteia, dormir em casa de prostitutas e por fim, ser um beberrão e matar muito, mas muita gente, e depois ainda se apaixonar novamente por outra filisteia e quase perder o favor de Jeová por causa disso.

Mas no fim, quando foi provado, Sansão mostrou que seus atos não correspondiam diretamente ao seu coração. Ele amava Jeová de todo o seu coração. E Jeová reconheceu isso. - Juízes 16:28


Onde quero chegar com os exemplos acima? Observem que nenhum deles estavam ativamente fazendo parte de um grupo, tribo, ou religião! Todos eles estavam debaixo da Lei mas não seguiram a Lei. E ainda assim se tornaram servos leais de Jeová, tendo a honra de serem usados como exemplos, tendo seus feitos registrados nas Escrituras - 1 Timóteo 3:16, 17.


"Não deixando de nos reunir"

Isso significa, então, que a partir de agora posso ficar livre e não preciso me reunir com as Testemunhas de Jeová? Claro que não! - Hebreus 10:24,25.


Ser Testemunha de Jeová não garante a salvação a ninguém, da mesma forma que não ser, não garante a destruição.


Observem que ao escrever aos hebreus, Paulo não estava atribuindo a reunião como um ritual obrigatório, mas exortando que isso seria importante para se manter atualizado e fortificado.

Os lobos, por exemplo, andam em bandos porque a força da matilha lhes garante a segurança e o fortalecimento necessário à sobrevivência. Mas se eles estiverem sozinhos, não deixarão de ser lobos, mas ficarão mais suscetíveis aos predadores. Da mesma forma não estar entre as Testemunha de Jeová (a organização) não o deixa de ser considerado um servo pelo próprio Jeová, se seu coração, suas atitudes e pensamentos ainda for para com Ele.

Mas estar sozinho pode te tornais mais suscetível aos predadores. Isso é fato! Por isso, a grande maioria dos desassociados, acabam continuando como desassociados, aqui fora, mesmo no fundo sabendo que estão se afastando de nosso Deus Todo Poderoso. Por isso é importante sim que você faça todo o procedimento para retornar a organização e deseje fazer parte da matilha, ou seja, de voltar a se reunir junto com outras pessoas que amam a Jeová, como você.

Mas se ainda assim, se você fez todas as mudanças necessárias na sua vida, seus atos, suas atitudes, e principalmente, o seu coração, não fique triste por não ter sua carta de readmissão aceita pela comissão judicativa de sua congregação. Talvez seja a forma e o momento de se reavaliar cada vez mais e fazer uma auto-análise sobre como anda sua vida.

Ter sua carta de readmissão recusada pela comissão judicativa não significa que Jeová tem lhe rejeitado. 

É claro que muitos querem voltar a falar com entes queridos, amigos importantes, deixar de ser visto com uma pária por outros irmãos que nos julgam indevidamente, voltar a fazer algumas atividades em grupo, inclusive participar de recreações. Mas lembre-se, se esse for seu objetivo principal, você está com o objetivo errado!

Talvez seja o momento de você continuar a se fortalecendo e fazendo uma auto-análise. E continuar fazendo mudanças em sua vida. Estar desassociado não é fator determinante pra sua condenação; mas sua mente, seus atos e seu coração é.  - Marcos 12:30

domingo, 21 de fevereiro de 2016

TA NA HORA DE VOLTAR, E AGORA?


Uma das perguntas que mais recebo por e-mail ou inbox é como fazer a carta pedindo a readmissão. Muitas pessoas não sabem o que escrever - sim, e isso não é pecado, afinal, se o processo é burocrático dá-se a impressão que a carta também deva ser - ou como funciona todo o procedimento. 

Então vamos lá... 

Quando devo mandar a carta?

Não existe um período específico. Alguns irmãos estabelecem o período de 1 ano erroneamente por causa de uma orientação no livro dos anciãos, que recomenda que uma vez por ano os anciãos devem examinar a lista de desassociados e dissociados da congregação e devem visitá-los para saber se desejam retornar e receber ajuda para isso.   Assim, muitos anciãos achavam que esse deveria ser o período mínimo da disciplina. Entretanto cartas e estudos semanais de A Sentinela tem mostrado que esse pensamento está errado e muitas desassociações ocorreram com até 07 meses de desassociação. Mas são casos raros. Com menos de 6 meses nem sonhe. Um período regular que eu sugiro a encaminhar sua primeira carta é que seja a partir de 9 meses desassociado.

 O tempo de retorno vai levar em consideração 4 fatores, não necessariamente na mesma ordem, a saber:

1. Motivo da desassociação
2. Repercussão na congregação e/ou na comunidade.
3. Assistência regular às reuniões
4. Genuíno arrependimento.


Motivo

Alguns irmãos costumam dizer que não existem pecados grandes e pecados pequenos, que todos são pecados diante de Deus, numa interpretação errada das palavras de Jesus em Lucas 16:1, mas estão errados. Nos dias de Israel, Jeová estabeleceu cerca de 600 leis que incluíam punições em vários níveis para os diversos pecados cometidos. 

É obvio que uma pessoa que foi desassociado, seja por fornicação, roubo, homicídio ou idolatria, só pra citar alguns, terão tratamentos diferentes para seus casos. 


Repercussão 

O desassociado era bastante conhecido na comunidade ou tinha privilégios na congregação? Foi cometido por um ancião, servo ministerial ou pioneira regular ou especial, o qual se deu mais responsabilidades e serviam como representantes da congregação? (Luc. 12:47, 48)

Seu erro repercutiu negativamente vituperando o nome de Jeová perante a vizinhança, comunidade ou cidade? Se sim, ela terá um peso bastante significativo no momento da readmissão, para não se dá a entender que a Organização de Jeová acobertou ou banalizou o erro. 


Assistência regular


A assistência regular é item obrigatório. Não dá pra ir na reunião um mês achando que vai voltar em seguida, não adianta ir um dias sim, e dois não. Não dá pra ficar visitando congregações nesse período. Se tiver aula ou trabalho durante a semana, comunique ao corpo de anciãos. Se for viajar, comunique também. Se você não for regular às reuniões dificilmente será recomendado a voltar.


Arrependimento

E finalmente o ponto principal, o genuíno arrependimento. O livro dos anciãos orienta:

O genuíno arrependimento e o desvio do proceder errado - não a atitude de outros ou simplesmente o tempo decorrido - são os principais fatores determinantes ao decidir quando a pessoa pode ser readmitida. (1 Cor. 5:1, 11-13; 2 Cor. 2:6, 7) 

E o arrependimento está muito além de chorar diante dos anciãos. Ela envolve mudar o procedimento errado,  seu comportamento circunstancial e a forma de pensar. 

Por exemplo, um homem que foi desassociado por fornicação estará demonstrando arrependimento se sempre for visto cercado de mulheres, e pior, se estiver namorando com uma não cristã? Uma pessoa que foi desassociada por bebedeira ou conduta desenfreada estará demonstrando arrependimento se sempre é vista em festanças ou bebendo em barzinhos com amigos do mundo? Seu modo de vida vai determinar se você está realmente arrependida ou quer apenas voltar para poder se relacionar com os amigos e parentes que deixou pra trás. 

Uma amiga me perguntou se ela poderia fazer uma tatuagem? Poder pode, você pode tudo. Mas pergunte-se, o que uma tatuagem poderia fazer para você quando voltar e tiver que ir num passeio seja na praia, no clube ou num rio? Será que te deixará constrangida perante os irmãos? Poderia fazer com que as pessoas tivessem um conceito/atitude errada sobre você? São questões que devem ser analisadas. 



Pronto, hora de mandar a carta!


Se analisou todas as circunstancias e acha que é hora de voltar, escreva sua carta e entregue aos anciãos. O livro dos anciãos é claro quando orienta: 

"Ao passo que não se deve precipitar em readmitir pessoas desassociadas, deve-se dar atenção a um pedido de readimissão."  

Dessa forma, sua carta será lida e considerada pelo corpo de anciãos de qualquer forma. Gosto de usar uma frase muito comum: o NÃO você já tem, ore a Jeová para conseguir o SIM.

A orientação segue:

Os anciãos devem ter certeza de que passou tempo suficiente para que a pessoa desassociada prove que sua afirmação de arrependimento é genuína. (it-1 p. 210) Leve em conta o quadro geral de sua vida. Evidencia este agora que ela está arrependida? (w77 1/9 p. 536) 

Isso não significa que os anciãos vão investigar sua vida minuciosamente. A recomendação é bem clara quando diz que eles devem levar em consideração o "quadro geral" de vida. Nos casos onde não haja evidências aparentes de que o desassociado continua no erro, não é dever do ancião servir como policial investigativo e fazer uma devassa minuciosa na vida da pessoa. Se aparentemente não há nada que desabone a conduta, este deve ser readimitido.


O que escrever na carta?


É uma carta simples, pode ser escrita à mão ou impressa, onde você expõe em poucas palavras o seu arrependimento e o desejo de voltar a ser Testemunha de Jeová. Em alguns casos, pode até descrever as mudanças ou ações que fez para mostrar que realmente deseja isso. 

Não use formalidades e nem um linguajar culto demais. Pode soar falso. 

Não é necessário descrever minuciosamente as coisas de errado que fez enquanto estava desassociado. Isso é irrelevante e desnecessário pelo motivo óbvio: Se fez/faz algo de errado, porque está tentando voltar a ser Testemunha de Jeová?  

Algumas pessoas quando são desassociadas tem a falsa impressão de liberdade ou então entram num processo de revolta, se deixando cair no mundo e fazer todo tipo de coisa errada. O que fazemos aqui fora é obra do deus ao qual nós escolhemos ser entregues. (João 14:30)

Somente depois, quando caímos em si e vemos que nossa vida tá uma merda é que começamos a fazer as mudanças necessárias para voltar. Então esse período negro não é necessário mencionar e nem os anciãos estão interessados, pois no momento em que fomos desassociados, deixamos de ser Testemunhas de Jeová.  

A nossa carta deve conter apenas os nossos sentimentos e as ações que demonstram o nosso desejo de voltar a adorar a Jeová junto à sua congregação.

A carta deve ser entregue a qualquer um dos anciãos de sua congregação, mesmo que esteja numa congregação nova. 


Entreguei minha carta, e agora?

Agora é só esperar. A carta é analisada pelo mesmo corpo de anciãos que participou de sua comissão judicativa. Não é simples pois eles precisam se reunir especificamente para este fim, e às vezes a atividade secular ou outras necessidades da congregação, acabam atrapalhando. (Sim, existe uma congregação para se cuidar e o mundo não gira ao seu redor). 

A resposta pode demorar, mas se passar duas semanas procure o ancião a quem você entregou sua carta e pergunte. Eles são obrigados a dar uma resposta, seja ela positiva ou negativa. 

Se você mudou de congregação, dê mais tempo a eles, porque neste caso a carta é encaminhada ao corpo de anciãos de sua antiga congregação. Às vezes, em caso de ter mudado de cidade,  a carta é enviada pelo Correio e já sabemos como funciona nossa querida instituição, não é?


Puxa, a resposta foi não. 


Não se desanime. Recebemos muitos "não" na vida e nem por isso desistimos. Primeiro procure fazer uma auto avaliação sincera. Será que mudei mesmo? Será que meus amigos de trabalho, da escola, da vizinhança me vêem como uma pessoa cristã mesmo não sendo mais Testemunha de Jeová?

Se a sua resposta for sim, aguarde uns dois meses e mande outra carta novamente. 

Se ainda assim for negativa, neste caso, você pode procurar ou escrever, ao Superintendente de Circuito de sua região, explicando os fatos e o desejo de retornar à Organização, ou em último caso, escrever diretamente à Betel. Os irmãos irão procurar os anciãos da sua comissão judicativa para entender quais os motivos eles não aceitam seu retorno, e se acharem que está havendo um julgamento parcial, irão entregar seu caso para ser analisado por uma nova comissão judicativa indicada pelo Superintendente de Circuito.