quarta-feira, 12 de abril de 2017

A LOUCURA OU LUCIDEZ DA RÚSSIA?


"Se perseguiram a mim,
perseguirão também a vocês"
- João 17:20

Andrei Sivak é uma Testemunha de Jeová russa, 43 anos e pai de três filhos. Nunca pegou em armas. Nunca foi preso e possui uma ficha limpa nas delegacias de polícias de Moscou. Mas certo dia foi fazer uma tarefa simples na Rússia, um câmbio de moedas, quando percebeu que a atendente se assustou ao digitar seu nome. Ele estava classificado como perigoso, ao lado de membros da Al Qaeda, do Estado Islâmico e de outros grupos terroristas. Sim, ele era Testemunha de Jeová. 

Em um retrocesso aos tempos da União Soviética, quando os membros das Testemunhas de Jeová eram caçados como espiões e dissidentes pela KGB, os nossos irmãos voltam ao centro de uma campanha crescente das autoridades russas para conter grupos que não concordam com a política militar e nacionalista de Putin. 

Mas como assim? As Testemunhas de Jeová não pegam em armas, não participam de campanhas políticas, não brigam, não fazem protesto, cumprem suas obrigações como cidadãos, então porque o governo russo acha que eles são perigosos? É aí que entra uma terceira força do governo russo, que influencia muito as ações daquele país: a Igreja Ortodoxa Russa. 

É óbvio que a perseguição contra os nossos irmãos possui ligação direta com essa igreja. Mas para a Igreja Ortodoxa, o resultado pouco importa. Se as Testemunhas de Jeová forem banidas, ótimo, mas se não for, a igreja continua sendo a oficial da Rússia e tendo todo o "poder do mundo".  Então porque ainda assim as Testemunhas de Jeová são perseguidas. Bem, além do óbvio baseado em João 17:20, há também o fato de que os maiores interessados são justamente os traidores, que como Judas Iscariotes que traiu Jesus Cristo, ex-Testemunhas de Jeová, que por algum motivo não explicado - ou talvez o de fazer a vontade de Satanás - tem combatido o trabalho de nossos irmãos naquele país e servido como espiões, inventando, inclusive, provas contra os nossos irmãos.  Assim como os sacerdotes judaicos que ajudaram a matar Jesus Cristo, esses traidores tem usado de mentiras e falcatruas com o governo para criminalizarem as Testemunhas de Jeová.

Desde então o governo tem utilizado, inclusive, de métodos ilegais para tentar provar que as Testemunhas de Jeová são extremistas, fabricando provas, conforme esse vídeo divulgado pela TV Russa.







O fato é que as Testemunhas de Jeová são um dos poucos povos pacíficos do mundo. Não pegam em armas, não servem ao exército, não odeiam o próximo e nem pregam a guerra. E talvez essa seja a maior loucura, ou lucidez, de Vladimir Putim. Ele sabe que ao contrário da Igreja Ortodoxa, da Igreja Católica e dos evangélicos protestantes, eles não conseguem manipular as Testemunhas de Jeová. 

Desejamos, muito, que no dia 19 de abril - o julgamento foi novamente prorrogado - a Suprema Corte da Rússia chancele a inocência das Testemunhas de Jeová. Mas caso não ocorra, não tem problema, porque elas continuarão adorando e amando a Jeová como nunca antes. Igual como ocorreu na década de 90 quando foi aberta a democracia no Leste Europeu, e que quando todos achavam que não haviam Testemunhas de Jeová ativas, elas se provaram milhares e milhares mostrando que servir ao único Deus verdadeiro não depende da bonança, mas do coração.

Neste caso, perseguir o verdadeiro povo de Deus, pode não ser uma loucura para quem fazer parte do império de Satanás. Mas uma lucidez, por saber que nada pode deter o Deus Todo Poderoso. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.