sábado, 27 de agosto de 2016

IGREJAS PROTESTANTES SOB PROTESTO


"Se a verdade não estiver
entre as Testemunhas de Jeova,
corram para as colinas. Estamos lascados"
- André Lago



Desde a sua fundação, em 326 DC no Concilio de Nicéia, pelo imperador Constantino, que uniu a Igreja Cristã e o Estado de Roma num império sacro,  a Igreja Católica Apostólica Romana reinou absoluta como única "representante" de Cristo na Terra. A Igreja aumentou seu poderio absorvendo ideologias pagãs e se afastando cada vez mais das Escrituras, ao ponto de chegar a queimar em praças públicas quem tivesse um exemplar dela.

Isso não impediu que muitos cristãos fervorosos insistissem em seguir as Escrituras, mesmo que isso resultasse em viver nas sombras ou sob o risco iminente de serem mortos. Esses grupos viviam no submundo até quem em 1517 um monge agostiniano, que insistia em ler as Escrituras, entendeu que a Igreja Católica se desviou dela e decidiu protestar, iniciando um movimento que mudaria para sempre a história das igrejas cristãs.

A reforma protestante fez um bem muito grande ao cristianismo e particularmente acredito que tenha tido um "dedo" de Deus nessa história com o objetivo de preservar sua Palavra, a Bíblia. No entanto apesar de muitos benefícios, o que essas igrejas acabaram se tornando, especialmente nos dias de hoje, mostram que não temos várias estradas que levam ao mesmo lugar.


IGREJA LUTERANA 
- O PRIMO POBRE E REJEITADO DO CATOLICISMO


Quando se fala na reforma protestante, todos lembram de Martinho Lutero, monge agostiniano que viveu na Alemanha. Apesar de todo cisma criado a partir disso,  Lutero não pretendia deixar o catolicismo. Ao pregar suas 95 teses em 1517 contra a Igreja Católica, ele queria apenas chamar a atenção de Roma e reformar a própria igreja que ele acreditava ser o único caminho a Deus. Lutero acreditava que podia reconduzi-la ao caminho correto, tentando convencer os cardeais de que deviam se voltar à Escrituras e por isso Lutero sempre participava de debates, sem saber, que todas elas eram desculpas de Roma para acusá-lo ainda mais de sedição e heresia.  Tanto que ele se recusava a chamar seus seguidores de luteranos, mas apenas de "evangélicos".

Até que em 1521, em Worms, na Alemanha, a Santa Sé, por meio do imperador Carlos V, chamou Lutero para que ele pudesse pedir perdão e desmentisse suas 95 teses. Ao se negar, tanto Lutero quanto seus seguidores foram excomungados e condenados à morte. Como tinham a proteção do imperador da Saxônia,  Frederico I, que embora católico romano, viu na rebelião uma oportunidade de tomar de volta as terras alemãs que pertenciam a Roma. Lutero acabou sendo escondido e protegido, enquanto o número de seus seguidores só fazia aumentar. 

Hoje em dia os luteranos afirmam que são cerca de 80 milhões de fieis no mundo, divididos da seguinte forma: cerca de 250 ramos luteranos, entre estes, mais de 160 igrejas estão filiadas a (LWF) Federação Luterana Mundial e mais 50 fazem parte do (ILC) Concílio Luterano Internacional. A diferença entre elas é que as igrejas ligadas à LWF acredita que os ensinos de Lutero devem ser seguidos na íntegra, enquanto as igrejas filiadas à ILC são mais flexíveis e permitem fazer adaptações para os dias atuais. 

No Brasil embora os primeiros luteranos tenham embarcado em 1532, a Igreja Luterana só aportou de vez muitos séculos depois, quando o movimento na Europa estava mais dividido que nunca, com muitas igrejas luteranas divergindo entre si.


Ironicamente Lutero não pretendia acabar com a Igreja Católica, mas reformá-la. 

Assim como na Europa, aqui foram formadas duas frentes: a IGREJA EVANGÉLICA DE CONFISSÃO LUTERANA NO BRASIL (IECLB) fundada em 1824 em Nova Friburgo (RJ) mantinha as doutrinas tradicionais baseadas nos escritos originais de Lutero e a IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA DO BRASIL (IELB) por meio de missionários norte-americanos que por sua vez faziam parte da ala luterana que na Prússia decidiu se aliar com outros reformadores e tinham ideias mais flexíveis.

Ambos os ministérios passaram décadas se rivalizando, chegando inclusive a históricos de confrontos entre si. Embora hoje afirmem viver em paz, apesar das divergências, há uma especie de guerra fria entre elas. Por causa dessa rivalidade, nas últimas décadas surgiram muitas igrejas luteranas que se auto denominaram independentes.

A Igreja Luterana, assim como sua prima rica, a Igreja Católica, vê a Bíblia apenas como um livro secundário que deve ser consultado apenas quando lhe é conveniente. Eles desprezam todo o livro que não tem Jesus Cristo como tema central. É até bonito dizer que a fé deles é baseada em Solus Christus, mas todos nós sabemos que o tema da Bíblia não é necessariamente Jesus Cristo, mas o Reino de Deus e que toda ela está em harmonia com isso. (compare com Mateus 6:10).

Será que a verdade bíblica está nesse grupo que leva mais a sério a palavra do seu líder fundador do que a Palavra de Deus? Será que podemos levar à sério uma igreja dividida e que assim como Lutero, parece ainda hoje buscar a atenção, perdão e aprovação do Vaticano usando o ecumenismo como desculpa?


IGREJA PRESBITERIANA 
- A GERAÇÃO SUPOSTAMENTE ELEITA


João Calvino talvez seja o maior nome da reforma protestante, até mesmo maior que Martinho Lutero, pois ao contrário deste, tinha interesse em combater o catolicismo. Sua obra influenciou diretamente a maioria dos reformistas daquela época. Ele é responsável pela elaboração da Bíblia de Genebra, considerada a mãe de todas as Bíblias atuais por estabelecer o organograma que conhecemos hoje, especialmente, por dividir os textos em capítulos e versículos.

João Calvino, que estabeleceu todo seu trabalho em Genebra, na Suíça, e acreditava na teoria da Predestinação, ensinava que todos os seres humanos já nasciam previamente destinados por Deus à salvação ou à condenação. A teoria calvinista tinha vários furos, mas numa época onde as pessoas não tinham por costume ler a Bíblia - primeiro porque era considerado crime pela Igreja Católica, e segundo, porque devido a complexidade permitia que que teólogos a manipulasse conforme sua vontade - ganhou vários simpatizantes. Embora inicialmente não tenha formado uma religião específica mas os membros que seguiam Calvino passou a ser conhecido como Igreja Reformada para diferenciar do movimento luterano e dos anabatistas.

A IGREJA PRESBITERIANA veio a surgir oficialmente apenas em 1560 na Gâ-Bretanha por John Knox, amigo de Calvino, que havia estudado com ele em Genebra mas migrado para a Escócia. Os católicos seguiam a um líder, o papa; os presbíteros passariam a seguir modelo apostólico de presbíteros (anciãos) que administrariam como um todo e por isso a igreja passou a ser conhecida como tal.

Hoje em dia, especialmente no Brasil, a Igreja Presbiteriana adquiriu um prestígio muito grande da sociedade devido ao seu papel na educação, sendo proprietária de grandes instituições de ensino, sendo a maior e mais famosa, a Universidade Mackenzie.

A ideologia de Calvino de que não temos livre-arbítrio e de que não somos capazes de resistir ao pecado, e que já somos previamente escolhidos por Deus para a salvação e condenação, causa confusão até mesmo entre os membros da igreja, que no fim acabavam abraçando a teoria de outro reformador, Jacobus Arminius (que ficou conhecida como o arminianismo e que é base da fé das principais religiões cristãs atuais) e se desviando para outras igrejas.





Será que Deus está entre uma religião que prega que Ele é ditador ao ponto de  permitir salvar alguns e condenar outros, previamente, sem lhes dar a oportunidade de buscar a salvação? Isso fere 3 das principais qualidades de Jeová: o da sabedoria, o da justiça e o do amor. (Deut: 32:4; Jó 12:13; 1 Jo 4:8)

Com o passar do tempo, apesar dos benefícios trazidos por Calvino, o arminianismo acabou prevalecendo dentre as demais religiões protestantes de modo que os presbiterianos, embora ainda considerados evangélicos, seguiam o caminho por sua visão egocêntrica de salvação e até hoje não se permitem misturar com outras religiões.


OS ANABATISTAS - 
PROTESTAM CONTRA O BATISMO DE BEBÊS


Enquanto Lutero protestava na Alemanha, um outro grupo já questionava o Catolicismo em outros países. Na Suíça, onde a igreja católica não tinha tanta influência, o teólogo Ulrico Zuinglio liderou essa revolta protestante. Ainda assim, de uma forma que foi considerada tímida, já que Zuinglio se deixou levar por líderes do conselho do povo a não cortar relações de imediato com a Santa Sé, temendo com isso perder influencia comercial.

Coube ao jovem Conrad Grebel, um dos novos convertidos ao protestantismo, não concordar com a decisão e se tornar um dissidente fundando o grupo que passaria a ser conhecido por Anabatistas, por não aceitarem o batismo infantil e rebatizar os adultos que aceitavam a nova fé.

Os anabatistas cresceram e se tornaram proselitistas ao extremo, invadindo missas, interrompendo cultos de outros grupos protestantes, destruindo piscinas batismais, tudo em nome do verdadeiro evangelho. Isso irritou o conselho da cidade que considerou tais distúrbios um desafio direto à sua autoridade. Os anabatistas foram considerados inimigos e decretado a pena de morte por afogamento para todas as pessoas que aceitassem ser batizados novamente.  Devido a perseguição, emergiram para outros países, especialmente na Alemanha onde o protestantimos crescer vertigionosamente. Acabaram se reerguendo com pompa na cidade alemã de Münster, tornando uma das maiores religiões da época. Com o tempo, contudo, os anabatistas se permitiram desviar de seu objetivo principal almejando poder político e acabaram sendo dizimados. Para saber mais sobre os anabatistas e esse evento A Sentinela fez um excelente artigo. Pra saber mais  Clique Aqui.

Os anabatistas se caracterizavam por uma fé íntegra e por defender fortemente a palavra de Deus.
Mas com o tempo se permitiu ser desviado por motivos políticos que culminou na sua destruição.


Mesmo depois de dizimados, os anabatistas deixaram sua marca e influencia. A começar pelo batismo de pessoas adultas, que era combatido, inclusive pelos Luteranos e Presbiterianos. Historiadores dizem que os Menonitas, os Mórmons e a comunidade Amish surgiram a partir deles. Mas seu maior legado surgiu com as IGREJAS BATISTAS.  

Apesar de ser um nome histórico, a Igreja Batista não se tornou um grupo organizado e nem o nome de um movimento uniforme desde àquela época até hoje. Não tem data oficial de criação, pois foi surgindo aos poucos em vários lugares diferentes da Europa. Nunca houve, oficialmente, uma igreja fundadora, nem um fundadoɾː a expressão apareceu em vários templos e lugares diferentes.

Hoje em dia existem milhares de igrejas com o nome BATISTA que fazem parte de convenções independentes, sejam mundiais (Convenção Batista do Sul e Aliança Batista Mundial) ou regionais, seguindo seus próprios dogmas e regras, absorvendo, inclusive, outras doutrinas como o pentecostalismo ou as visões celulares ou do G12.

Quando se fala nos Batistas como religião podemos lembrar de "reino dividido" citado por Jesus em Marcos 12:30. Definitivamente não podemos afirmar que ser BATISTA é ter um nome tirado para representar nosso Deus na Terra.


IGREJA ANGLICANA 
- SERVINDO A DOIS AMOS


União só na foto. A Igreja Anglicana é a mais perdida de todas as igrejas, pois até hoje não sabem se são católicos, protestantes ou se é massa de manobra da Inglaterra. 

É senso comum dos historiadores dizer que a  IGREJA ANGLICANA foi formada em 1534 pelo Rei da Inglaterra Henrique VIII depois que este, querendo se divorciar de sua primeira esposa, e isso não ter sido aceito pela Igreja Católica, decidiu romper com eles. Desde então a Igreja na Inglaterra passou por uma confusão de identidades.

Durante os séculos assumia a posição de católica ou protestante, a depender do rei ou rainha que subisse ao trono britânico. Isso resultou em muitas lutas e guerras, estando a igreja diretamente relacionada, em busca dos interesses políticos da Inglaterra e não de Deus.

Até hoje a Igreja Anglicana é um "samba doido", tendo parte dela considerada Católica e parte considerada Protestante. Não vou me aprofundar com os anglicanos por motivos óbvios. Você acha que a verdade está numa igreja sem identidade fundada apenas por birra de um rei que queria separar de sua esposa e casar de novo e que hoje nem sabe o que quer da "vida"?


IGREJA METODISTA 
- "O QUE DIABOS ESTOU FAZENDO AQUI?"

O Metodismo surgiu mais como uma visão doutrinária, do que especialmente uma igreja. John Wesley que era um clérigo anglicano, passou a estudar as Escrituras e dela chegou à conclusão de que a relação com Deus era mais pessoal do que necessariamente coletiva. A salvação dependia de suas atitudes individuais e não de um grupo.  Isso atraiu muita gente das igrejas Anglicanas -  que não concordavam que ela fosse massa de manobra da coroa britânica - e da Presbiteriana - dos que não concordavam que a salvação pertencia a uma loteria divina.

Como muita gente migrando para a visão de Wesley, não tardou para que ela viesse a se tornar uma igreja, em 1844, por meio do pregador George Whitefield. No entanto, por ser mais uma visão do que doutrina, o Metodismo se permitiu ser influenciado com o tempo por várias outras ideologias, absorvendo parte do arminianismo e calvinismo à medida que se abrangia para outras regiões.


O ecumenismo é um dos objetivos buscados pelos Metodistas.
Na foto vemos uma bispa (sic) metodista ungindo um clérigo católico nos Estados Unidos. 


Hoje em dia a Igreja Metodista não possui uma doutrina específica, sendo reflexo dessa confusão de dogmas. Os americanos se dissociaram dos ingleses, logos os brasileiros se dissociaram dos americanos e por fim, do resto do mundo. A igreja é perdida naquilo que acredita se envolvendo em muitas discussões políticas, promovendo rituais ecumênicos e buscando tudo, menos os objetivos que concerne a palavra de Deus.


9 comentários:

  1. Testo mal excrito e que ñ ten baze estoirica. Tu preciza estudar estoria meu amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou formado em História, amigo(a). Aliás, sabia que existe diferença entre 'história' e 'estória'?

      Não vou criticar seu português porque algo me diz que foi proposital (ninguém escreve tão mal assim).

      Excluir
  2. Vc formado em História? Kkkkkk... Agora virou mentiroso, André Lago. Vc não passa de um analista de atendimento e com formação escolar secundária. Sua cara não arde de tanto mentir?

    ResponderExcluir
  3. Eu so estudei at a cuarta serie mais concigo pecerber uma leitura ruim. Eu ñ sei a difeerenca entre as estoria. Amigo eu tive de trabalhar sedo mais venssi na vida

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Ceu preconsseito e do movimento dos cochimhas que tomaram o poder pelo goupe.

      Excluir
  5. Sim, sou tecnólogo em história formado pela faculdade Anhanguera. Não é lá essas coisas, mas posso dizer que tenho nivel superior, dá pra fazer uns concursos...

    E não sou mais analista, agora sou supervisor de produção. Ih, eu acho que voce vai ter que me amar menos, "anônimo".

    ResponderExcluir
  6. Tenho lido suas postagens, e realmente você é muito coerente em seus relatos e explicações sobre história e experiência de sua vida, estou também em precesso diciplonar na organização de Jeová, questiono muitas coisas sobre a experiência que estou passando, mais por ter viajado muitos países e de perto observado culturas diferentes, e ver fora do nosso próprio país a organização funcionando, não resta dúvidas que ela existe para o propósito de ajudar as pessoas a ter entendimento das situações desse caótico mundo, e os ensinamentos são que nem ouro.

    ResponderExcluir
  7. Andrezito, texto maravilhoso mano... Só acho que você deveria citar algumas fontes, mano. Pra gente pesquisar também...rsrsr

    Mas, amei o texto, tá escrito de uma forma tão gostosa de ler... Valeu!! :)

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.